Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

retratos do dia

Maria Araújo, 16.09.14

sexta-feira passada fui ao Porto. Andava à procura de uma caixa multibanco, passei por estas casas, que já conhecia, e com o telemóvel (a máquina fotográfica avariou, foi para a marca) "click".

Lindas, estas casas.

 

 

 

 

 

Sabado, dia de ginásio, com uma manhã tão soalheira e quentinha, deixei a aula para outro dia e fui à praia para o que poderia ser o último dia de verão deste ano.

Uma manhã fantástica. A temperatura da água estava como há muito não se sentia, convidava ao banho. O mar trazia muitas algas, banhava-me por etapas. Deliciosa água!

A maré cheia da madrugada deixou marcas na praia...se nesta altura subiu demais, imagine-se no rigoroso outono das chuvas e do vento que, aliás, já  se faz sentir esta semana ainda de  verão.

     

 

A cada passo, o rebentar das ondas nas rochas captava os olhares...

 

 

 

 

 

 

e reparei que as minhas unhas estavam da cor das ondas do mar

 

 

 

constantemente a banhar-me nesta água que, finalmente, não gelava os pés,

 

 

as nuvens brancas combinavam com o céu azul e não queriam que eu me despedisse deste início de tarde na tão calma praia de Apúlia

 

 

 

 

16 horas da tarde, "bora" para o passeio nas ruas da cidade da "Noite Branca" até que passei na rua de janes, com a exposição das cuecas de figuras públicas da cidade, umas de séculos passados, outras deste século...

 

"cuecas do presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio.

 

 

cuecas do ex-presidente da Câmara de Braga, Mesquita Machado

 

 

 

  

 

 

duas irmãs e uma amiga

 

 

 

duas irmãs e uma amiga

 

 

duas irmãs

 

 

os aviões que fazem piruetas

 

 

três irmãs

 

 

uma das feiras de utilidades

 

 

 

a NOITE...

 

 

três irmãs e uma filha e sobrinha

 

 

a tia e a sobrinha

 

 

as amigas de infância

 

 

a sobrinha e os óculos

 

 

duas irmãs e uma tia

 

 

 

 e a fotografia que iria provocar a minha queda e fractura do braço, {#emotions_dlg.confused}.

 

 

 

 

 

passo-me

Maria Araújo, 16.04.14

quando estamos na aula de Pilates e, de repente, toca um telemóvel ( não é permitido para estas aulas que exigem concentração) uma , duas, três vezes. a dona(o) não se mexe. o toque incomoda...

á terceira vez, o professor aproxima -se da pessoa(neste caso , uma jovem) e pede-lhe para desligá-lo.

se toda(os) sabem que não é permitido levá-los para a aula, se há cacifos para guardarem os seus pertences, por que razão quebram as regras?

estas pessoas não enxergam?