Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

estive na praia

Maria Araújo, 26.05.20

Não fui no fim de semana, fui hoje, com uma temperatura de Verão.

Passei por Apúlia para comprar legumes, e o pão-doce que me leva à infância e adolescência na praia com a família.

O meu sobrinho neto adora o mar, é preciso uma ama para o levar constantemente  molhar os pés.

E quando a mãe o contrariava, vinha ter comigo, dava-me a mão puxava-me e levava-me (se) .

Por vezes corria sozinho, deixávamos por segundos, porque a maré estava baixa, mas uma de nós corria atrás dele, para o agarrar, ele corre muito.

Uma amiga da mãe foi ter connosco, quando percebeu que não o levávamos, aproximava-se dela, puxava-a para que fosse ela a levá-lo.

Incrível a sua paixão pelo mar.

Não costumamos fazer praia  onde está a multidão, preferimos ir para bem longe,onde o areal é extenso.

Fui tomar café, lá de cima da esplanada espreitei a praia,estava bastante composta. Havia distância, alguns grupos pequenos conviviam afastados dos outros que desfrutavam do sol. 

Estamos em maio,há muitas pessoas em lay off, o tempo o está excelente para a praia e "esquecer" os dois meses de confinamento, estes dias sabem pela vida.

Amanhã, voltaria, mas hoje passei na Via Verde, a luz de identificação não deu sinal, e à saída apareceu a luz amarela, o meu identificador deve ter algum problema ( serão as pilhas?) , tenho de ir à loja, não vá num destes dias meter-me na auto-estrada, e de tão habituada que estou a não parar tirar o bilhete, apanho uma multa por infracção.

Sem Título.jpg

IMG_20200526_134001.jpg

IMG_20200526_150924.jpg

IMG_20200526_150929.jpg

 

e hoje, como está a praia?

Maria Araújo, 18.07.16

beach.png

(Leça da Palmeira, 13:10h)

 

antes de sair de casa, devia ter espreitado a beachcam, não gastava gasolina, quando decidi de manhã cedo, ir para a praia.

a 2 km já se via o céu cinzento. " que decepção!", pensei.

fui tomar um café, estava vento oeste, fresco,  mais parecia de sul, a pedir chuva, mas mesmo assim, fui caminhar pela beira-mar na esperança de que esse cinzento desse lugar ao sol, que de vez em quando sorria.

tirei as fotografias dos lugares onde passei belos momentos da minha adolescência  e até cerca dos 30 anos, quando deixamos de ir para aquela praia.

muito destruída pelo mar, pelos ventos e pelo maior destruidor do ambiente, o homem, pois claro, são mais as rochas que o areal de praia de outrora.

mesmo assim, é uma praia que as pessoas do norte escolhem pelo iodo e aquele sabor a maresia que não há na maioria das praias.

passei pela padaria onde vendem um pão doce maravilhoso (saudades desse tempo) mas já tinha acabado.

voltei ao carro, que havia deixado a cerca de 1,5km do centro, pensando que entretanto o sol seria capaz de afastar aquele nublado.

mas não.

meti-me no carro para regressar a casa e o sol brilhava naquela distância de cerca de 2km que separa o interior da beira-mar.

a meia dúzia de quilómetros de Braga, o calor era demais.

bom, não posso fiar-me na meteo.

para a próxima, não me posso esquecer de ligar o pc e ver o estado do tempo à beira-mar.

 

as minhas fotografias

 

 

IMG_20160718_113026-tile.jpg