Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

uma mensagem

 

amado.jpg

imagem daqui

 

Depois de jantar, sento-me no sofá a ver um pouco de televisão. Mas adormeço.

Por volta das 00h30 ( sempre a esta hora), acordo, desligo o televisor, e vou dormir.

Esta noite, dormi uma ,duas, três horas?. Tive pesadelos que me acordaram. E o corpo não parava de se mexer.

Noite ainda, ouvi as gaivotas pipilarem. Resmunguei.Tinha sono, não entendia porque diabo  não conseguia dormir.

Estas duas últimas semanas foram complicadas, tive-as muito ocupadas, mas ainda consegui ir ao ginásio fazer as aulas de Pilates.

Não sei se o corpo está dorido destas aulas, bem puxadas, se é do tempo que passa do tórrido para o fresco.

Hoje a minha cabeça está vazia. 

Pensei sair da cama, fazer uma caminhada. Desisti. Era cedo de mais.

O telemóvel tocou.  Era a minha irmã a pedir-me ajuda para levar o gato ao hospital veterinário.

Mas ficou marcado para amanhã.

Precisava de arejar a cabeça, queria tudo e nada.

Pensei ir ao mercado municipal, não me apetecia ir a pé.

Partiu-se o espelho de aumento, decidi ir ao Ikea comprar outro, e mais umas pequenas coisas que me esqueci quando lá fui a última vez, não me apetecia conduzir.

Mais de meia manhã passada e eu não tinha vontade de nada. Precisava de ocupar a mente, de arejar, nem que fosse  dar uma volta pelo quarteirão.

E fui.

Entrei na loja dos chineses, fui ver os espelhos, pelo sim, pelo não, poderia haver algum que me agradasse. Muitos modelos, mas achei que de aumento não tinham nada. Ou a minha mente não quis ver. Saí.

Passei no talho, comprei carne.

Regressei a casa. 

Fiquei melhor, um pouco.

Felizmente sinto-me bem e saudável, mas quando o sono não existe, e a mente pensa  em tudo,  fico apática e cansada.

Tenho pensado sair uns dias de cá, mas ainda não é a altura, embora evite ir em Agosto.

Depois do almoço, recebi uma mensagem  whatsapp de uma amiga, que só pode ter férias em Agosto, perguntando se queria ir uns dias para a Costa Alentejana,que eu não conheço.

Pensara nela para as férias, mas achava que era cedo falar no assunto.

Espero que nessa altura estejamos mais à vontade, no que concerne à doença COVID19.

Este verão ainda não fui à praia. Pelo menos uns dias tranquilos, e de sol, vou ter

Na mouche, esta mensagem.

E agradeço sugestões de lugares a visitar... e para comer.

e agora, estou com sono

mais uma noite agitada.

não tinha de levar o sobrinho neto ao colégio, deitei-me por volta da 01:00h.

e adormeci quase de imediato. 

de repente, acordei! olhei o relógio da mesa de cabeceira: 04:00h.

levantei-me,fui à casa de banho.

deitei-me. sono, nada!

depois de muitas voltas na cama, levanttei-me, eram 06:00h, fui buscar um discos desmaquilhantes embebi-os em água de rooas para relaxar os olhos ( faço isto muitas vezes).

amanhecia, mais uma vez olhei o relógio, eram 08:00h.

adormeci.

acordei com os gritos das crianças na escola. convicta que teria dormido pelos menos uma hora, olhei o relógio, dormira apenas trinta minutos.

o corpo e as pernas estavam doridos,  pensei numa massagem completa que iria ajudar-me a relaxar.

levantei-me.

saí por volta das 11:00h para ir ao hipermercado fazer umas compras e passar no ginásio para saber como eram as aulas de grupo no exterior.

