Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



" está fechado"

por Maria Araújo, em 09.09.18

transferir.jpg

 Da caminhada de Domingo, que não fazia há bastante tempo, fui em direcção ao novo, e inaugurado recentemente,  Parque Desportivo da Rodovia, fiz o percurso de sempre, saí do lado do Instituto de Nano Tecnologia, não vi a zona radical, mas do que se deparou aos olhos, parece que triplicou, tem espaços apetrechados de aparelhos para  várias modalidades desportivas, enfim, a cidade tem um parque moderno e convidativo às práticas desportivas.

Segui o meu caminho pela colina de Lamaçães, grandes construções acabadas, outras se erguem, passei pela loja Zu para comprar ração para a minha gata.

As minhas pernas têm dado sinal de cansaço, o regresso a casa era mais lento, faltavam 20 minutos para as 13h, numa curva  junto às casas que em finais dos anos 70 ficou conhecida pelo nome de aldeia dos macacos, vi um pequeno café que tinha a placa  "Jogos Santa Casa", a porta estava aberta, apeteceu-me comprar uma raspadinha de 1 euro ( o máximo que dou).

Entrei, estava uma senhora ao balcão junto à máquina de jogos, dei boa tarde, e diz ela de imediato: " está fechado".

Olhei para ela sem perceber, insisti que queria uma raspadinha.  Repete:"está fechado".

E foi então que eu comentei: " Então a senhora diz que está fechado, mas eu entrei porque tem a porta aberta".

"Já disse que está fechado".

Virei as costa e saí, comentando  para mim: " Ora esta!  Devias ser mais simpática, dizias que estava na hora de fechar, pedias desculpa, não podias vender nada."

 

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

que se passa comigo?!

por Maria Araújo, em 26.07.18

em média, troco de óculos de sol de três em três anos, guardo os "velhos", porque estão em bom estado, vindo a moda deles, tenho-os para me servirem.

Penso que os últimos que comprei foi há quatro anos, de quando em vez usava os  Ray Ban (lembrei-me deste post, sim, tem 10 anos, os meus Ray Ban), até à semana passado que os perdi, foi maneira de comprar outros, assunto deste post.

Terça-feira, fui para a praia cuidar dos meus sobrinhos netos, os pais tinham muitos assuntos para tratar na cidade, ontem, fomos para a praia, tinha os óculos de sol postos.

Fomos almoçar a casa, costumava pô-los numa mesinha junto ao sofá.

À tarde, decidimos volar à praia, não me recordo de os levar, de os ter posto, de brincar com os meninos,  com os óculos no rosto, estava nublado, esqueci de todo se os levara comigo.

Chuviscava à hora de jantar, quando regressei a Braga, não precisava dos óculos.

Hoje de manhã, dia de ir ao mercado,  apesar de estar um pouco nublado, queria levaá-los... E foi quando dei fé que não os tinha.

Procurei tudo, revirei o saco, nada!

Liguei à minha sobrinha. Não atendeu o telemóvel.

Estava a sair do parque, ligo de novo, atendeu o filhote, pedi para perguntar à mãe se ela não os viu.

Enviei uma SMS a pedir que procurasse nos lugares da casa onde eu os deixava quando chegava da praia.

Ainda não tive resposta.

Estou frustrada, não pelos óculos, desta vez não fui para as marcas caras, mas porque a cabeça anda ocupada com tanta coisa que não sei o que faço. 

Há pouco, meti as compras no carro, e já pronta para sair do parque, lembrei-me que não tinha ido à caixa pagar o estacionamento.

Sou muito cuidadosa com as minhas coisas e embora não seja por de mais agarrada a elas, nunca me aconteceu algo semelhante em tão pouco tempo.

 

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

foi um dia e tanto

por Maria Araújo, em 08.04.18

Quinta-feira, depois da cena do jovem  "o ruivo",  já na descida da rua 31 de Janeiro, o telemóvel tocou.

Era a minha amiga M a responder-me  à SMS que enviara (em conversa, no café, no dia anterior, dissera-me  que tinha intenção de ir ao Bom Jesus do Monte, no dia seguinte, supus que iria sozinha).

Estava um dia muito agradável, depois desta caminhada, e porque há muito tempo que não vou ao Bom Jesus a pé, far-lhe-ia companhia se ela assim o entendesse.

Os filhos fora de casa, era o dia ideal. Ia, sim, sozinha. Eu sentia-me com forças para mais uns quilómetros, ofereci-me para fazer companhia, combinamos  sair por volta do meio-dia.

