Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

coisas do meu dia

Maria Araújo, 07.10.19

O telefone tocou, atendi:

Ela - Olá dona Fernanda.

Eu - Desculpe, está a ligar para o número errado. Não sou a dona Fernanda.

Ela - Eu conheço-a, dona Fernanda. Sempre a brincar.

Eu - Desculpe, a senhora não está a falar com a dona Fernanda.

Ela - Vá lá, dona Fernanda. Eu conheço-a.

Eu - Mais uma vez lhe digo que não está a falar com a dona Fernanda. O meu nome é Maria ..., eu não estou a brincar.

Ela ( não convencida) -  Maria ...! Dona Fernanda, vá...

Eu - Já lhe disse que não sou essa pessoa. Estou a falar a sério. Não sou a dona Fernanda. Vou desligar. A senhora está a falar para um número errado.

Ela  - Está bem.

E desligou.

E o telefone não voltou a tocar.

Que teimosia!

 

calling dragons' den GIF by CBC

 

 

a avaria e a informação repetem-se

Maria Araújo, 29.10.18

 

20016270_ptUnU.jpeg

Quinta-feira passada, fui jantar fora.

Saí de casa, a rua estava às escuras, valeu-me a luz do telemóvel quando cheguei a casa.

Sexta-feira, fim de semana, liguei para a EDP, repetiu-se tudo o que escrevi neste post de 2014.

 

Dois anos depois, voltou a acontecer o mesmo (parece-me que vivo sozinha nesta rua) nunca ninguém se lembra de ligar para a EDP, liguei eu, repete-se a gravação e a conversa com a colaboradora:

 

 Se é avaria em casa, marque x; se é avaria na rua, marque y ( e eu marquei).

- Se a avaria na rua é só de um candeeiro marque x, se for metade da rua, y, se for a rua inteira, marque z (marquei z).

- A chamada vai ser atendida por um colaborador.

...

" ficou registada a sua informação, já foi enviada para os técnicos, pode levar dez dias".

 

Expectável que foi na conversa que tive ao telefone e depois me pedir a localização da rua, o meu nome e contacto telefónico, acrescentou isto:

"... não sei se o piquete anda na zona, mas informo que a espera pode levar dez dias para reparar a avaria ".

À noite, cheguei do Porto por volta das 21h30, a rua continuava às escuras.

Hoje continua assim. Só os faróis dos carros que passam a iluminam.

IMG_20181028_185954.jpg

 

às vezes fazem-me de idiota?!

Maria Araújo, 04.10.18

Há precisamente uma semana, uma pessoa falou em comprar um presente de aniversário para alguém por quem temos uma considerável estima.

Como eu havia falado nisto, uma semana mais tarde a pessoa e mais uma colega foram deliciar-se com um tratamento, que gostaram muito,  falaram-me em comprar um voucher para oferecer a alguém que nós estimamos. E pediram-me para tratar da compra.

Eu concordei, respondi que nunca comprara um voucher neste sítio, ia ligar para saber como fazer para o adquirir.

Com uma delas por perto, fiz várias ligações, não conseguidas, elas deixaram o ginásio, eu regressei a casa.

Em casa tentei ligar do telefone fixo, consegui, obtive o esclarecimento que pretendia.

Cautelosa que sou, queria o ok das outras pessoas para comprar o voucher, até porque quem o pagaria era eu, esquecera-me que nuncative os seus contactos ( nem quero).E lembrei-me do messenger.

A pessoa costuma estar ligada, enviei a mensagem, não obtive resposta. Esperei até ao final da tarde, enviei segunda mensagem, e nada.

Passou o fim de semana,  zero resposta.

Segunda-feira,  à volta de uma mesa do bar sentava-se a pessoa, a colega, e mais quatro pessoas.

Aproximei-me, cumprimentei todas, perguntei à pessoa se lera as mensagens que enviara.

Com uma expressão no rosto de quem não entendeu nada, ou eu estava a ser parva, todas olharam para mim,  virou-se para o grupo e diz qualquer coisa sobre o fim de semana.

Sentindo-me ignorada, não obtendo resposta à minha pergunta, toquei-lhe no ombro e disse que depois falava com ela. Saí dali indignada.

Dez minutos depois, viu-me,  aproximou-se e perguntou-me: "Então M, o que foi que aconteceu?"

A minha vontade era dizer que não fora nada, que nada tinha importância, mas como respeito as pessoas, e ela é simpática e damo-nos bem como colegas,  expliquei -lhe.

E respondeu-me que tem outras contas no FB, ultimamente não ia à que eu conheço, que o problema do presente estava resolvido ( perguntei-me se alguma vez houvera problema), e nesse preciso momento pára para cumprimentar alguém.

Eu segui o meu caminho.

Passaram três dias, e entretanto a pessoa  já foi à sua conta de FB onde tem a mensagem que enviei, não respondeu com um pedido de desculpa, não me disse se ofereceram algum presente e o quê, e eu continuo a fazer figura de idiota porque sei que resolveram outra coisa e não me incluíram no grupo. 

Se tivesse comprado o voucher, como me foi pedido, e não fosse eu cautelosa, iriam dizer que tinham comprado outra coisa, ficaria eu com ele nas minhas mãos, com um gasto que não queria ter nesta altura.

Perante isto, prometera a mim mesma ignorar tudo  que se passou .

Hoje, falei com todas como se nada tivesse passado. E elas falaram comigo como se nada tivesse passado.

