Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

novidades de ontem

O "Costa" pagou-me meia pensão.

image.jpg

 

E mereço.

Estive a tarde toda de ontem a tirar roupas dos roupeiros, a aspirá-los por dentro, a separar o que não quero, voltar a pôr os casacos de inverno, guardar as roupas de Verão, e quando me deitei, uma dor forte no ombro direito não me deixava dormir.

Passei um creme anti-inflamatório, mas não fez efeito.

Às 05:00h, levantei-me e pus gelo.

Atenuou a dor.

De manhã, ao pequeno-almoço, tomei uma anti-inflamatório.

Estou melhor, agora.

 

 

1° dia na capital

Os sobrinhos netos vieram para o treino de futebol...ligado ao SCP.

O lugar fica no alto,  está um vento friooooo!

Entretanto, depois do almoço eles quiseram ir ao Oceanário.

IMG_20221013_145116.jpg

IMG_20221013_145658.jpg

IMG_20221013_161125.jpg

IMG_20221013_160031.jpg

Vestir todos os dias roupa de treino, é o que eles mais  gostam.

No Brasil, estavam habituados, e não têm peneiras nenhumas.

Hoje, não tiveram escola.

Amanhã, voltam, e vão com outra roupa de treino.

Saem da escola e vão directos para o ténis.

 

 

" Roupa dos Brancos Mortos"

A reportagem que passou no Jornal da Noite da SIC, de ontem, fez-me repensar o modo como tratamos o que não usamos:

Cerca de 70% da roupa que doamos para caridade e depositamos nos contentores acaba em África. O mercado de roupa em segunda mão é antigo e pode até ser visto como sustentável. Mas a falta de qualidade da chamada fast fashion e a quantidade de roupa que consumimos criou um gigantesco problema ambiental e social.

FOTO-2-GR-A-ROUPA-DOS-BRANCOS-MORTOS-1-1024x576.jp

Não é segredo para ninguém que apenas uma parte da roupa doada é escolhida para agasalhar os pobres e despojados. A maioria é exportada, entrando assim na indústria mundial do mercado de roupa em segunda mão.

FOTO-3A-GR-A-ROUPA-DOS-BRANCOS-MORTOS-1-1024x576.j

fotos SIC

Reconheço que em tempos comprava roupa fast fashion, que gostava, não tirava as etiquetas até decidir se vestiria a peça, e caso achasse que afinal não queria, devolvia, trocava por outra.

Ou então, se a usava naquela estação, e no ano seguinte não gostava dela, ou não tinha nada a ver comigo, dava-a.

Compro peças de boa qualidade, que duram uma vida, que vou usando conforme a vontade de vestir ou não nessa estação. Até porque fico mais esquisita à medida que os anos passam, e usar  hoje o que usei em tempos, não quero, sobretudo quando a peça foi moda naquele ano e já não interessa mais.

Então, separo o que está utilizável para dar a alguém, que sei que vai usá-la, ou deixo no contentor de roupa, ou entrego no colégio que o meu sobrinho neto frequenta, e que é encaminhada para uma instituição de solidariedade..

Há dois anos que ando na onda das t-shirts, compro-as de marca, na feira, ou em lojas fast fashion que, mesmo que use só na época, sei que no ano seguinte, se não as vestir, uso-as em casa.

As que estão fracas,  fico sem saber o  que fazer porque acho que pô-las no contentor é deixar o velho ou rompido para as pessoas necessitadas, e isso não é correcto, mas também não tenho coragem de as pôr no lixo. Assim como o calçado em pele que estava guardado, a pensar  que na época seguinte iria usá-lo, finalmente perdemos o amor por eles foram  os  sacos de botas e sapatos de salto alto, meus e da minha irmã, para o contentor.

Ficaram umas sandálias novas, que estão no saco de roupa que vou dar a uma jovem brasileira a quem vendi um sofá, no ano passado, e que merece tudo o que  está em bom estado.

Ora, depois de ver o programa de ontem, fiquei a pensar nas t-shirts usadas que não quero pôr no lixo nem no contentor, mas que merecem ser reutilizadas. 

Gasto muitos discos desmaquilhantes, que vão para o lixo depois de usados, há muito que pensara  cortá-las para esse fim, mas às vezes a preguiça ultrapassa a vontade de pôr mãos-à-obra, deixava para depois.