Pés a caminho, rodovia fora, subimos por Tenões. Eram inúmeros os jovens que desciam aquela estrada.

Chegamos aos escadórios lá estavam os autocarros que aguardavam os turistas que subiam o monte pelo velhinho ascensor movido a água, e desciam pelos escadórios.

IMG_4142.JPG

Subimos, e parámos no belo largo para as fotografias, continuámos a subida.

IMG_4137.JPG

IMG_4139.JPG

Corpo quente da caminhada e da subida, não convinha entrar no frio Santuário, fizemos uma pequena paragem no miradouro para vermos a cidade.

IMG_4147.JPG

IMG_4149.JPG

Após uns minutos de reflexão, e como adoro fotografar tectos e nunca me lembrara deste, chegou a sua vez.

IMG_4153.JPG

IMG_4152.JPG

Orações cumpridas, fomos comprar gelados, ouço a minha amiga dizer "one hundred and forty", virei-me,  traduzia para  um estrangeiro o valor que a senhora lhe dissera em português. Uns segundos depois vejo-a  falar com outro senhor, a quem pediu desculpa pensando ser estrangeiro, que era, mas brasileiro.

Encetou-se uma conversa sobre o ascensor que queria saber onde era, a explicação de como funcionava a subida e a descida, que o Santuário é dos mais bonitos da Europa, nem o de Notre Dame é tão belo, que temos uma paisagem lindíssima...

Eu pouco falava, e nem precisei, limitei-me a observar o senhor. Uma simpatia de homem, cabelos grisalhos a tender para o branco, olhos castanhos, barba de 2/3 dias, vestuário desportivo mas elegante, fazia perguntas sobre Braga e comentava se há casas para alugar, que somos um povo tranquilo, que a polícia trata bem as pessoas, que no Brasil as balas perdidas matam muita gente, que é impossível lá viver, que é do Recife, que tem intenção de viver em Portugal, que pensou viver em Cascais ou Oeiras..

Chamou a esposa que, mais à frente, observava a vista da cidade, para ouvir a nossa conversa.

Ela aproximou-se e cumprimentou-nos.

Os óculos escuros não deixavam ver o seu rosto moreno, mas pareceu-me ser uma bela mulher.

À minha pergunta se estavam de carro, e  à resposta afirmativa, reparando  no calçado prático que traziam, aconselhei-os a descer os escadórios, "a descer todos os santos ajudam", disse, e fazer a subida de ascensor;  que o parque era grande, havia o lago na parte superior, muito para ver neste espaço.

Despediram-se de nós, dirigiram-se à loja de recordações.

Subimos ao lago, vimo-los caminhar na direcção da gruta, cá em baixo.

IMG_4154.JPG

Gosto de tirar fotografias dos mesmos locais, e este, em particular, onde se vê a cidade ao fundo. 

IMG_4157.JPG

Pais e filhos passeavam de barco. Do outro lado do parque  as crianças divertiam-se no renovado "parquinho" infantil.

E as numerosas árvores carregadas de camélias dão vida e cor ao espaço.

IMG_4159.JPG

IMG-20180405-WA0014.jpg

 IMG_4163.JPG

Muitos eram os turistas que tiravam a fotografia da praxe, consegui um pequeno espaço para fotografar a minha amiga.

Decidimos fazer o regresso a casa a pé, passamos pela antiga bracalândia que deu lugar ao Instituto de Nano Tecnologia, lembrei-me da "anedota" com imagem  que alguém me enviara e que diz mais ou menos isto: 

Bracarense que é bracarense dirá sempre que foi ao Feira Nova (Braga Parque), que estacionou o carro na Bracalândia ( Instituto de Nano Tecnologia)  e meteu gasolina na Mobil ( BP).

5 km de manhã, mais estes 9,5 km, comentei com a minha amiga que as pernas estavam a dar os mesmos sinais de cansaço da nossa longa caminhada em Barcelona, naquele domingo de Março de 2015.

E por falar em Barcelona, comentei, também,  que "conheço" um blogger que viveu nesta bela cidade, que escreve belos textos dos lugares menos frequentados pelos turistas, e que, quem os lê, apetece meter-se no avião e conhecer o que passa ao lado.

Metemos pelos campos de jogos da Rodovia, em reconstrução, vê-se algum betão (espero que não deja demais), um parque radical já pronto, barras paralelas para os atletas de rua,  novas vias pedonais a alcatroar.

