Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

das férias

de apenas seis dias, gostei de tudo.

Alojadas em Lanzada, não fizemos praia nas que se estendiam para o lado direito e esquerdo do hotel, em frente ao mar, porque estão mais expostas ao vento.

IMG_20220816_192043.jpg

Tranquilidade, e muitos passeios pelas várias praias da Galiza, foi San Vicente do Mar a eleita.

IMG_20220822_142756.jpg

A minha amiga  N passara férias nesta praia, já lá vão 30 anos, desafiou-me para passarmos alguns dias, lá queria voltar ao lugar onde fora feliz, e onde tinha de ir à cabine telefónica, que existe ainda, para ligar aos pais a informar que estava bem... Outros tempos.

Metíamos pelos caminhos entre as casas e os pinheiros.

IMG_20220817_124413.jpg

E a paisagem era maravilhosa.

IMG_20220817_161825.jpg

IMG_20220817_161958.jpg

Pequenas praias que as rochas protegem do vento, sol quente, água fria mas ao mesmo tempo deliciosa porque se formavam pequenas lagoas onde as crianças estavam à vontade a tomar banho e a brincar. Óbvio que me banhei nelas.

De manhã, o público era maioritariamente com idade para cima dos 40  até aos 70, 80... que se reuniam naquele bocado de água que lhes dava até aos joelhos e cavaqueavam por ali até à hora do almoço.

Reunidas as tralhas, ficava a praia semi deserta.

IMG_20220819_154217.jpg

Por voltas das 16:00h mudava o público, vinham os casais com filhos pequenos.

IMG_20220822_142851.jpg

Às 17h00, juntavam-se os adolescentes.

Um grupo considerável concentrava-se no passadiço, alguns metiam-se debaixo dele, outros deitados na areia a conversar e com música a acompanhar.(Provavelmente encontravam-se todos os anos no verão naquela praia, como  na minha adolescência nos anos em que os meus pais alugavam casa por um mês, era o reencontro com os amigos que vinham de outras cidades): 

Depois, vinha outro grupo, mais pequeno, que ocupava sempre as mesmas rochas.  Estes também faziam o mesmo dos mais velhos que estavam de manhã na praia: juntavam-se no mar a conversar, tomavam banho, voltavam para as rochas. Alguns sacavam do cigarrro ( não faziam como os adultos que guardavam as pontas dos cigarros em garrafas de cerveja, mas depositavam-nas na areia). 

No meio destes, e porque a hora da sesta passara há muito, chegavam os pais de 40 e 50;  e os avós; e os grupos de jovens rapazes e raparigas de 30 que se deitavam na areia a conversar.

Era demais, e continuamente, os adultos, os jovens, e crianças que subiam os rochedos e sentavam-se  lá no alto a ver a paisagem ( que  tenho a certeza que seria fantástico).

A água era muito llimpa, não tinha a areia pó que há aqui no norte, mas abundavam as algas.

IMG_20220817_131017.jpg

Era um prazer tomar banho naquelas " lagoas".

IMG_20220817_130834.jpg

Passava das 20h00 quando o sol se punha por trás das árvores e uma parte da praia ficava à sombra, era então a hora de pegar nas coisas e regressar a casa.

Mas os jovens ficavam por lá.

Já passaram muitos anos que eu ficava na praia até depois das oito. Foi este o ano que voltou a acontecer.

Este lugar era especial.

IMG_20220822_143027.jpg

Regressávamos ao hotel, a cerca de 8 km, e do quarto em frente ao mar, tinhamos o maravilhoso pôr-do-sol para ver e fotografar.

IMG_20220816_211926.jpg

IMG_20220816_211906.jpg

 

 

sobre o cigarro na praia

Temos andado por  praias  pequenas, afastadas do rebuliço das grandes que por aqui abundam. Reparamos que ninguém  deixa as pontas dos cigarros depositados na areia.

A minha amiga fuma,  leva um pequeno frasco de vidro para as pôr as pontas no lixo.

Quando viemos  para a praia onde fica o hotel, demos um passeio pela zona pedonal, junto à rampa de acesso à praia, cheia de banhistas, deparamo-nos com este cartaz:

IMG_20220817_185016.jpg

Continuamos o nosso passeio e no regresso vimos duas senhoras que saíram da praia para fumarem o cigarro e depositaram as pontas no recipiente.

Quando fomos a Sanxenxo,  o mesmo tipo de  cartaz nas principais ruas, muito limpas,  a praia cheia de banhistas, não nos apercebemos de alguém que  estivesse a fumar.

A minha amiga  aguentou até às 20h15 hora que saímos da praia, fumou quando encontrou um caixote do lixo com  o recipiente para os cigarros.

Não se vê em lado nenhum uma ponta de cigarro no chão.

Na minha cidade, grande parte dos caixotes do lixo de rua têm esses recipientes. E as pontas abundam pelas passeios ,  os funcionários da Câmara  passam o aspirador,  mas o hábito que temos continua.

À entrada do hotel em que estamos alojadas, há um caixote do lixo e o recipiente para as pontas dos cigarros.

Forma-se ali um grupo de fumadores com quem a minha amiga conversa.