Hoje foi o dia de pegar numa delas e cortar.

Verei o resultado, logo que as coser à mão.

 

comprei uma máquina de lavar roupa

A minha máquina teria 10 anos, ou mais, estava a fazer um ruído forte durante a centrifugação, decidi não mandar arranjá-la.

Ficaria sem máquina sei lá por quanto tempo, certamente não viria a funcionar em condições, na quinta-feira, fui à Loja Euronics Cidadela Electrónica, e depois de ver todas as máquinas com eficiência energética A, com a ajuda e opinião da vendedora, optei por uma com capacidade de 9kg da marca Haier . 

Feito o pagamento, fomos dar uma volta pela loja, ficamos apaixonadas ( a mana foi comigo) pela cozinha e electrodomésticos SMEG, e pelas  placas  HAIER.

Máquina em casa, espero pelas 22h para pôr a roupa a lavar.

 

Acho que vou ficar satisfeita com a compra que fiz.

 

 

 

 

 

compras de Outono

Parece que, finalmente, o Outono chegou.

Estava farta das temperaturas altas, num dia estava nos 28º, no outro descia para 19º, o meu ouvido esquerdo tem dado  sinal. Esquecera-me de marcar a consulta do ano, marquei pela aplicação.

Neste fim de semana, tirei do armário o edredom mais fino, tem sabido bem  dormir com pijamas de algodão e sentir o quentinho dele na cama.

Há cerca de um mês, comprei umas roupas na feira, desfiz-me de roupas que estavam em muito bom estado, mas já não as usava, e dei-as a uma jovem brasileira, muito educada, e mãe de uma menina linda, que comprou um sofá que eu pusera à venda na OLX.

Não lhe dei calçado porque o número dela é maior, pus à venda na OLX. Se não vender, vou dá-lo.

E dei-lhe um candeeiro de pé, e uns pratos que já não usava, da Loja do Gato Preto, que ela adorou.

Destinei a manhã de hoje para tirar do armário as roupas desta estação, e no seu lugar guardar as de verão.

Cheguei à conclusão de que não preciso de comprar camisolas, que estavam em falta nos dois últimos anos.

Já as calças de ganga, que não uso no Verão, faltavam no armário, comprei dois pares na Zara, e na semana passada, fui comprar um par do mesmo modelo, em preto.

Num dos dias que saí com a minha irmã, entramos numa sapataria para ver a colecção, vi as botas modelo vaqueiro, em camurça, que gostei. Era o último do número que calço. Experimentei e trouxe-as. E trouxe uma mochila para as minhas viagens, a próxima  é já no fim de semana prolongado que aí vem. Destino: Lisboa.

Estava com saudades de ir à capital. Estive lá em Fevereiro de 2019, já o vírus estava a fazer das suas.

 

fui à feira semanal

já não ia  há cerca de três meses, queria comprar malhas polares para combinarem com as calças que comprei numa loja, no centro comercial, e embora tivesse iguais às calças, não havia o tamanho S, pelo que pensei na feira, compraria mais baratas, também. Até porque estas peças são para andar em casa já que não as uso para ir ao ginásio.

E fiz boas compras.

Sem contar,na mesma tenda,  comprei um camisolão vermelho( adoro a cor) para vestir com calças e por cima dos vestidos, um vestido sem manga da Tommy Hilfiger, "lindo!", e um bordeaux da Nice Things, ambos pelo joelhos e que vão ficar muito bem com botas. A senhora queria que trouxesse outro em tom cinza, mas eu tenho, não me interessava.

E porque a senhora foi buscar os vestidos que tinha para mim?  Porque todos eles são tamanho S e não os vende.

Sorte minha porque experimentei-os em casa, e todos ficam muito bem.

E vendeu-mos mais baratos cinco euros que o preço de venda.

Noutra tenda,  comprei um sweatshirt às riscas bege e bordeaux para combinar com as calças,também bordeaux, que comprei no outono passado,e porque tenho poucas peças que conjuguem com esta cor; e uma malha polar que. afinal,não sei se vou andar com ela por casa.

É tão fofa para levar para o ginásio!

Voltarei à feira para encontrar as sweats polares que quero, mas sem capuz.

