Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

tirinhas do século XX

 

IMG_20201002_140211.png

 

no feed de notícias que recebo no telemóvel li que a SIC noticiou a homenagem que o autor brasileiro de "A Turma da Mónica"  prestou a Quino, com uma imagem que mostra o sentimento de dor das duas meninas sul-americanas, e que pode ser vista na página do instagram de A Turma da Mónica.

fui fã de estórias contadas nas tirinhas:  Snoopy e Charlie Brown, Garfield, a Turma da Mónica, do Calvin & Hobbes, do Mickey, do Tio Patinhas e os Irmãos Metralha e da Maga Patológica, do Zé  Carioca e Rosinha, do Pato Donald e os sobrinhos escoteiros  Huguinho,  Zezinho e Luisinho, e muitas outras( de cow boys,também) que ficaram no baú dos cartoons do século passado.

vieram  mais tarde o Astérix e Obélix, Lucky Luke, SuperHomem, Tintin e Corto Maltese (este já pertencia ao gosto do meu irmão mais novo) e outros génios da banda desenhada que já não acompanhei.

tenho alguns livros destes últimos,mas os das tirinhas que muito gostava e que lia no meu tempo de adolescente,não tenho nada.

e neste post relembro, em imagens, alguns dos que foram os meus preferidos, e que fui buscar ao pintarest e outros sites.

mafalda-anonovo.jpg

 

fc808707ca2e3db8822f69e48f59ee5c.jpg

 

arvore_patologica.jpg

imagem-166-696x485.jpg

MICKEY_007.jpg

6 - PD2446p46.jpg

tTIzPsr.jpg

xmafalda2.jpg.pagespeed.ic.C2a1LTQDVa.jpg

 

Garfield.jpg

 

1.gif

 

Dia da Terra ( e das recordações)

hoje é  o Dia Mundial a Terra, o dia que nunca esquecerei o último dia de vida do meu cunhado, pai da Sofia, no ano de 2002.

Estava um dia quente, saí do trabalho por volta das cinco, estacionei o carro, fui vê-lo ao hospital, na altura aqui perto de casa.

Estava tranquilo, olhar perdido na parede branca do quarto, a minha irmã e a irmã dele calçavam-lhe as meias nos pés que elas diziam estarem frios.

Estava afasta da dele,observava-as, e a ele.

A minha visita fora rápida e fizera-a porque o meu coração pedira-me para ir vê-lo.Em nenhum momento ele falou.Deixava que elas tratassem de si.

De repente, pareceu-me que, ao ver-me, esboçara um sorriso.E o seu olhar perdeu-se de novo na parede branca do quarto.

Depedi-me delas, porque não sei se ele me ouviria, com um adeus e saí do quarto a chorar perdidamente.

Tendo estado nos finais desses dias a cuidar dos meus sobrinhos enquanto a minha irmã cuidava do marido, nesse final de dia ela não chegava para jantar, queria dar de comer aos filhos,eles precisavam de dormir.

Ligou-me para lhes dar de comer, chegaria por volta das 21horas. Chegou logo a seguir,muito triste, o marido estava muito mal. Não jantou.

Por volta das 21h30m, o telefone tocou,atendi,pediram-me para a chamar.

Era um dos cunhados,disse-me ao telefone que o D tinha falecido.

Os meninos dormiam,vieram os irmãos buscar a roupa para o vestirem,não deram por nada.

Foi triste.

No dua seguinte, a Sofia foi para a creche, o mais velho para a escola, frequentava o 6º ano.

A mãe foi buscá-lo à escola, à hora do almoço. Foi nesta hora,  à porta da minha casa,  que ele soube da notícia.

Saiu do carro, pegou no telemóvel, foi aos contactos e apagou o número do pai.

Ele tinha uma  admiração infinita pelo pai.

Almoçávamos todos cá em casa.

Eu vi da janela.

Faz hoje dezoito anos que o D faleceu.

Passaram rápido, estes anos.

Mas houve muita dor e revolta. Mas tudo tem o seu tempo,tudo se regenera.

Ficam as recordações e a saudade.

Um livro WOOK,que encontrei neste site,fala disto mesmo:

arvore.jpg

texto.jpg

 

uma homenagem confinada

Foi no dia  15 de Abril de 2019 que estive contigo pela última vez.

Os nossos passeios a quatro, por vezes seis, eram muito bem passados, tínhamos o dia todo para nós.

Vinhas com a tua esposa até Braga, seguíamos para outros destinos,ou ficavamos por cá, era tudo combinado atempadamente..