no ano passado, tinha comprado umas calças branca,na Zara, um dia que as pus a lavar na máquina, quando tirei a roupa elas estavam com um tom avermelhado. indignada porque não costumo misturar roupas, quando tirei tudo o que estava na máquina, vi umas calças bordeaux, da Massimo Dutti, que, sempre que as lavo, é à mão para não tingir a roupa. e foi quando me lembrei que as pusera na máquina para lavar com roupa preta,  mas como naquele dia não tinha nada para lavar, nunca mais me lembrei delas meti alguma roupa para lavar inclusive as calças brancas, que ficaram péssimas para vestir.

ora,um dia destes, mais quente que está o tempo, fui procurá-las para as vestir e não as encontrei.

e então lembrei-me do que acontecera.

no hipermercado, comprei umas calças brancas MO, que estão impecáveis, nem preciso de fazer a bainha.

não queria, para já, entrar em lojas, já tenho calças novas

passei no ginásio, que saudades! fui muito bem recebida.

todas as aulas têm de ser marcadas online ( isto eu sabia), mas o número é mais restrito. se tudo correr bem e conseguir reservar lugar, quarta-feira regresso para uma aula no exterior.

para utilizar as máquinas, também preciso reservar, mas pode ser na hora, já que de manhã há  mais disponibilidade. 

as esplanadas abriram, vou tomar café à Brasileira.

uma boa segunda-feira para vós

 

 

sobre a mudança da hora

mudou a hora,  o meu sono está descontrolado

e se tenho alguma dificuldade em adormercer, ontem,  deitei-me mais cedo que o habitual, convicta de que ia dormir um sono tranquilo.

qual quê?

à uma da manhã ainda não dormia.

sem olhar o relógio, era noite ainda, já estava acordada.

fui levar o sobrinho neto ao colégio, arrumei o carro na garagem.

queria arejar a cabeça, saí de novo para ir  à padaria.

sinto-me cansada e apática.

preciso de ir ao ginásio.

é cansaço.

ontem,deitei-me cedo.

adormeço  no sofá e, geralmente, quando acordo passa da meia-noite e meia, vou para a cama  e o sono não vem.

terça-feira, baixei-me para pegar num objecto, quando me levantei, senti uma forte dor na lombar, semelhante ao que aconteceu aqui.

custava-me andar, tomei um anti-inflamatório. no final da tarde estava um pouco melhor.

costumo pôr o saco de sementes à noite na  lombar. alivia-me bastante e ajuda-me a relaxar e dormir

esta noite, acordei de repente à 1h30. pensava que seria 6h da madrugada.

 fui à casa de banho, voltei para a cama, mas até às 5h00 não dormi.

hoje, estou de rastos,  não só da coluna como cheia de sono.

brinquei pouco com o meu sobrinho neto, vim mais cedo para casa, quando cheguei, tomei um banho quente, aqueci o saco térmico de sementes no microondas, sentei-me a escrever este post, e já fechei os olhos várias vezes.

não quero deitar-me no sofá porque sei que adormeço, e logo à noite não tenho sono.

ai se as crianças desconfinarem na próxima semana!

os pais vão ter mais tempo para si, eu també.

estamos todos cansados disto.

 

desta semana

Esta semana tem sido muito má, não consigo dormir as horas que preciso para que o dia renda. Se me deito cedo, acordo de madrugada, se me deito tarde, o sono não quer nada comigo.

E o corpo dá voltas na cama, a mente pensa em tudo o que é bom e menos bom.

Levanto-me cansada para o dia que, neste confinamento, é tomar conta do sobrinho neto enquanto a mãe está em tele trabalho.

À sexta-feira, começo o dia nos arredores da cidade e enquanto espero pela criança, estou no carro a ler, ou ando pela internet a ver as novidades.

Hoje a manhã estava muito serena, não havia sol, não chovia, via-se um pedaço de céu azul, o suficiente para tanquilizar a minha alma ansiosa.

IMG_20210205_091352_558.jpg

Mas a meio da tarde voltou a chuva.

