Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

mimos & fios

Conheci a jovem mulher, via Instagram,  quando a minha sobrinha me falou nos seus trabalhos feitos à mão, que descobriu numa feirinha que se realiza no primeiro sábado de cada mês, aqui  perto de casa.

Ela ficou apaixonada, e encomendou um boneco do cão Scott.

Pelas fotografias a jovem mulher fez um boneco cão, que eu adorei.

E mandei fazer o boneco  da minha gata Kat.

Enviei as fotos.

A minha gata tem uma mistura de cores, pensei que iria dar demasiado trabalho, mas os pormenores de uma pata ser às riscas e a outra ser branca com uma mancha amarela e o nariz ter uma pinta preta, eram o que eu queria que realçasse.

Hoje fui buscar .

Conheci pessoalmente a mulher, uma simpatia.

Gostei muito dos pormenores:  do papel que embrulhava o boneco, o saco, o mimo que me ofereceu e que é um porta-chaves em forma de pata.

A acompanhar, um cartão explica o que é o Amigurumi, a técnica oriental milenar que consiste em confecionar bichinhos tridimensionais em crochet ( ami=malha, e nuigurum=boneco de peluche); outro que refere  os cuidados a ter na lavagem e secagem,  assim como as palavras de  agradecimento pela compra deste mimo.

Então, os pormenores do papel, do saco e  da Kat boneco.

IMG_20220803_201702.jpg

mimos-e -fios, no instagram

dia 17 de Fevereiro

7401fa42bb1bb3705ec49b7f7d29d242.jpg

que dizem ser o dia mundial/ internacional do gato.

Mas também há quem diga que é o dia 8 de Agosto.

Seja ou não seja, a minha gata não dormia aos pés da minha cama desde o Outono e até ontem.

Este época de Inverno, tem procurado o sofá da sala ou o do escritório para dormir.

Ontem, deitei-me no sofá da sala a fazer uma sesta, sentou-se em cima de mim, adormecemos as duas, até o telemóvel tocar.

Depois, ao final da tarde, fui dar com ela no canto da minha cama e à noite, quando fui dormir, lá estava ela, de novo, a um canto da cama.

Pensando eu que ela ia sair do quarto, em vez disso, deixou-se ficar.

Deitei-me. E ela ficou, também, a dormir.

Acordou-me às sete horas, como sempre, para abrir a porta da varanda.

Voltei para a cama e adormeci.

Felizmente, o telemóvel despertou-me para me levantar e ir ao ginásio, pois tive um pesadelo cujo tema era elevadores. Odeio sonhar com elevadores e comboios. São sempre negativos e turbulentos.

Então, sendo ou não o dia mundial do gato, aqui fica uma foto acabadinha de tirar à Kat, que se senta numa cadeira da sala a apanhar este bocado de sol que entra pela janela.

1581957845752.jpg

 

 

 

 

 

 

 

a minha gata põe-me doida

Este inverno, a Kat não tem ido para o meu quarto deitar-se sossegada num dos cantos da cama.

Ontem, entrou, não saiu, percebi que, quando desligasse a luz, saltaria para a cama e lá ficaria a dormir.

E assim aconteceu.

Por volta das 6h30, acordei com o miado forte, a dar-me sinal de que queria alguma coisa.

"Shiu! Calou!", respondi eu.

Mas ela continuava.

Fome não era, deixara o suficiente para a noite e o dia de hoje.

Com o pretexto de ir à casa de banho ( quem toma chá à noite, acorda a qualquer hora para fazer o xi-xi)  levantei-me, ela solta novo e alto miado, fui ao quarto da varanda, puxei o estore, abri a porta, ela saiu, foi arejar.

Voltei para a cama.  Mas o sono não quis nada comigo.

Seriam 7h00, a danada volta aos miados estrondosos capazes de acordarem os vizinhos.

E eu, quietinha, debaixo dos lençóis e do edredom, mandava-a calar.

Depois, ouvia-a correr pela casa, parava à entrada do quarto, porta aberta, que ela poderia saber fechar ( era bom, não era?!) olhava para mim e miava.

"Cala-te, Kat. O que queres?", perguntava eu baixinho de modo que ninguém me ouvisse. E voltava a esconder-me debaixo do edredom.

Às tantas, já perto da 9h00 e quando, finalmente, o sono estava a chegar, ela salta para a cama, deita-se num canto e ficou.

Eu adormecei, também, mas por pouco tempo.

Hora de me levantar, estore para cima, puxei o edredom para o fundo da cama, que a cobriu. Eunca mais ninguém a ouviu.

Fui às compras, apanhei uma molha da muita chuva que tem caído neste dia, cheguei a casa por volta das 13h00. Fiz o almoço, preparei uma coisas para o jantar da mana mais nova ( hoje é o seu aniversário).

Há pouco, lembrei-me que a cama estava por fazer, a Kat não dera mais sinal de si, estava ainda na preguiça do quentinho da cama.

Entrei no quarto, levantei o edredom, lá estava ela a dormir.

Peguei nela e resmunguei: " Sua preguiçosa, que me acordaste cedo, não me deixaste dormir, vingas-te de mim ficando na cama até esta hora?! "

E dei-lhe uns beijinhos no pêlo, pousei-a no chão e tratei de arrumar o quarto ( eu não gosto de deixar a cama  por fazer tantas horas).

E voltou aos miados.

Não sei o que ela quer. Deixa-me doida e preocupada.

13997879_usuKc.jpeg

(foto de 2012)

 

 

o meu sono

Há dias que a Kat me tira do sério.

Já estava a habituar-me ao sossego da manhã, de dormir tranquila, mesmo que ela entrasse no quarto, se deitasse aos pés da cama, que logo a seguir saía e dormia onde entendesse.

O que acontece é que há cerca de dez dias, às 6h, entra no quarto, passeia em cima das minhas pernas, e com as patas e a boca agarra e morde-me os pés. 

Não me deixa dormir.

Ralho, ela foge, tento adormecer, ela regressa ao quarto , volta ao mesmo.

Levanto-me, abro o estore da varanda, lá vai ela... E volta à cama, aos meus pés.

O meu sono vai-se.

Agitada que anda, deixa-me stressada.

À noite, caio de sono mal me sento no sofá.

Durante o dia, ela vai para o cesto e fica horas na preguiça e a dormir.

Hoje,  às 6h30 era o texas. Ela a brincar com os meus pés. Mal eu dizia: "Kat!", ela fugia. Mas voltava.

São 9h, ando aqui desde as 7h. 

Não gosto de andar na net de manhã.

Mas é ela que me faz estar aqui. Sem sono, o que fazer ?

E hoje, o dia de ginásio é à tarde.

13006518_hFweL.jpeg