Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

Como é que o Bicho Mexe

Ontem, vi o "Como é que o Bicho Mexe"

Aliás, tenho visto durante esta pandemia, gosto do conceito de Bruno Nogueira, mas, como já disse aqui, por vezes o calão é exagerado.

Mas fazem um bom serviço público de directos, no Instagram.

No antepenúltimo directo, a propósito de  Bruno Nogueira perguntar à mãe,Luísa,se precisava de compras, e depois de ter dito que não, acabou por pedir entre outras coisas, bolachas Maria.

Ele perguntou que bolachas queria, e depois de se referirem algumas marcas,ela disse que as que mais gosta são , e entre risos, as do Lidl.

E foi então que o filho, não sei a que propósito, disse à mãe que devia ser como as influencers, pedir ao Lidl que lhe oferecesse  bolachas, que eles de certeza que ficariam gratos pela publicidade, que ele nunca pediu nada para si, mas para ela ia pedir.

A história  teve imensos comentários, as marcas andavam por lá a ser referidas, até que ficou mesmo as bolachas do Lidl, as que ela gosta..

No dia seguinte, já lia que o Lidl teve conhecimento das preferências dos seus produtos, que ofereceriam um carro de compras de bolachas e que iriam dar o nome de Maria Luísa, às suas bolachas Sondey.

No directo seguinte,confirmou-se que tinha recebido um carrinho de bolachas e outras marcas também  ofereceram.

No fim de semana passado, Bruno Nogueira  informou a mãe que iria receber umas quantas caixas de presentes, que iria levá-las a casa no dia seguinte,mas tinha de prometer que não mexia nas caixas, abri-las-ia , o famoso unboxing, no próximo directo para que todos vissem os presentes, e ela tivesse de reagir positivamente ou negativamente, caso gostasse ou  não gostasse de cada presente que abria.

Ontem, foi o dia.

A senhora é um doce,tem um riso que encanta quem a vê e ouve.

Fartei-me de rir, as lágrimas caíram pelo rosto, pela forma como a senhora reagia aos comandos do filho, não só em termos de colocação do gadegt para que se visse tudo o que ela fazia, como os comentários que ela fazia,que,a uma dada altura, o filho já estava desesperado do tempo que ela demorava a desempacotar e mostrar a quem seguia o directo.

A cada caixa que abria, mostrava a embalagem ( a marca), depois o seu conteúdo:  cremes de rosto de pelo menos três marcas, uma máquina de café com embalagens de café,  uma sandálias azuis, um perfume, cremes de corpo, bolachas,enfim, uma panóplia de presentes que ela agradeceu com muito carinho a quem os mandou, e que não estava à espera. 

E nenhum deles ela disse que não gostou. E de facto, todos eles eram bons e utilizáveis.

40 minutos de "diversão" a senhora estava feliz com o que recebera..

Seguem-se cenas dos próximos directos, vamos ver o que aí vem.

Em relação a quem participa nestas duas horas de  humor a sério, e sério, eu, que não sou fã de Nuno Markl, dou a mão à palmatória,confesso que é um grande  "actor". Também realço João Manzarra. Tem-me surpreendido, este jovem.

Falta ver um directo com humor de Nuno Lopes, que tem intervido com os seus comentários.

Contrariamente aos primeiros directos, Bruno Nogueira punha-nos em contacto com portugueses a viajar pelo mundo, e/ou a viver lá fora e longe, estou ansiosa por ver mais. Estão a fazer falta.

Obrigada; Bruno, pelos momentos musicais ( já vimos e ouvimos Maria João Pires),  de humor, de conversa, de karaoke, que nos proporciona.

 

 

  

 

 

 

comércio tradicional

Comercio-nosso.jpg

procuro fazer as compras de Natal no comércio tradicional, e porque prefiro e gosto do comércio de rua, procuro as lojas do centro comercial quando não existe cá fora.

ontem, fui ao Braga Parque para comprar na Primark este modelo de botas para usar em casa.

todos os anos compro um par, este ano pensei que as que calço aguentariam até ao fim do inverno, mas vendo bem, achei que não, saí a meio da manhã, o tempo convidava a andar, e uma vez que não vou ao ginásio há um mês, fui a pé.

quando lá cheguei, fui directa à loja, mas, para meu espanto, havia uma longa fila que dava a volta  àquela ala, vinha algures de um  corredor, que não conheço, suponho dar acesso ao parque ( a semana passada, estive na loja na hora do almoço, entrei, fui procurar o que queria e quando saí ...já havia fila )

compreendo que há famílias que procuram esta loja por ter preços acessíveis, e o dinheiro não é muito, comentei comigo mesma que nem que precisasse muito delas não iria para a fila. não sendo coisas de extrema necessidade, não há paciência para estar de pé  a olhar para quem passa.

entrei na Tiger, fiz umas pequeníssimas compras,e saí do centro comercial.

hoje, comprei mais uns presentes nas lojas de rua. já só faltam quatro!