Estava eu sentada no chão com o menino, diz a mãe " a oeste o céu tem um tom alaranjado, na praia deve estar um pôr-do-sol bonito"

Levantei-me. Caía uns pingos de chuva, olhei pela janela via-se o arco-íris.

Sem Título.jpg

Bom fim-de-semana.

 

a minha gata põe-me doida

Este inverno, a Kat não tem ido para o meu quarto deitar-se sossegada num dos cantos da cama.

Ontem, entrou, não saiu, percebi que, quando desligasse a luz, saltaria para a cama e lá ficaria a dormir.

E assim aconteceu.

Por volta das 6h30, acordei com o miado forte, a dar-me sinal de que queria alguma coisa.

"Shiu! Calou!", respondi eu.

Mas ela continuava.

Fome não era, deixara o suficiente para a noite e o dia de hoje.

Com o pretexto de ir à casa de banho ( quem toma chá à noite, acorda a qualquer hora para fazer o xi-xi)  levantei-me, ela solta novo e alto miado, fui ao quarto da varanda, puxei o estore, abri a porta, ela saiu, foi arejar.

Voltei para a cama.  Mas o sono não quis nada comigo.

Seriam 7h00, a danada volta aos miados estrondosos capazes de acordarem os vizinhos.

E eu, quietinha, debaixo dos lençóis e do edredom, mandava-a calar.

Depois, ouvia-a correr pela casa, parava à entrada do quarto, porta aberta, que ela poderia saber fechar ( era bom, não era?!) olhava para mim e miava.

"Cala-te, Kat. O que queres?", perguntava eu baixinho de modo que ninguém me ouvisse. E voltava a esconder-me debaixo do edredom.

Às tantas, já perto da 9h00 e quando, finalmente, o sono estava a chegar, ela salta para a cama, deita-se num canto e ficou.

Eu adormecei, também, mas por pouco tempo.

Hora de me levantar, estore para cima, puxei o edredom para o fundo da cama, que a cobriu. Eunca mais ninguém a ouviu.

Fui às compras, apanhei uma molha da muita chuva que tem caído neste dia, cheguei a casa por volta das 13h00. Fiz o almoço, preparei uma coisas para o jantar da mana mais nova ( hoje é o seu aniversário).

Há pouco, lembrei-me que a cama estava por fazer, a Kat não dera mais sinal de si, estava ainda na preguiça do quentinho da cama.

Entrei no quarto, levantei o edredom, lá estava ela a dormir.

Peguei nela e resmunguei: " Sua preguiçosa, que me acordaste cedo, não me deixaste dormir, vingas-te de mim ficando na cama até esta hora?! "

E dei-lhe uns beijinhos no pêlo, pousei-a no chão e tratei de arrumar o quarto ( eu não gosto de deixar a cama  por fazer tantas horas).

E voltou aos miados.

Não sei o que ela quer. Deixa-me doida e preocupada.

13997879_usuKc.jpeg

(foto de 2012)

 

 

o corpo é que paga

 

bola-de-pilates-acte-sports-com-bomba-de-ar-75cm-i

 

 

Este mês de Outubro,  as aulas de Pilates aumentaram  no ginásio e agora, também, com a modalidade de novos aparelhos, como a bola suíça ou de Pilates.

Sempre desejei experimentar a bola ( tenho uma que me ofereceram, mas preciso de a encher), fui à primeira aula na terça-feira. 

Completamente diferente, já fiquei fã

Três, quatro dias por semana, tenho ido ao final da tarde ao Porto.

Ontem, decidi que iria à aula se acordasse, não liguei  o despertador.

Ando extremamente cansada, não durmo horas suficientes. E quando acordo cedo e o sono não quer vir, levanto-me e vou ao ginásio.

Ora, hoje, às 7h já estava acordada. Tentei adormecer, mas  nada.

Fui fazer a aula.

Vim a casa deixar o carro, fui a pé à estação de comboios (vinte minutos) comprar o bilhete para a minha viagem a Lisboa da  próxima semana.