Há um ano, fomos de boleia com o marido da tua grande amiga ,e cúmplice, até Ermesinde. 

Uma manhã de chuva, nem de propósito o nosso destino era Casa da Música,que eu conheço bem,mas a nossa amiga não.

IMG_20190415_104920.jpg

IMG_20190415_111354.jpg

21420426_lez7H.jpeg

21420419_HGGKy.jpeg

IMG_20190415_112531.jpg

IMG_20190415_115453.jpg

(imagem da nossa amiga C)

 

21420424_8ugUm.jpeg

21420422_PZj3S.jpeg

Seguimos depois para o almoço, levaste-nos para aqui

IMG_20190415_172834.jpg

(imagem da nossa amiga)

O almoço foi tranquilo,como sempre foram os outros embora mais animados na conversa,neste estavas mais calado.Tu já sabias o que te esperava, mas não deixaste de fazer o teu papel de anfitrião.

A chuva passara e dera lugar ao sol quentinho.

Depois do almoço, fomos dar um passeio pelo pequeno mas simpático parque onde passeavam os gansos; ouviam-se os pássaros naquele agradável espaço dentro do movimento de viaturas e pessoas desta cidade.

21420466_zkpTg.jpeg

21420491_6sf3j.jpeg

21420487_2Y0AA.jpeg

IMG_20190415_150900.jpg

IMG_20190415_150411.jpg

(estas duas imagens da amiga C)

Ficamos por cá o tempo suficiente para conversarmos, andava eu aqui e ali a fotografar o que gostava e,sabes? nãosei onde guardei as imensas fotografias que tirei.

Tive de procurar no post que escrevi aqui,no ano passado.

Prometera a mim mesma que hoje iria recordar este que seria o último dia dos nossos passeios por este nosso belo país.

Tivemos outros, que fizemos contigo, nos nossos encontros de bloggers, e que ficarão para sempre guardados nas nossas memórias.

Nunca me cansei,nem me canso, de pensar e de dizer que foste, aliás, és um amigo incondicional,uma pessoa simples,humilde,culta,uma fonte inesgotável  de amizade e conhecimento ( quantas horas "perdi" a decifrar os teus enigmas; quantas vezes na hora do almoço desligava o pc para ir almoçar,quase no limite da hora de recomeçar o trabalho; quantas vezes esqueci a comida que cozinhava para o jantar, nem dava pelo cheiro a queimado  ...e tu sabias disso).

"Aprendi, em tempos, que devemos procurar manter os nossos pensamentos no sentido que eles melhor nos sirvam !!! ... É assim que eu faço sempre ! ... É importantíssimo !!!"

Aprendi muito contigo.

Obrigada.

Um abraço, onde quer que estejas,Rui.

Para sempre, a tua amiga deste cantinho.

a canção, o filme, o actor

Saía de casa quando na RFM aquele primeiro acorde de umas das mais belas e eróticas melodias, que gosto de ouvir com o volume suficientemente alto, mas que não incomode ninguém, «You can leave your hat on»  de Joe Cocker, traz-me algumas recordações... Também do filme «Nove Semanas e Meia», na minha opinião, dos filmes ( há outros) mais sedutores e eróticos que já vi.

 

 

Era cedo para a aula de Pilates, sentei-me num dos sofás a ver uma revista quando vejo alguém aproximar-se, estender-me a mão ao mesmo tempo que me dá um beijo ( a primeira vez que um professor me dá um beijo) na face e diz: " gosto de a ver aqui, nunca falha".

As palavras que me deixaram com um brilho nos olhos eram dele, do professor de Pilates, um homem jovem, olhos azuis, bonito, e com um humor requintado ( agora é que não vou faltar aos sábados).

Depois do almoço, entro na página principal do Sapo.

Fiquei estarrecida com este título . Li a notícia.

Doeu-me tudo; o coração e a mente.

Procurei outras notícias mais positivas. Páro e leio esta : " Mickey Rourke faz hoje 65 anos: quem o viu e quem o vê".

"Coincidência", comentei: "  A canção, Joe Cocker, 9 Semanas e Meia, Mickey Rourke. Ao serão, vou rever o filme".

A minha homenagem ao actor, com uma das cenas mais eróticas do filme «Nove Semanas e Meia».

 

 

 

tinha uma grande admiração por ela

Conheci-a no primeiro encontro de bloggers, em Monte Real. 

Poucas vezes visitava o seu cantinho. Mas nunca a esqueci. Como nunca esqueço os amigos  dos nossos encontros.

Há pouco, neste blog, li a notícia.