IMG_4165.JPG

IMG_4167.JPG

IMG_4170.JPG 

A M é uma boa companhia ( ela diz que sou a sua mana) tem o tempo muito ocupado com a família e o trabalho, já nem os nossos passeios à noite, pelas ruas da cidade, fazemos.

Gostaria de repetir as nossas caminhadas, as conversas, os desabafos, as gargalhadas.

Foi um dia e tanto, esta quinta-feira.

 

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

a cidade

por Maria Araújo, em 24.02.18

Na 5ª feira, depois do almoço, com tempo para dar um salto à Foz do Arelho, deixei a visita à cidade de Caldas de Rainha para 6ª feira, perguntei na bilheteira a hora do transporte: "às 17h30", foi a resposta. Estava fora de questão,  três horas era o tempo que desejava ficar lá.

IMG_20180222_152454.jpg

Alterei os planos, fui conhecer o centro da cidade: o Parque D.Carlos I. Mal passei o portão percebi que estava num extenso parque onde, àquela hora, pessoas de todas as idades passeavam e/ou sentadas nas esplanadas dos cafés existentes deliciavam-se com o sol quentinho da tarde fria de inverno. 

IMG_20180222_153003.jpg

Do belo mas degradado edifício que chama a nossa atenção lamentei o seu estado, imaginei alguém com muito dinheiro capaz de fazer daquela espectacular construção um hotel termal.

IMG_20180222_152547.jpg

IMG_20180222_152934.jpg

O lago é o centro das atenções das crianças e adultos, o Museu José Malhoa ao fundo, o Parque das Merendas, o campo de ténis, as várias estátuas, as despidas árvores que ladeiam os caminhos, estarão, na estação que se aproxima, repleta de folhagens verdes darão um cenário lindíssimo ao longo do parque e um lugar ainda mais apetecível a todos.

IMG_20180222_153623.jpg

IMG_20180222_153653.jpg

IMG_20180222_153350.jpg

IMG_20180222_154417.jpg

IMG_20180222_154629.jpg

Na loja Bordalo Pinheiro foi-me dito que o edifício foi comprado, será um hotel num futuro breve. Fui procurar a sua história e encontrei-a aqui.

IMG_20180222_155743.jpg

Um parque que fez as minha delícias, saí pelo lado oposto, que entrara, vejo à minha frente a loja de fábrica Bordallo Pinheiro.  Subi ao 1º andar, o outlet, para ver as oportunidades, comprei três peças a um preço bastante simpático.

IMG_20180222_162703.jpg

Seguindo pela rua paralela ao parque, cheguei ao Hospital Termal Rainha Dona Leonor, fui ter à da Praça da Fruta. Fotos aqui e ali...

IMG_20180222_162517.jpg

IMG_20180223_094224.jpg

IMG_20180222_162754.jpg

 IMG_20180222_162843.jpg

IMG_20180222_163139.jpg

IMG_20180222_164355.jpg

... estava nra hora de regressar a Óbidos para um pequeno passeio pela Muralha e saborear a deliciosa ginginha em copo de chocolate.

 

 

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

Buddha Eden

por Maria Araújo, em 22.02.18

É um grande e bonito espaço de arte,  cultura, luz, religião oriental.

IMG_20180222_110151.jpg

IMG_20180222_111222_BURST001_COVER.jpg

IMG_20180222_112225.jpg

IMG_20180222_112507.jpg

IMG_20180222_112632.jpg

IMG_20180222_113035.jpg

IMG_20180222_114637.jpg

IMG_20180222_115309.jpg

IMG_20180222_124219.jpg

Mas pagar 4 euros pelo comboio que tem três paragens que não servem para nada, foi a desilusão.

Cinco euros para andar nos jardins é justo. Convicta que o comboio levava para outros lugares longínquos, dei por mim, nas segunda e terceira paragens e a poucos metros da primeira, junto às estátuas, onde ficara para ver os jardins. Afinal, para ver estes, tive de voltar para trás.

Comboio? Não aconselho. Um modo de sacar dinheiro.

Acredito que no verão seja mais complicado, mas para quem não tem problema algum em caminhar e ver o que interessa e com  pormenor, dispensa-o. E 3 horas são suficientes. Eu vi em 2h.

Gostei da visita, do espaço, do ambiente, dos alunos de uma escola que pareciam putos de 5 anos que corriam por aqueles caminhos que circundavam os jardins enquanto as raparigas posavam  junto às  imponentes estátuas para as  habituais selfies

Não fui á prova de vinhos. Não bebo sem comer.

