Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

A baby sitter

Maria Araújo, 18.12.13

que há em mim, depois de largos anos sem tomar conta dos miúdos (sobrinhos, o mais novo com 10 anos) que por aqui passaram, diariamente e nas férias de verão, hoje foi o dia de cuidar do meu sobrinho neto, carioca, enquanto a mãe foi tratar de si.

O bebé só me viu nas últimas férias de verão.

Pensei que iria estranhar e choraria com a ausência da mãe.

Andou por aqui a brincar com as molas da roupa, com as cápsulas vazias do café, com as canetas. Nem deu importância à árvore de natal que brilhava com as luzes que se acendiam e apagavam.

Kat a, minha gata, quando o via, encolhia-se e lançava alguns miaus, com os ciúmes e eu sempre atenta que ele não se aproximasse dela, não fosse ela arranhá-lo.

1:30h depois, já sentia a falta da mãe e chamava por ela.

Mas não foi por muito tempo.

Só lamentei o tempo estar de chuva, caso contrário, teria ido para o jardim infantil que há na rua oposta à minha.

 

 

 

 

 

Depois dos eletrodomésticos

Maria Araújo, 02.06.13

é o colchão.

Gaita! Ontem, decidida a aspirá-lo (faço-o sempre que sou eu a aspirar a casa), ao virá-lo para o lado do verão, eis que o rasgo! Pudera, um colchão com uns quantos anos (há já muito tempo que pensava comprar um novo, mas achava que este ainda estava " bom da mola", deixei-me andar...) e agora, é procurar um colchão que não da M*%#*"&», porque nos teste da Deco, foi o pior do teste,  pagar, e "amandá-lo" para a minha caminha paciente e linda de morrer. Já pensei substituí-la por uma daquelas enormes onde cabem 3 pessoas (gosto de camas grandes), mas esta, com a cabeceira em palhinha, foi a minha mãe que me ofereceu há cerca de 33 anos, tenho um carinho especial por ela.

Atão", há que conservar o que tenho e, como estamos em contenção, "carago", o que gastei estes dias (para não falar do seguro do carro e do IMI) estes extras deixam-me de tanga.

Como diz quem ainda tem trabalho: "haja saúde", tenho de aproveitar para remodelar o que não tem préstimo algum.