 

compras que não fazem falta

Quando há cerca de três anos li neste blog um post sobre as malhas  BabyWool,  da MO, na altura, época de saldos, do que restava da colecção, camisolas de gola alta, que eu não uso, comprei um casaco preto e um bege, decote em V.

No ano seguinte, logo no início da estação, fui ver as cores e os modelos, comprei mais dois casacos, decote redondo, bege e cinza, e uma camisola azul decote em V.

No ano passado, comprei mais um casaco azul marinho decote redondo  e uma camisola  branca.

Espreitando aqui  a nova coleção desta estação, com cores giras, adorei o vermelho, a minha cor preferida. E trouxe mais um casaco.

Em casa, fui contar os casacos e as camisolas que tenho, descobri que, no ano passado, no El Corte Inglês de Lisboa,  comprei uma camisola decote redondo, em caxemira, e tenho uma H&M, de malha fina, que raramente uso, achei que ter mais um casaco de lã era exagero. É uma compra que não me faz falta.

Neste tempo de pandemia, não me apetece andar pelas lojas, nem sequer penso em comprar roupa, que tenho de mais (a minha irmã levou dois sacos de roupa para dar às funcionárias da empresa e já tenho outro saco Ikea com mais para ela levar), não preciso de calçado, estou por casa, saio apenas para as compras, decidi diminuir as minhas idas ao ginásio, pensei na hipótese de o devolver e comprar outra coisa que me faça mais falta.

Hoje,fui ao Hipermercado, queria ver os tapetes, andava de volta deles, sempre indecisa se havia de comprar ou não, em boa hora decidi devolver o casaco com o mesmo preço do tapete trouxe um destes.

Depois, passei pelas prateleiras, vi expostas umas toalhas de mesa giríssimas, por mim trazia uma de cada, trouxe uma azul para oferecer no Natal, e a verde para mim.

toalhas.jpg

Preciso de fazer a lista de presentes de Natal deste ano. Talvez volte para comprar outras.

E porque já se fala em Natal e já se preparam as ruas para a época mais linda do ano, não sei como vai ser cá em casa. É o ano das dezasseis a dezoito pessoas, eu não quero ajuntamento familiar, custe o que custar.

Está previsto os sobrinhos netos cariocas virem a Portugal, mas como a pandemia aumenta, a intenção de virem para cá e ficarem de quarentena, não sei se vale a pena correr o risco. Mas quem decide são os papás. 

A brincar, falamos que para o ano vamos todos para o Brasil. Natal na praia?! 

Até que seria uma boa ideia, ahahah!

 

não costumo trocar presentes

mas hoje, fui  trocar dois, de aniversário, um pack Mimos & SPA,  e umas calças denim MD, por outros artigos que me interessavam.

Trouxe umas calças clássicas, meia estação, para os dias de primavera. Ainda tentei trazer uma peça da nova colecção, mas os vestidos são compridos, as saias midi, as calças muito largas e/ou com bolsos do lado, não me (re)vejo nesta onda.

Segui para a FNAC, troquei o pack por um livro. Desta vez, fui pela leitura que faço dos posts sobre livros desta querida blogger, escolhi o autor Japonês, que não conhecia, Haruki Murakama, trouxe " Ouve a Canção do Vento" e " Flíper, 1973". 

Já de saída do centro comercial, voltei atrás, precisava de um calendário pequeno de 2019, mas não havia o que queria, dei uma volta pela loja que me faz perder a cabeça e a carteira: Tiger.

Numa das prateleiras vi o que todos tivemos na infância, continuou pela adolescência e, agora, ainda perco a cabeça, porque me fascina brincar : as bolas de sabão.

IMG_20190315_155055.jpg

O meu sobrinho neto bebé fica siderado com as bolas de sabão, adora tocar-lhes, faz o beicinho para soprar,bate palminhas, é uma brincadeira que nos diverte.

Não tinha cá em casa, trouxe duas embalagens por um euro.

E gastei dois euros em compras ( comprei sementes de calêndula), na Tiger, na minha ida às trocas de presentes de aniversário, no centro comercial.