De tarde, fiquei na cidade de  Caldas da Rainha, onde se pode desfrutar do enorme, fresco,  soalheiro  e belo Parque Dom Carlos I

IMG_20180222_153003.jpg

IMG_20180222_154315.jpg

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lisboa é

por Maria Araújo, em 05.12.17

uma bela cidade. De manhã, apesar do frio, fui dar uma pequena caminhada pelo Parque Eduardo VII e a paisagem é esta.

Do Restaurante Eleven, estas fotografias

IMG_20171205_092120.jpg

IMG_20171205_092134.jpg

IMG_20171205_092406.jpg

IMG_20171205_092642.jpg

IMG_20171205_092715.jpg

Na descida do Parque

IMG_20171205_093011.jpg

IMG_20171205_093104.jpg

IMG_20171205_093512.jpg

IMG_20171205_093621.jpg

Adoro esta cidade mas lembrando o saudoso Zé Pedro e os Xutos & Pontapés, "Que saudades que já tinha da minha alegre casinha...", depois de missão cumprida, hoje, regresso a casa.

 

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

viver a cidade

por Maria Araújo, em 20.11.17

Desde o início do verão passado que não caminhava pela via pedonal da Rodovia. Com este tempo soalheiro, temperatura agradável, o ideal para caminhar, ontem, resolvi voltar a fazer o percurso da via pedonal mas na direcção do Bom-Jesus.

IMG_20171119_112738.jpg

O rio Este tem pouco água, mas na pedra desnivelada do seu caminho ela cai e ouve-se o seu som sereno despertando-me o pensamento, talvez a chamar a atenção que há muito limpeza de vegetação a fazer.

IMG_20171119_132350.jpg

Quando cheguei à zona dos campos de jogos, à excepção destes que continuam a funcionar, toda a zona pedonal está vedada.

O parque está em obras (e bem precisava) penso que tem a ver com o evento Braga Capital Europeia  do Desporto que terá lugar no próximo ano.

 

 

 

 

A Câmara de Braga tem feito um bom trabalho na recuperação dos espaços verdes tão importantes  para os bracarenses.

IMG_20171119_132316.jpg

As duas vias passaram para o outro lado do rio Este: uma para ciclistas, outra para peões, que se prolongam até ao hotel Mélia, como já tinha referido aqui.

IMG_20171119_132221.jpg

Famílias passeavam pelo caminho a si destinados, os ciclistas o seu, crianças que nas suas bicicletas seguiam os pais.

IMG_20171119_132404.jpg

Cruzei-me com a minha irmã que caminhava com a nossa prima. Vi pessoas conhecidas que corriam ( ai, não, correr, não!), e um amigo meu que, "vestido a rigor" na sua pedalada para os lados do Bom-Jesus, se não me chamasse, não reparava nele. 

IMG_20171119_132256.jpg

 

Meti pelo passeio da Rodovia, sempre ao lado do Instituto Nano Tecnologia, passei nos campos de ténis, que estavam cheios de "desportistas" de fim de semana.

IMG_20171119_114956.jpg

IMG_20171119_120217.jpg

 

Há quem diga que temos o Bom-Jesus e o Sameiro lá em cima que nos convida a respirar e  a viver a beleza dos seus templos e do ar puro, mas também precisamos de viver a cidade e nisto os bracarenses fazem-no muito bem.

IMG_20171118_165458_765.jpg

À tarde, fui dar um abraço à minha Sofia, que veio passar o fim-de-semana, mas a estudar.

Fui com ela até à estação de comboio, seguiu viagem para o Porto.

No próximo fim de semana a Tuna Feminina vai actuar numa cidade do interior do país e sendo um elemento do grupo, também vai.

 

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

sobre nada

por Maria Araújo, em 07.11.17

O fim de semana foi calmo, conheci o meu lindo sobrinho neto, fui ver a Exposição " Do Outro Lado do Espelho", na Gulbenkian, dei um salto à Área, nas Amoreiras, que fica a dez minutos da rua onde vive a minha sobinha, dormi muito mal, tinha o corpo dorido, domingo vinha no comboio e dizia a minha irmã que as minhas olheiras eram profundas ( e o meu cansaço é  mostrado por elas).

Mesmo assim, ontem fui ao ginásio. Depois da aula, tomei o café no bar e deixei-me estar na treta com uma senhora que faz as mesmas aulas e adora antigravity quanto eu.

À tarde, apeteceu-me fazer umas compras de meias, e ainda bem que fui, encontrei uma amiga que não via desde Junho, decidimos ser eu a marcar o jantar de Natal, caso contrário, com o trabalho, a filha, o namorado, o pai, as prioridades da vida, ela adia, não tem tempo para nada, não vai a lado nenhum. 