Mas fiquei aborrecida, porque quando alguém me pede alguma coisa e mostro disponibilidade, faço o que está ao meu alcance para colaborar.

Já vi que com algumas pessoas não vale a pena. Que não me peçam nada, não alinharei em nada.

Como em "Os Tubarões": estou fora!

 

 

outras galáxias

Maria Araújo, 06.11.17

Este post é dirigido o simpático blogger Andy Bloig, que nos dá o prazer de ler assuntos quase do outro mundo, nos seus posts "o mundo deve estar louco", lê os nossos textos e nunca nos deixa sem respostas aos comentários e, sobretudo, dá dicas  ás nossas dúvidas e opina os nossos comentários e/ou argumentos, respeitando quem está deste lado.

Ora hoje lembrei-me de si, Andy (que interesseira "meu").

Fazendo um carregamento de telemóvel, via banco online, não recebi a SMS da operadora a confirmar o carregamento.

Achei estranho, mas também há alturas que demora alguns minutos a recebê-la, esqueci quase de imediato.

Entretanto, faço umas chamadas e o telemóvel não dava sinal nenhum.

Fiz o contrário. Liguei do telefone fixo para o telemóvel. Sem sinal de chamada, uns segundos depois ouve-se a voz do gravador dizendo: " o número para o qual ligou não tem voice mail activo".

Entretanto, tento saber o saldo do telemóvel, marquei o número respectivo: zero sinal. Ou seja, o telemóvel está operacional em tudo: o wifi funciona, até que me embrei de fazer chamada pelo whatsapp, que funcionou.

Perguntei-me: "Será da operadora?". "Será que o Lisbon Web Summit está a dar que fazer às operadoras andam ocupadas noutras galáxias e, no meu caso, não me permite enviar/ receber chamadas e SMS?" "Ou será que o telemóvel, com 15 dias, pifou?"

Sendo Andy um querido (sabe tudo destas coisas de tecnologias, contas e muito mais), e antes de fazer qualquer outra coisa que seja, ir à loja apresentar reclamação, sei que vou ter a sua ajuda.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

fiquei com os nervos em franja

Maria Araújo, 21.09.17

Precisava de marcar um tratamento, que falei neste post, visto que hoje a médica estava ao serviço, liguei para o hospital por volta das 14h10.

Um minuto e treze segundos depois, sem que alguém atendesse, a chamada caiu.

Entre as 14h10 e as 16h05 não parei de ligar. Tinha de conseguir falar com alguém.

À 10ª tentativa tenho sucesso. Pedi para ligar a especialidade. Cerca de um minuto à espera, eis que do outro lado atendem. Expliquei o que queria, respondeu-me que esperasse um pouco porque precisava de ver se já havia lista de marcações.

Com a música igual a muitas outras e que irritam os nossos ouvidos, esperei mais dois minutos. Estava a prever que iria ficar sem resposta. E não é que a chamada caiu?

Liguei mais cinco vezes até que alguém atendesse. "Bingo!". Expliquei o que queria e o que acontecera com a chamada e diz-me: " A senhora está a ligar para o geral. Eu vou passar a chamada mas deve marcar o número 123" .

Apontei-o, enquanto esperava que passasse a chamada. Mais um minuto e, caiu.

Voltei a ligar, agora para o 123. Tocou, tocou. Um minuto e onze depois ( dei-me ao trabalho de registar o tempo do toque de chamada ) aconteceu o mesmo.

Insisti, mais uma vez. Estava tão possessa, que praguejei, e muito.

De repente, ouvi uma voz do outro lado.

Expliquei que tinha ligado imensas vezes e que numa delas conseguira falar com alguém que por sua vez passou para o serviço, que falei com uma pessoa que me pediu para aguardar,  mas o tempo de espera era longo e a chamada caía.

Mais uma vez, esta passou a chamada para a especialidade e eis que consigo, finalmente, o que quero.

Mas não valeu de nada. Informou-me que a doutora entrega o calendário hoje ao final do dia, só é possível marcar amanhã, depois das dez horas.

E aproveitei para manifestar o meu descontentamento, também.

Pedi desculpa, mas ia fazer uma reclamação à administração porque em Agosto ligara muitas vezes e sem sucesso; que uma pessoa perde a paciência porque não atendem e se atendem passam a chamada que uns minutos depois cai.

Depois o meu desagrado com a informação que prestaram. Que no último tratamento, em Dezembro de 2016,  a doutora me dissera para voltar em Outubro; que quando quis marcar disseram-me que a doutora dá o plano em Agosto, e para ligar nessa altura, dois meses antes de ela entrar ao serviço; que quando liguei em Agosto só depois da sétima tentativa conseguira falar com alguém e as datas dos tratamentos estavam preenchidas; que só em Setembro sabiam se a doutora dava novo plano para Novembo e Dezembro; que nunca em dois anos que liguei para o hospital acontecera algo semelhante; que estava a ver que no dia que a doutora fosse fazer os tratamentos ( uma vez por mês) iria fazer cerca de 20 km e falar pessoalmente com ela porque isto de ligar vinte vezes e não ter  resposta não tinha sentido.

A senhora respondeu-me que eu tinha razão, que fizesse o que entendesse.

E pedi desculpa pelo desabafo, mas mesmo assim iria apresentar a minha reclamação à administração.

E vou.

E amanhã de manhã, a partir das 9h30, vou agarrar-me ao telefone.

Preciso de ter a minha marcação.