Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

Os monólogos da vagina

Maria Araújo, 27.09.09

 

 

Foi fantástico esta representação,com três mulheres geniais, vestidas de preto: roupas sensuais, vozes cativantes, gestos e posturas sedutoras.

Todos os monólogos foram alegres, sensuais, atrevidos, sensíveis, tristes, e sobretudo "uma reflexão sobre os nossos próprios monólogos."

Um dos  que me seduziu foi o da mulher que não gostava de ver a sua parte púbica, achando-a feia. Sentia-se embaraçada só de pensar nisso, até  ao dia em que conheceu Bob, o homem que lhe pede para o deixar "vê-la". Ela sentia alguma repugnância em se despir e mostrá-la, mostrando relutância ao pedido dele. 
A partir do momento que ela cede, ele passa horas a "observá-la" .

Desde então ela passa a gostar da sua vagina, a senti-la, a observá-la, também.

 

Depois foram os diferentes tipos de gemidos. Fantástica esta parte, sensualmente bem  representada por Guida Maria.

 

O público feminino estava em maioria.
Tenho a certeza que muitas mulheres aprenderam alguma coisa com estas três actrizes que, de uma forma divertida, chamaram a atenção para um orgão do nosso corpo, muitas vezes subjugado, esquecido, desprezado.

 

 

 

 

 

Os homens que  foram ver este espectáculo  levaram muito que pensar , pelo menos durante esta noite.

 E como disse no meu post anterior, saí do teatro  bem disposta, sorridente, feliz por ser Mulher

 

...

Maria Araújo, 26.09.09

Acordo muitas vezes agitada e pensativa.

Por vezes volto a adormecer, outras não consigo e então, vira para um lado, vira para o outro, até que chegue o amanhecer . Saio repentinamente da cama e vou distrair, com os afazeres habituais, esta mente preocupada.

Hoje acordei às 6horas da manhã. Não me apetecia dormir, mas deixei-me estar.

Ás 8 horas saí da cama. O relógio despertar-me-ia às 10:30h, pois queria ir a uma aula de hidroginástica.

Era cedo de mais.

Decidi corrigir as fichas diagnóstico. Tanta asneira! Tantos espaços vazios!

E ontem chateei-me com os alunos. O calor que invadia as salas punha-os irrequietos e eu estava impaciente. Detesto trabalhar de tarde. As escolas não têm condições ´"físicas" para aguentar este calor.

No último bloco, já não tinha voz.

Custa-me  muito o arranque do ano lectivo.

À noite tinha um jantar de aniversário, que não fui. Nem tampouco para o forró, como previra.

Fiquei em casa a trabalhar.

Depois de corrigir as fichas, fui até à esplanada do café que fica perto de casa. Cedo ainda.

Sentada, pensativa, observando as pessoas que tomavam o café e desfrutavam da conversa de fim de semana.

Fui Fitness.  O  relógio do carro indicava 11:30h e a aula começava a essa hora.

Nunca chego atrasada. A hora do telemóvel é que estava atrasada.

Por sorte a aula tinha começado com atraso, também.

Adoro a hidroginástica. O ruído da água e o movimento dela no meu corpo alivia-me a mente.

Perdi-me noutros pensamentos, mais agradáveis.

Depois da aula fui ao banho turco.

Como sempre deito-me sobre a toalha , a  um canto, levanto as pernas ao alto encostando os pés à parede, ao mesmo tempo que massajo o rosto e a cabeça para sentir-me mais relaxada.

Regresso a casa. Apetece-me sair, dar uma volta pela beira-mar, mas, mais uma vez, o calor convida-me a desistir de conduzir.

Fiquei por casa.

Estou aqui a escrever o que me apetece.
São poucas as vezes que sinto esta tristeza e melancolia... A saudade dos familiares e pessoas amigas  que desapareceram... E outras coisas.

A tarde passa. Vou trabalhar mais um pouco. Depois vou sair. Dar uma volta a pé.

À noite vou ver "Os monólogos da vagina", aqui no Teatro Circo. Tive a sorte de conseguir um bilhete há cerca de 3 semanas, para a plateia.

Não sei porquê,mas acho que vou gostar de ouvir estas 3 actrizes fantásticas e vou sair de lá feliz ,por ser MULHER.