Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

Taskmaster

Fez-me rir, e muito, este primeiro programa da RTP1, que acabei de ver hoje na RTP PLAY: Taskmaster.

Não sou fã de Nuno Markl, mas sou de Vasco Palmeirim, gosto do humor da Inês Aires Pereira, o Fernando Mendes gosto, mas não vejo O Preço Certo, o Toy está em alta no que concerne à sua presença nos vários canais de televisão, e  Gilmário Vemba ( não sei quem é) esteve ao nível dos outros.

Gosto de bom humor, gosto de me rir mesmo que fique com dores de barriga, as rugas  se evidenciem mais, que fique com os olhos sujos da máscara de pestanas, gosto de rir.

Faz-me tão bem!

E este fim de semana foi em cheio de me rir com as amigas, quando fomos ao Porto, e no domingo, ao telefone,  fazer rir a minha amiga N, desenferrujando a língua sobre o que me aconteceu durante a semana.

E porque choro com as tristes  imagens da guerra na Ucrânia,  e já só vejo uma pequena parte, porque as notícias nos jornais televisivos repetem-se a toda a hora,  procurei mudar o chip, encontrei Taskmaster.

Uma hora e meia de entretenimento ao sábado que, para quem gosta de ficar em casa,  parece-me que vai conquistar as audiências.

IMG_20220321_231904.jpg

 

 

 

 

 

Ricardo Araújo Pereira vs Patrícia Mamona

Gostei de ver Patrícia Mamona no programa de Ricardo de Araujo Pereira," Isto é Gozar com quem Trabalha".

Uma jovem linda, simpática, com um humor delicioso, deixou Ricardo Araújo Pereira encantado com a sua presença, assim o demonstrou pelo riso e jovialididade que tem este humorista, pelo modo como ela  respondia às suas perguntas.

E foi com muito estilo que ela ofereceu-lhe  um presente que deixou Ricardo Araújo Pereira sem jeito.

Se eu fosse ele, no dia em que o SCP for campeão, que vai ser, sem dúvida alguma, ia festejar com os presentes que ela lhe ofereceu, mesmo com a camisola  com o nome dele escrito nas costas, não pelo futebol, mas pelas outras modalidades desportivas que horram a nossa presença lá fora.

Foi um momento especial e bonito.

Parabéns aos dois, estiveram muito bem.

Adorei!

 

uma pergunta

dois dias sem sair de casa, o televisor está ligado nesta sala, porque me apetece.

ao início da tarde, vi que o programa habitual de domingo,da SIC, transmitido na rua, está, hoje, no estúdio e dedicado a Marco Paulo.

passei na RTP1, que tem agora um programa em directo e no estúdio, não vi nada do que está a tratar, fui para a TVI e verifiquei que o "Somos Portugal" está a ser transmitido na rua, um programa dedicado ao Emigrante, pergunto:

se tivemos de ficar em casa, restaurantes que não abriram, cafés, supermercados que às 13horas já estavam fechados, e todos,mas todos cumpriram  as regras, por que razão a TVI faz o programa na rua?! 

e acontecendo num lugar em que não seja obrigatório o confinamento do fim de semana, seria um gesto simpático de mostrar que está solidária com o país confinado, fazia o programa dentro de portas, como todos os outros.

quem precisa de ganhar a vida, e para a maioria das pessoas o fim de semana é vital, acho uma falta de consideração para quem quer conquistar audiências, e se houve autorização do governo para que se realizasse, cá temos os polémicos casos de excepção que causa desconforto na sociedade.

vale o que vale, ou nada, esta minha opinião.

 

 

O Serviço dos Correios

Acabei de ligar a televisão, passa na RTP1 o programa Pós e Contras, cujo tema trata do serviço dos CTT.

Foi o mote para publicar o post que tinha há algum tempo nos meus rascunhos, estava com dúvidas se havia de publicar.

Então é o seguinte: o 2º Desafio, Livro Secreto, da MJ, que começou há 1 ano, e durará outro, visto que o número de participantes duplicou, tem como via  de contacto o FB.

Fui fã desta rede social, há algum tempo que desisti dela, deixou de ter a importância que tinha, passei a ir com alguma frequência  e desde que este desafio começou, não só porque nos é enviado ( em privado) o nome e endereço para quem enviamos o livro que temos em mãos, mas também para comunicarmos  ao grupo o envio e recepção do livro do mês.

