Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

Conta-me como foi

Maria Araújo, 15.03.09

Há alguns fins de semana que não vejo esta série e hoje,  falando no skype com um amigo do Brasil, não prestei atenção ao episódio que ainda está a passar na RTP1.

Não sei qual o tema mas, de repente, olhei para a TV e vejo uma das personagens sentada junto a uma máquina de tricotar.

Fez-me voltar atrás no tempo.

Minha mãe era doméstica. Meu pai tinha uma empresa. Coincidência, ainda hoje, em Lisboa, falava com a minha sobrinha sobre a localização do escritório que a empresa tinha na capital,  que ficava junto ao jardim Constantino. Fez 16 anos que lá fui pela última vez.

Vivíamos bem, mas a minha mãe, depois de nascerem os meus irmãos mais novos, completanto 6 filhos, decidiu aumentar o rendimento da casa, pelo que foi aprender a tricotar à máquina, porque à mão sabia ela, e bem.

Aprendeu rapidamente. Comprou uma máquina. Arranjou boa clientela.

Verdade. A minha mãe era perfeita naquilo que fazia.

Eu ajudava a dobar a lã. Ufffff! Cansava!

Eu estendia os braços, ficando estes paralelos, e ela encaixava a meada juntos aos pulsos, e  fazia o novelo.

Mais tarde, comprou uma dobadeira em madeira, onde se encaixava a meada e com o movimento das nossas mãos,  aquilo andava à volta enquanto sa fazia o novelo.  Pelo menos só cansava duas mãos, não as quatro!

Também era eu que ia entregar o trabalho a casa das clientes.

Lindas peças que saíam das mãos dela.

Lindas peças que ela me fez em malha. As que mais me seduziram, foram: um vestido verde canelado até á cintura, liso para baixo , tirado o modelo de uma página de revista que a minha irmã mais velha  trouxera de Londres; um macacão cor de rosa com um fecho grande, que vinha da cintura, também, até à gola.

Era uma adolescente. Apesar da minha altura , baixa,  confesso que me sentia uma modelo  dentro dessas duas peças.

Ficava envergonhada quando passava na rua e ouvia os comentários mais grosseiros dos trolhas, e não só. Ria-me de alguns, outros não gostava nada.

O tempo foi passando....

Hoje foi um dia de recordações.