Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

hoje, foi o ombro

Maria Araújo, 09.02.18

Se há uns meses foi a anca (agora melhor) que me atormentava as noites, hoje de manhã, quando me levantei para ir ao ginásio, uma forte dor no ombro esquerdo que se estendia pelo ouvido e cabeça, fez-me desistir.

Não tinha forças para nada, estava com calor ao mesmo tempo que os suores frios faziam-me tremer e ter tonturas.

Com algum esforço, consegui ir à cozinha preparar o pequeno-almoço.

Tomei banho, mal movimentava o braço. 

Decidi ir à urgência do Hospital aqui ao lado de casa, lembrei-me que a médica de clínica geral costuma dar consultas à sexta-feira, sorte minha, tive consulta imediata, poupei 6 euros.

A febre estava nos 35º, auscultação cardíaca normal, receitou injecções para tomar, duas por dia e durante cinco dias, e uns comprimidos que "dão sono", disse ela.

Aconselhou-me a pôr um saco de água quente. Falei-lhe nos sacos térmicos de sementes (o post  que aparece todos os dias nas estatísticas deste cantinho do Sapo)  que ponho na lombar, nestas noites frias; "ponha também no ombro", aconselhou, ao que respondi que tenho dois.

Tomei as duas injecções do dia de hoje no serviço de enfermaria do hospital, tive de ficar por lá cerca de 30 minutos, não fosse fazer alergia. Não fez e estou bastante melhor.

Os comprimidos só amanhã, a farmácia não os tinha ( é sempre a mesma coisa, não têm stocks de medicação, obrigam uma pessoa a passar lá mais tarde).

Do tratamento que ando a fazer, tirei do site do Infarmed o nome de outro um laboratório, mais barato, e não é genérico, poupei 8 euros em cada caixa ( escrevi num post aqui)

E na farmácia, a doutora, que é muito simpática, comentou que provavelmente o armazém que fornece os medicamentos não teria o que pedi. "Deixe-me ver", comentou. E veio com as duas caixas. Bingo!

Agora, sempre que tenho medicação para comprar, consulto este site.

A idade avança, as maleitas aparecem, nada é como dantes. E faço ginástica.

Bom fim de semana.

 

Trail 023.JPG

(imagem daqui

 

o preço dos medicamentos

Maria Araújo, 22.01.18

807428.jpg

 

Se pudesse evitá-los, seria óptimo, não sendo possível, devo aceitar o  que médica(o) aconselha ou decide que tenho de tomar.

Ano passado, fiz uma densitometria óssea, a médica de família aconselhou-me tomar um medicamento para a osteoporose. O médico fisiatra dizia que é tudo treta, que não tomasse, que faço exercício fisíco, deixou-me ainda mais indecisa se havia de tomar ou não, dei um tempo até à consulta de ginecologia e pedir conselho à jovem médica, em quem confio. Aconselhou-me a tomar a medicação pelo menos durante 2 anos. Com acesso à ficha, passou-me nova receita de tudo o que tomo actualmente, e vários exames que devia fazer, ou seja, um check up ( colonoscopia, endoscopia).

Feitos os exames, voltei à consulta, há cerca de 15 dias, falamos deles. Queixei-me da dor na anca e da minha ida à urgência, que o ortopedista disse que a dor que sinto não lhe parecer nada relacionado com esta especialidade (os exames assim o disseram), prescreveu as ecografias ginecológia, bexiga e partes moles ( fiz hoje) para tirar dúvidas.

Com a receita por aviar, eis que um dia da semana passada, volto a verificar os encargos mínimos dos medicamentos, escrevi sobre o assunto aqui, de repente, observo o fundo da página, que nunca lera, reparei que tem um link para o site do Infarmed onde se pode verificar o preço dos medicamentos.

Ora qual não foi o meu espanto, descubro que a farmácia habitual vende-me o medicamento ( o que tenho de tomar durante 2 anos) mais caro, numa lista de 20 com a mesma composição.

Foi o mote para comparar o valor que  pago de todos os medicamentos que preciso, e que são rotina há anos.

O que acontece é que antes de as prescrições passarem a ser informatizadas, o  médico escrevia o nome do medicamento, seguido da  sua composição, a farmácia aviava-o pelo nome, excepcionalmente o genérico, ou de outro laboratório, se não tivessem o prescrito.

Agora, são poucos os que trazem o nome, as receitas são prescritas com o nome da substância, vai-se à farmácia que, salvo raras excepções, pergunta ao utente se quer o mais barato, vende o mais caro.

O "meu"  medicamento tem o PVP de 18 euros. Com a comparticipação fica por 11,20 euros, uma caixa dá para 4 semanas, é tomado um por semana,  na última receita trouxe as caixas prescritas, não necessito para já de mais.