Ora no mês de Novembro passado, o livro que enviei não chegou ao destinatário. 

A MJ, contactou-me.

Fiquei preocupada, pensei que a mim nunca iria acontecer um extravio de livro. Tinha o registo de envio, fui aos CTT saber o que poderia ter acontecido, assunto que escrevi  neste post.

Cerca de três semanas depois, recebi a carta dos CTT que dizia o que eu não esperava, de todo. Explicava que há várias modalidades e entre elas o correio registado, que passo a citar:

" pelas suas características é alvo de um tratamento o qual é associado um número de objecto ( código de barras) que nos permite:

- a confirmação de entrada das correspondências na rede CTT;

- o controlo ao longo do seu percurso;

- a confirmação da data de entrega ou devolução.

No caso em apreço, não se tratando de correio registado não podemos proceder a averiguações mais detalhadas."

Pois bem, esta carta veio confirmar o que o funcionário me dissera " Se o livro fosse enviado por correio registado, a coisa era outra".

Parece-me que os CTT só se responsabilizam pelo correio extraviado se este for resgitado pelo que qualquer encomenda que não chegue ao destinatário estão-se a borrifar para o cliente, que confia e paga o serviço.

Eu aceito a resposta, até porque está de acordo com o texto que consta da reclamação, mas o que eu deveria ter escrito foi o que motivou o extravio, e o que de facto aconteceu ao balcão entre mim e a funcionária, que levaria  à abertura do envelope para verificação postal e não ter seguido viagem, que passo a explicar os factos desse dia de Novembro.

Fui atendida por uma senhora que costuma ser simpática, e já nos conhecemos do habitual correio de cartas e livros que envio, que repara no envelope almofadado, que não dos CTT, que entreguei, sugere que, para não pagar como encomenda, e sabendo ela que era um livro, não fosse aberto para verificação,  abrir o envelope.

Fiquei a olhar para ela, perguntei porquê, "para pagar menos", comentou.

Estava difícil a sua abertura, adverti que poderia rasgar, o melhor seria enviá-lo como entreguei.

Ela diz que consegue abri-lo, insiste mas rasgou um pedaço.

Volto a dizer que pago o que for preciso que não abra mais. Ela insiste que consegue, que não havia necessidade de pagar tanto dinheiro. E eu já estava na disposição de comprar um envelope CTT pois estava a ver a coisa mal parada.

Embora com um rasgão, dobra a parte aberta, faz um furo, pega num fio, passa à volta do envelope.

Mais uma vez perguntei se não haveria problema na verificação, respondeu-me que não ( já estava a ver a coisa passar na alfândega ou lá o que é isso, para verfificação, desta vez porque o envelope ia pior que quando entreguei), acabei por confiar: "eles sabem o que fazem", pensei eu.

Ora passados 20 dias, a MJ envia o e-mail a informar-me que o livro não chegara ao destino.

Costumo guardar os talões de envio, peguei nele, sem perda de tempo fui imediatamente, pelas 14h, aos CTT falar com a senhora, porque era mesmo com ela que queria falar da dita cena.

Tirei o ticket. Sorte minha, encontrei-a junto às caixas dos apartados. Vi que alguém a seguia, esperei um pouco.

Quando regressa, aproximo-me dela, mostro-lhe o talão e relembro o que se passara nesse dia.

A fulana olha para mim com ar de desprezo e diz-me: " A senhora acha que não tenho mais que fazer? São horas de ir para o balcão, tenho o meu trabalho por abrir". E vira-me as costas, deixa-me ali sem palavras.

Entretanto, o número do meu ticket já passara, fui tirar outro.

Ela vai para o balcão, esperei que ela me chamasse para me dizer qualquer coisa, como, tire um ticket e aguarde a sua vez, dirijo-me a ela e pergunto: " A senhora não vai atender-me? Tenho ticket"

Responde-me:" Qualquer um dos meus colegas sabe atendê-la".

Chega a minha vez, dirigi-me ao funcionário que estava mesmo ao lado dela.

Expliquei o que se passou com o livro, mas não entrei em pormenores do que foi feito ao envelope.

E foi quando ele me disse o acima citado : " Se o livro fosse enviado por correio registado, a coisa era outra".