Almocei tarde. Durante o almoço os meus olhos queriam descanso.

Mas não há tempo.

Tenho a tarde com compromissos e depois destes, fazer a mala para o fim de semana em Lisboa

Sabe bem o exercício fisico, saio bem do ginásio,  mas com as noites de pouco dormir, o  meu corpo é que paga.

 

noite agitada

Cansada e com.sono, deitei-me por volta da meia- noite.

Adormeci.

Acordei com sede.

Tentei adormecer.

Às voltas na cama, decidi levantar-me e matar a sede que tinha.

Quando liguei a luz do candeeiro da mesa de cabeceira fiquei surpresa.

4 h?!  

Voltei para a cama com a certeza que já não iria adormecer.

Deixara o telemóvel na sala, levei-o para o quarto.

São agora 6h50,  já andei por Lisboa, Fátima, a ver hotéis para  as minhas  idas (duas) a Lisboa.

Segui para os blogs, pus algumas leituras e comentários em dia.

Esta minha cabeça não pára de trabalhar quando  eu mais preciso de descansar.

 

 

o meu sono

Há dias que a Kat me tira do sério.

Já estava a habituar-me ao sossego da manhã, de dormir tranquila, mesmo que ela entrasse no quarto, se deitasse aos pés da cama, que logo a seguir saía e dormia onde entendesse.

O que acontece é que há cerca de dez dias, às 6h, entra no quarto, passeia em cima das minhas pernas, e com as patas e a boca agarra e morde-me os pés. 

Não me deixa dormir.

Ralho, ela foge, tento adormecer, ela regressa ao quarto , volta ao mesmo.

Levanto-me, abro o estore da varanda, lá vai ela... E volta à cama, aos meus pés.

O meu sono vai-se.

Agitada que anda, deixa-me stressada.

À noite, caio de sono mal me sento no sofá.

Durante o dia, ela vai para o cesto e fica horas na preguiça e a dormir.

Hoje,  às 6h30 era o texas. Ela a brincar com os meus pés. Mal eu dizia: "Kat!", ela fugia. Mas voltava.

São 9h, ando aqui desde as 7h. 

Não gosto de andar na net de manhã.

Mas é ela que me faz estar aqui. Sem sono, o que fazer ?

E hoje, o dia de ginásio é à tarde.

13006518_hFweL.jpeg

 

 

 

 

 

é uma lesão

Os meus sobrinhos netos regressaram ao Rio ( chegaram hoje de manhã), fico muito preocupada com as viagens que fazem  sempre que vêm e regressam. Durmo mal, penso muito neles.

Esta noite, a ajudar a falta de sono, tive a dor no joelho que era muito forte do lado interno. Mal conseguia mexer a perna, não conseguia andar, foi um suplício.

Coloquei uma almofada debaixo da perna, nada me aliviou.

Tentei aguentar, mas por volta das 4h, levantei-me e fui tomar um anti-inflamatório.

Deitei-me. Adormeci.

Às 9:27h, acordei com o telemóvel. Assustei-me, vi o nome. A minha irmã queria saber se os nossos sobrinhos netos tinham chegado ao Rio.

Respondi que a hora prevista era esta, ia ver o estado de vôo ( ela estava convicta que seriam 7 horas de viagem).

Levantei-me e fui ao hospital privado para tentar uma consulta  de ortopedia para hoje e, sim, consegui-a para as 11:30h.

Depois de contar ao médico a minha longa caminhada, o tipo de exercícios que faço no ginásio, a dor localizada no joelho, disse-me que é uma lesão muscular.

Receitou-me uma medicação para ser feita até 7 dias, se tiver dor.

Caso ela passe em 2 ou 3 dias, páro.

Se continuar, tenho a prescrição para uma ressonância magnética.

Aconselhou-me não voltar a fazer uma caminhada tão longa.

As minhas amigas podem fazer os plans para a próxima caminhada, mas sem mim.