Deitei-me tarde, como sempre, mas muito cansada. De manhã acordei para marcar as minhas alulas no ginásio, voltei a adormecer, acordei às 10h30. " Que bom!", comentei.

Decidi ir à feira semanal, cheguei a casa às 13h25, fiz um arroz de grelos e petinga frita para o almoço.

A tarde seria para fazer a limpeza da cozinha e da marquise ( a empregada nunca a faz, nem lhe peço porque ela limpa-a mal) quando acabei esta tarefa, e contrariamente ao normal, só liguei o computador às 19h25.

Tenho um cesto de roupa para passar a ferro, mas não é hoje que o faço.

Tudo isto para dizer que não me lembrava de estar tão bem, fazer as coisas sem pressa, deixar o blog para segundo plano, por que desde que aqui fui, a minha vida está mais serena.

E hoje, depois da feira, onde comprei uma toalha de Natal gira, por 7,50 euros, apenas porque de um lado precisa de ser cosida, passei no Parque da Ponte de São João e tirei as fotos do meu outono. 

E é este o meu post sobre nada.

 

IMG_20171107_124502.jpg

IMG_20171107_124728.jpg

IMG_20171107_124744.jpg

 

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

e ela continua

por Maria Araújo, em 30.06.17

quarta-feira, 10h15, hora que cheguei ao ginásio porque não despertei,  parque bastante cheio, perto da entrada da acesso ao elevador, no mesmo lugar, na mesma posição, lá estava ele:

 

20477347_ZzH1k.png

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

coisas do meu dia

por Maria Araújo, em 09.06.17

entrada garagem.jpg

 

Hoje deu-me para fotografar o que há algum tempo acontece aqui na rua, mesmo em frente à entrada que dá acesso às garagens do meu prédio.

Paga-se estacionamento nesta rua há vários anos. Existe uma placa mesmo em cima da curva, tem duas máquinas, no início e no fim da rua, que facilitam a recolha do bilhete.

No entanto, em toda a rua há dois ou três lugares entre garagens que têm uma árvore que  separa os lugares pintados no chão.Quem estaciona aqui não tira otbilhete porque o lugar não está marcado para estacionamento.

Ora quem conhece isto, vem de  manhã cedo para conseguir lugar para o seu carro.

Já foram muitos os carros aqui estacionados, uns mais compridos que outros, que ficam o dia inteiro, os seus donos vão à vidinha tranquilos.

Acontece que nem todos estacionam os carros de molde a não perturbar quem entra e sai das garagens. Pelo menos entre a minha e do prédio do lado. Bora lá aproveitar. Estaciona-se, e já está.

Ultimamente, um monovolume tem tido a sorte de ter o lugar para si. Estes carros são um pouco compridos, a rua não é larga demais, quem estacionar entres as árvores evita fazê-lo na perpendicular, logo acompanha as linhas  oblíquas marcadas no chão. Mas a traseira fica de tal modo para o lado de dentro que ocupa metade do espaço da entrada para as garagens. 

O meu carro é pequeno, sai bem, mas os carros dos vizinhos de cima são compridos e para sairem têm de fazer algumas manobras, caso haja algum carro estacionado (pago),do outro lado.

Dá-se um jeito, consegue-se fazer as manobras, mas considero uma falta de respeito estacionar o carro  como mostra a fotografia acima.

São várias as vezes que também estaciono o meu carro pequeno em frente à árvore, mas tenho o cuidado de o deixar na vertical para que a traseira não ocupe  essa metade do espaço de acesso às garagens.

Há cerca de dois meses decidi estacionar o carro no parque de estacionamento do ginásio. Pago, mas não tenho o inconveniente de me molhar nos dias de chuva e nos dias quentes de o deixar ao sol.

De manhã há sempre lugares vagos, quem vai ao ginásio estaciona nos lugares mais perto da entrada que dá acesso ao elevador.

Eu estaciono sempre onde há lugar vago e ponto final.

Ora hoje, haviam muitos lugares. Encontrei um que me dava jeito para depois sair de frente, mas desisti.

É que há quem queira tudo para si.

Incrível!

 

parque hp (2).png

 

 

 

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)


Árvore de Natal e da vida


foto do autor


o meu instagram


2º desafio de leitura

desafio


Desafio - Foto da Semana


10 anos



Encontros - eu fui

IMG_2230 (2).JPG MARCADOR


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D