Comentei que sempre enviara os livros em envelope almofadado e correio normal, nunc tivera nehum extravio e depois de mais algumas palavras que troquei com ele, e de maneira que ela escutasse, foi-me dado um impresso de reclamação.

Antes de sair, fiz-lhe um reparo " O talão de pagamento deveria ter o nome do funcionário para que em caso de alguma reclamação o pudessemos fazer directamente com ele".

Comentário dele: " Não sei para quê"

Resposta minha: " Mas sei eu."

Dois dias mais tarde, fui entregar a reclamação.

Foi ela que me atendeu. 
Educamente entreguei o impresso.

Perguntou-me pelo envelope, que não tinha, pediu-me que fosse à prateleira e tirasse um.

Quando o entreguei, ela dobra o impresso, mete-o no envelope e diz-me, educadamente, também: "Está fechado, fica entregue".

Perguntei: " Quando poderei ter uma resposta?"

"Não lhe posso dizer. Não é da competência dos CTT. Receberá por correio uma carta", respondeu.

E a carta chegou em Dezembro, com o acima citado.

Mas já aconteceu algo que me deixou desiludida com o desempenho destes serviços.

Há cerca de um ano e meio, fiz uma compra online, que seria enviado por CTT Correio Expresso.

A loja online ia dando informação do estado da encomenda, que demoraria cerca de um mês a chegar às minhas mãos.

Passado algum tempo entrei no site  fui ver a posição da encomenda, foi-me informado que estaria a chegar e dentro do prazo.

O tempo passou, a encomenda não vinha, entrei em contacto com o fornecedor, que me informou, no próprio site que iria pesquisar o que acontecera.

Uns dias mais tarde, recebi um contacto para enviar o NIB, os CTT não souberam dar resposta à situação, ia ser devolvido o dinheiro.

Tive a sorte de recuperar o dinheiro, estava a lidar com um fornecedor de produtos online fidedigno, mas os CTT perdeu muito da credibilidade que eu e todos nós tinhamos nos seus serviços.

Perdeu qualidade e seriedade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Braga veste-se de BRANCO

page.jpg

 

Está sol, o tempo a favor para mais um evento na cidade, na minha opinião, o melhor do verão, começa amanhã mais uma festa da Noite Branca, a noite mais gira, mais empática, mais divertida de todas as que por cá se realizam.

O cartaz é bom, sozinho ou acompanhado, no  meio da multidão, vivamo-la intensamente.

Numa volta que dei ontem pela cidade, os preparativos estão aí.

E para quem quiser dar um salto à Noite Branca, consulte o programa aqui.

Evite viajar de carro.

Se quiser desfrutar desta noite em Braga, a CP tem bilhetes com descontos, a partir do Porto.

 

Comboios Urbanos do Porto

Promoção 2 €, ida e volta por pessoa, nos Comboios Urbanos do Porto, com origem em qualquer estação da rede e destino a Braga. Válido entre as 12h00 de dia 1 de setembro e o dia 3 de setembro (domingo).

 

Os Museus estão abertos e são grátis neste dias de festa, há muitos programas culturais e artísticos para todas as idades e nos vários locais do centro histórico da cidade, há mercado urbano, há animação de rua, há DJ's.

À noite, os espectáculos espalham-se pelos vários palcos da rua, no GNration, sendo que no palco principal actuam os melhores da música portuguesa e brasileira: 

amanhã, Áurea Mariza

sábado,  Seu Jorge

Três dias cheios de animação, duas noites intensas de boa música, convívio, risos, dança e...porque não uns copos para esquecer os males da vida e do mundo? ( eu não bebo).

Estão todos convidados.

Braga está de portas abertas para vos receber.

 

Já só faltam 15 dias

para a festa mais gira da cidade de Braga.

 

 

Digam o que quiserem: que é muita gente,  que há muita confusão, que  não se pode ver os espectáculos como se deseja...mas é a festa da cidade que mais gosto.

 

Noite Branca Braga.png

Fiquem com o programa da Noite Branca 2017, a festa da minha cidade. É que já só faltam 15 dias para as noites mais alegres, e que fecham a época de verão, e está na hora de programarem os vossos fins de semana ( caso desejem participar da noite mais gira de Braga).

Eu sei, senhora e senhor Moralez, que nestas datas têm a corrida mais louca do planeta. Mas diz o ditado que "o prometido é devido", fica cumprida a minha missão.