Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

banalidades

Maria Araújo, 17.01.18

Gosto de carne vermelha numa feijoada, num cozido à portuguesa, numa jardineira. Gosto de uma boa picanha, de uma boa costeleta de vitela, mas há anos que corto à carne. Dou prioridade às carnes brancas, mas saturo-me de as comer. O peixe predomina nas minhas refeições.

Numa bancada de especiarias da Feira Romana, do ano passado, comprei quinoa e chia. Esta uso nos meus pequeno-almoços, a outra, porque ainda não tivera vontade de a cozinhar, estava guardada no armário.

Há algum tempo que não comia verduras, ontem, fui ao mercado municipal para as comprar.

Pela primeira vez vi cogumelos,à venda. Lembrei-me da quinoa, seria interessante cozinhá-la com  cogumelos. E comprei.

Hoje, foi o dia de cozinhar a quinoa. 

Estava a preparar os ingredientes, quando peguei nos cogumelos, lembrei-me de uma vendedora, a quem comprei alhos, que vendo os cogumelos, comentou: " o meu filho adora cogumelos, mas eu tenho medo. Não confio. Sabe-se lá de que tronco eles vêm!" .

Fiquei de pé atrás, indecisa. Sempre que me vinha a pergunta à mente:"será que são de confiança? ", e pegava neles , olhava-os ao pormenor. Já os via muito escuros, imaginava a sujidade do lugar,  pensava que seriam venenosos...

Lavei-os, tirei-lhes a cutícula e quando vou para os cortar em lâminas, voltou a pergunta:"Serão de confiança? Ponho, não ponho?" , até que: " Não!  Tenho receio, não arrisco!" 

Teria comprado cerca de meio quilo. Pego no saco e ponho-o no lixo. Custou-me pensar no desperdício.

Depois de lavada, foi a cozer. Entretanto, preparei  um refogado de cebola, juntei os espinafres, a courgette, a cenoura raspada. Dexei-os cozinhar. Fui mexendo. Juntei a quinoa cozida, misturei tudo. Por fim, acrescentei as nozes e os pinhões.

Aqui está o almoço de hoje.

São raras as refeições vegan que tenho e normamente são fora de casa. E gosto. Então, prometi (???)  a mim mesma que farei duas refeições vegan por semana. 

IMG_20180117_143007.jpg

 

Conversa de tia e sobrinha

Maria Araújo, 20.02.15

de1d1d341eceba39f72c3669cf5ad886.jpg

A minha balança deve mostrar o mesmo peso, quer eu esteja em cima dela, quer ela esteja em cima dos meus pés.

Terça-feira passada, uma das minhas sobrinhas veio a Braga passar o dia com o pai.

Ligou-me para irmos à feira.  Já aqui em casa, "massacrou-me" a cabeça por estar magra.

"Porque às tantas não comes, porque dizes que tens o colesterol alto e não podes comer certas carnes, porque há dois anos atrás estavas mais gordinha, ficava-te bem, provavelmente à noite não comes uma refeição de jeito, fazes muito exercício físico ...", blá,blá, blá.

E quando falei que ando na nutricionista, então é que afinou: "Por que andas tu na nutricionista? Tu não precisas disso! Tu tens cuidados de mais com o que comes" blá,blá, blá.

E como boa tia que sou, desfaço-me em explicações " porque sempre fui magra, porque a atingimos uma certa idade e não podemos abusar, estou na nutricionista porque o ginásio oferece, mensalmente, a consulta", blá, blá, blá.

Na verdade, a idade não perdoa e há cerca de três anos o corpo mudou, estava mais rechonchuda, tinha um pneuzinho, pesava 47,5kg  (o peso mais alto que tive em toda a minha vida).

Voltei ao peso que sempre tivera, 45/ 46kg, o pneu foi à vida,não tenho flacidez na barriga,tenho-a mas coxas(oh!),  faço várias refeições ao dia e não me privo de comer o que gosto, não abusando, das carnes vermelhas e doces (gosto mas não sou muito gulosa).

Não emagreci. O meu corpo é que voltou à sua forma. Mas faria dieta, caso ele não ficasse como eu sempre fui.

 

Compal breakfast week

Maria Araújo, 19.06.14

 

 

durante muitos anos,  o meu pequeno-almoço foi um copo de leite, manhã cedo, e a meio da manhã, no trabalho, um pão e um café.

contudo, sempre que ia de férias para fora do país, e porque não tinha o stress das horas e do trabalho, sentia imenso prazer em sentar-me à mesa com as pessoas e comer esta deliciosa refeição.

há 12 anos (ano muito triste para a família) fui para as Canárias com umas amigas.

com  um menu variadíssimo ao pequeno-almoço, vim mais gordinha (ficava bem, diziam), foi o passo para decidir perder mais tempo e ter uma refeição mais completa.

durante a semana, levantava-me mais cedo, deixei de tomar o leite e introduzi o iogurte, comia meio pão e, a meio da manhã, comia um pão com pouquíssima manteiga e o imprescindível café.

há cerca de um ano introduzi o sumo de laranja, quando não tenho opto por compal; numa taça preparo um  iogurte magro sabor a morango, misturo cereais, e frutos. como meio pão escuro com compota ou geleia, por mim confecionadas. 

se me apetece, ainda como uma banana, ou maçã, ou pêra, ou nêsperas, ou cerejas, enfim, a fruta da época.

mais tarde, o meu Nespresso.

 

e porque já não passo sem o meu pequeno-almoço, andando por aqui a ler os meus blogs favoritos, descobri que começa hoje em Lisboa e Porto, e até ao dia 29, a Compal  Breakfast Week , aqui...

 

 

 

"A 1ª Edição Compal Breakfast Week mantem a componente social do conceito original. Por cada menu vendido, a marca compromete-se a doar outro menu numa escola de Lisboa e do Porto. Os menus de Compal Breakfast Week podem ser apreciados nas pastelarias aderentes ou vendidos em opção de Take Away.

Até agora estão inscritas no Breakfast Week mais de 30 pastelarias, reforçando a importância do pequeno-almoço como a “refeição mais importante do dia, relembrando o prazer de tomar esta refeição fora de casa, de forma equilibrada e a um preço acessível”, diz João Nuno Pinto, Diretor de Marketing de Portugal e Espanha da Sumol+Compal".

 

 

ora como a partir do dia 27 estarei na capital, a Compal que me aguarde.

adoro o pequeno-almoço fora de casa. sabe-me pela vida.