As praias que frequentamos, mais pequenas, quem fuma leva uma garrafa. 

Admiro e gosto de ver as praias limpas e as ruas muito limpas.

A minha cidade  precisa deste exemplo de civismo para ser ainda mais autêntica .

 

um dia de sol

e com temperatura agradável em San Vicente do Mar.

IMG_20220817_124413.jpg

IMG_20220817_124941.jpg

IMG_20220817_130834.jpg

IMG_20220817_130842.jpg

IMG_20220817_131017.jpg

IMG_20220817_161825.jpg

IMG_20220817_161958.jpg

Quando nos lembramos de comer, já passava da hora, ninguém servia almoços. Uma padaria com boas empanadas estava fechada. Fechava às 15:00h e só abria às 20:00h. Como é possível naquela praia não terem tostas mistas para substituirrm uma refeição, e está fechada a hora, da cozinha, não fazem mais nada. Logo nesta época de tanto turismo!

Metemo-nos no carro, o hotel fica a 8km de San Vicente do Mar.

Fomos comer um hambúrguer numa esplanada muito bem cotada no TripAdvisor, e onde servem jantares, também.

Eram 17:00h, 16:00h em Portugal, e sem nada no estômago desde o pequeno-almoço, o hambúrguer estava muito bom... Só que agora não apetece jantar.

E são 21:00h.

IMG_20220817_180252.jpg

IMG_20220817_180255.jpg

IMG_20220817_184636.jpg

 

o calor arrasa-me

só na praia , e de manhã, ou na piscina, à tarde, no meio do pinhal, está-se bem.

Este fim de semana assim foi.

IMG_20220730_165837.jpg

IMG_20220730_165911.jpg

IMG_20220730_222410.jpg

IMG_20220731_085453.jpg

IMG_20220731_141452.jpg

IMG_20220731_141536.jpg

IMG_20220731_085736.jpg

IMG_20220731_162757.jpg

Entretanto, já marquei seis dias de férias,  na Galiza,  a poucos quilómetros de Sanxenxo, num hotel junto à praia.  

De lá, podemos fazer a costa como quisermos.

Não foi fácil arranjar um hotel com tudo o que desejamos. Mas conseguimos.

 

 

 

 

o auto-bronzeador para quem vai poucas vezes à praia.

Sempre tive dificuldade em ter as pernas bronzeadas.

Se em jovem ficava bronzeada com pouco esforço, com o tempo e sem grande exposição ao sol porque respeito o meu corpo e não tenho paciência para estar horas deitada fora do guarda-sol, as pernas demoravam a ficar como eu gosto, com ou sem protector solar.

Há muitos anos, experimentei um auto-bronzeador, na altura ainda era novidade, mas fiquei decepcionada quando reparei nos meus joelhos que estavam manchados.

E deixei de usar.

Uns anos mais tarde, voltei a usar, mas aplicava com cuidado, até que deixei por completo.

Ora, estamos no verão, tenho vestidos para vestir e não tenho ido com regularidade à praia, não gosto de me ver com as pernas brancas, ando sempre de calças.

Este ano, procurei vestidos curtos de  tecido de algodão, mas não foi fácil encontrar, predomina o linho e não me apetece usar linho.

Um dia, numa loja pequena mas cheia de roupa, vi na montra um vestido que gostei.

Entrei.

O problema é que são tamanho único, logo era impossível  comprar, teria de mandar arranjar.

Mesmo assim, voltei à loja uns dias depois, e a jovem funcionária foi buscar um vestido azul que me disse ser um modelo mais cintado, que certamente  iria servir.

E vesti-o.

E adorei.

O modelo também. Mas queria com manga curta.

Como era muito comprido, lembrei-me de o mandar cortar e do tecido que saía faria umas mangas.

E se o pensei, trouxe-o ,experimentei em casa com uma t-shirt, também azul, e gostei de ver. Ficava interessante com a manga. Fui a uma costureira, vesti-o, disse o que queria e assim seria feito.

Dois dias depois, passei de novo na loja com a minha irmã, tinha chegado a versão verde do mesmo vestido.

E comprei. Nem precisei de o vestir.

Fui levá-lo directamente à costureira para fazer o mesmo.

Vestidos prontos.

Pernas brancas,  precisava de as pôr bronzeadas. Tendo a experiência negativa de há anos, quando fui fazer esta massagem, perguntei à Paula se conhecia algum produto que não deixasse manchas.

Ela não estava a par disso, aconselhou-me a falar com uma amiga nossa, sabia que ela usava uma marca de supermercado e que estava satisfeita com o produto e cor do bronzeado.

Enviei uma mensagem whatsapp, a nossa amiga enviou-me uma foto.

A semana passada, passei na loja e trouxe. 4,50 €, foi quanto paguei.

Para o aplicar, primeiro usei um esfoliante, depois o creme hidratante e no final o auto-bronzeador.

Não aplico todos os dias. Para já, fiz duas aplicações, gostei do resultado.Não há manchas nas pernas.

E desta forma, já usei os meus vestidos.

Os vestidos, que podem ser usados com ou sem cinto:

IMG_20220716_193406.jpg

O auto-bronzeador da marca MERCADONA

IMG_20220715_204721.jpg