Voltando ao assunto Infarmed, entrei no site em pesquisa de medicamentos, bastou-me escrever o nome  da substância, abriu-se uma lista de medicamentos com as mesmas características e cujo valor aparece por ordem crescente.

Fiquei de queixo caído.

O medicamento que me fornecem na farmácia é o último da lista, o mais caro de todos.

Tomei nota na receita os vários nomes de medicamentos para pedir na  farmácia um dos mais baratos.

Fui hoje aviar uma parte, devido à validade da prescrição, deixei o acima referido para mais tarde porque tenho para um mês e a sua validade vai até Julho.

Entregue a prescrição, o funcionário da farmácia repara nos nomes dos medicamentos que tirei do site do Infarmed, e o que não preciso para já, pergunta-me qual deles quero.

Respondi que esse ficará para o próximo mês, queria uma caixa da Sinvastatina e as duas do outro porque ao pravo de validade  acaba início do mês de Fevereiro.

Mostrou ter ficado chateado, e sou cliente da farmácia há anos, perguntou com alguma arrogância, que Sinvastatina queria.

Respondi que não sabia visto que já levei de vários laboratórios, que me desse uma delas ( o preço não é alto, embora já tivesse pago mais de 2 euros).

Pediu-me o cartão de cliente, veria na ficha a última que trouxera.

Já em casa, verifico a  factura. A Sinvastatina que trouxe é a que vem com o valor indicado na prescrição, 1,74 euros.

Então, a partir de agora, sempre que tiver de comprar medicação, e antes de aviar a receita, procuro neste site, os nomes dos mais baratos.  Não mais me levam por lorpa.

Andamos alheios a muita coisa neste país, damos mais importância às coisinhas que são notícia explosiva, aos  comentários estúpidos nas redes sociais, esquecemos que pagamos impostos, temos deveres, mas também direitos. Darem-nos a possibilidade de escolher entre vários produtos iguais ou semelhantes o que queremos,  é um dever cívico.

E o preço dos medicamentos é dose!

CP conforto

Maria Araújo, 28.03.17

 

Imagem_001.jpg

 

A CP tem bilhetes com desconto há uns quantos anos.

Se comprar o bilhete com 5, 8 ou mais dias de antecedência, o desconto  vai de 45% a 65% de acordo com o dia da viagem e a hora.

Desde que tive conhecimento destes que compro o bilhete com pelo menos 8 dias da viagem.

Na próxima semana vou à capital. Fui comprar o bilhete para o Alfa, ida e volta.

Perguntei se nestes dois dias tinha desconto nas viagens.

Na ida não tinha, na volta, sim.

Mas às tantas diz-me a funcionária da bilheteira:

- Tem lugares com desconto em 1ª, classe conforto, e fica-lhe mais barato que se for na económica, até porque nesta só tem desconto na vinda.

- Mais barato?! - perguntei.

- Sim. Deixe-me ver por quanto fica, mas garanto-lhe que poupa uns euros.

Uns segundos depois:

- A viagem em 1ª classe tem desconto para os dois dias e para a hora que deseja, fica-lhe por 56,00 euros. Se for em 2ª,  classe turística, paga 59,00 euros, visto que só tem um desconto.

A minha imediata observação:

- Mas sabe que faço esta viagem há 10 anos, pelo menos duas vezes por ano, e desde que a CP lançou estes descontos nunca nenhum dos seus colegas me informou desta alternativa? 

- Pois é, mas existe, se houver lugares, com certeza.

Comprei os bilhetes, poupei 3 euros, e viajo em classe conforto.

 

 

 

 

 

preciso de uma impressora

Maria Araújo, 05.01.17

B190DE77A6150C381F01A2645CBB0A4B14EB929D_gallery.j

 

Comprei o meu primeiro computador, que ainda existe, em 2001.

Junto, trouxe o scanner, que funciona, e a impressora ambas HP.

A impressora trabalhou até há cerca de um ano. Deixou de funcionar porque mexi onde não devia, descarrilou para lá qualquer coisa, nunca mais consegui que ela voltasse ao seu desempenho.

Apesar de, agora, pouco precisar dela, aborrece-me ter de sair  de casa para fotocopiar algo que preciso.

Hoje, aproveitei a Sofia querer ir ao Continente, entramos na loja ao lado, a Worten, fomos ver o que há.

Depois, seguimos para a Staples.

Vimos uma HP a um preço bastante razoável, 39,00 euros  para o serviço que lhe poderei dar. Ao lado, tinha uma embalagem com o tipo de tinteiro de cor para aquele modelo.

Fiquei de queixo caído: custava tanto quanto a impressora.

Vou pensar melhor no assunto. Mas se comprar, o tinteiro será cor preto.