 

IMG_20210928_152619.jpg

IMG_20210928_152315.jpg

IMG_20210928_152020.jpg

IMG_20210928_152445.jpg

sweat.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

 

coisas do meu dia

a  empregada voltou ao trabalho, a minha intenção era ir à praia e voltar quando ela saísse de casa, mas o dia estava cinzento.

depois do pequeno-almoço, peguei no ferro e passei a muita roupa de casa que já me irritava ver no cesto.  ontem, fui à feira semanal, comprei roupa de cama que lavei para ficar arrumada no armário.

e o certo é que estive três horas de pé a passá-la.

fui buscar o sobrinho neto à creche, viemos a pé, levei-o à mãe.

vim para casa, doíam-me as pernas de cansaço.

logo, vou ver mais dois episódios desta série

 

 

 

 

dois meses e meio depois

fui ao centro da cidade.

saíde manhã para ir à loja Via Verde, está fechada neste tempo de coronavírus, foi hoje o dia de me aventurar ir ao centro da cidade.

a esplanada da Brasileira estava composta,  entrei numa sapataria para comprar umas sandálias para usar na condução quando vou à praia, passei na Mango, queria ver vestidos, também para praia, mas não vi nada que me interessasse,.

depois passei na Zara,não havia fila ( acho que quando abriu, a fila era  grande demais) dei várias voltas à loja, vi alguns vestidos que gostei,mas não trouxe nenhum, comprei t-shirts

adorei a nova forma como adaptaram os suportes decabides e as mesas das roupas à decoração da loja que fazem as peças ficarem mais visíveis, deixa de haver a confusão de sempre

verifiquei que muitas pessoas fazem o que eu faço:  observam e /ou tocam  na peça e tiram se for para levar paras os provadores

espero que este conceito se mantenha para sempre,odeio ver uma loja cheia de peças empilhadas, e também desarrumadas porque o clientte assim as deixou.

senti que as pessoas estão mais organizadas

 

 

 

Dia Internacional da Dança

porque adoro dançar, porque  dança é cultura, é sentimento, é arte, é magia, é alegria, é liberdade.

Adoro danças latinas, como o tango e o flamenco,escolhi um vído de flamenco para comemorar este dia.

Durante três anos,frequentei  aulas de flamenco/ sevilhanas. A  professora  vinha todos os sábados de Vigo para nos dar as aulas, deixou de vir por motivos de saúde.

E nunca mais procurei outro estúdio, nem sei se os há por cá.

Fui a duas  Ferias de Vigo dançar sevilhanas.

Uma foto de alguns alunos do grupo,em Vigo.

IMG_5981 (2).JPG

as minhas roupas:

collagemaker_2020429173827770.jpg

 

# fique em casa 10

Desde que me levantei, cedo, ocupei-me das tarefas de casa: passar a ferro, arrumar as roupas,fazer o almoço.

Por volta das 10:30h, recebi uma chamada de um número que não tenho nos meus contactos,lembrei-me que seria da SEUR para entregar uma encomenda que fiz  online( há quanto tempo não comprava pela internet!) a semana passada. E era.

Queria sdaber se estava em casa, demoraria cerca de dez minutos(esta empresa liga sempre,contrariamente a outras que nem sequer tocam à campainha,deixam o aviso e obrigam-nos a ir levantá-las às lojas de recolha).

Dez minutos depois, chegou.

Foi rápido. Ele de luvas, eu de luvas, entregou-ma. Perguntei se tinha de assinar( era o meu maior problema, por isso calcei as luvas),respondeu-me que não, que apenas bastava confirmar o nome.

Com as luvas calçadas, e com o pouco álcool que tenho, desinfectei as embalagens e o seu conteúdo.

Voltei ao velho tempo em que pintava o cabelo em casa, mandei vir tinta de coloração.

Fiz para o almoço peixe assado no forno, aproveitei para fazer um bolo.

Fui à net buscar uma receita prática de bolo de maçã. Esta era fácil e diferente.

E cá está o bolo e a receita.

IMG_20200325_152051.jpg

A meio da tarde vou aspirar a casa, entretanto,vou acabar de ler este maravilhoso livro ( de uma pessoa que muito admiro e sigo no Instagram).

250x.jpg

A Wook está com descontos,vou mandar vir este livro que alguém disse ser o melhor dele.