Não me ocorreu que seria a Teté dos nossos encontros.

No mail, tinha uma mensagem.

A Teté, uma mulher bem disposta, sempre com um sorriso nos lábios,  que adorava o convívio,  se a saúde o permitisse, deixou-nos.

Fica a memória dos bons momentos que passamos juntos, desse sorriso cheio de esperança . E de um exemplo de luta para todos nós.

Nas últimas palavras escritas no seu blog,

"Infelizmente, um novo internamento hospitalar - mas desta vez sem programação ou diagnósticos concretos - vai determinar um silêncio idêntico.
 
CARPE DIEM, AMIGOS!"
 
 

O Rui, amigo e mentor dos nossos encontros diz, e muito bem:

«Chorar e escrever sobre o assunto, é, também uma forma de luto ! Uma forma de "deitarmos cá para fora" qualquer coisa que nos alivie e nos faça sentir melhor.

Neste momento, só me ocorre dizer :


Estarás SEMPRE entre nós e na nossa memória, mas estejas onde estiveres, ...

Minha Querida Amiga , ...  Uma Enorme BEIJOCA e as minhas lágrimas sentidas, por TI !!!

... e obrigado, por ter tido o privilégio de teres sido minha Amiga !»

 

408265_409824319078001_177052147_n.jpg

(imagem do perfil do blog da Teresa)

 

 
Um silêncio que foi para sempre.
 

Um abraço, Teté.

 

 

 

ADITAMENTO :  O BLOG DA NOSSA AMIGA :     QUIPROQUÓ

HOMENAGEM DOS AMIGOS :
DE MÃOS DADAS, POR ELA,  DE MÃOS  BEM APERTADAS E  TODOS EM SEU REDOR ,  COMO NUM ABRAÇO COLECTIVO,  EM COMUNHÃO DE SENTIMENTOS :

FATIFERANDO
JARDINS DE AFRODITE
O PACTO PORTUGUÊS
PAPOILABLOGSPOT
O CANTINHO DA JANITA

COISAS DA FONTE
FLOR DE JASMIM
CANTINHODACASA
SENTAQUI
À ESQUINA DA TECLA
DONA-REDONDA
PICOSDEROSEIRABRAVA

RAFEIRO PERFUMADO

CELULOIDE SECRETO, OUTRO VIÉS

uma homenagem

A Lu era a amiga de curso e de grupo da minha amiga de coração, Nélinha.

Conhecemo-nos há bastantes anos, embora fossem poucas as vezes que nos encontrássemos.

Em 2006, não sei como, juntámo-nos para passarmos uma semana de férias nas Ilhas Gregas.

Foi uma semana deliciosa.

Das duas amigas da minha amiga de coração, a Lu mostrou ser uma rapariga muito simpática, bem humorada, humilde, simples, muito simples.

Desde então, encontrávamo-nos para um jantar, ou café.

Mas o tempo passa, os encontros acabaram,casualmente a Lu e a Nelinha, grandes amigas, encontravam-se.

Não via a Lu há alguns anos.

No passado verão, soube que ela estava doente.

Fiquei sem palavras. A partir desse dia, antes de dormir, o meu pensamento faz uma pequena revisão do dia. E ela e outras pessoas também queridas, são lembradas.

Uns dias antes do Natal a Lu viu-me na rua e chamou-me.

Se ela não o tivesse feito, eu não reparava nela.

Gorro na cabeça, com muito bom ar, contou-me o que lhe acontecera.

E, no dia seguinte, novos tratamentos iriam ser feitos, visto que os anteriores não surtiram efeito no corpo.

Despedimo-nos.

Segui o meu caminho com lágrimas nos olhos. Mas sentia que ela conseguiria vencer o maldito cancro.

A Lu fez 50 anos no passado dia 19.

No sábado, estava eu deitada a descansar da longa caminhada que fiz, recebo uma sms que dizia " A Lu está muito mal".

Apenas respondi " Não quero que me digas mais nada".

Passei todo o fim-de-semana a pensar na Lu.

Hoje de manhã, acordei a pensar nela e na maldita doença que matou a minha mãe e os meus irmãos mais velhos.

Depois de tomar o pequeno-almoço, peguei no telemóvel.

Tinha uma sms da Nelinha: " A Margarida ligou agora... a Lu faleceu".

O cancro não lhe deu hipótese de ela lutar.

Para ti, as poucas fotografias que tenho da nossa viagem às Ilhas Gregas.

Fica em paz, Lu.

 

P8120007-vert.jpg

 Fotos da nossa viagem às Ilhas Gregas

 

1ª foto - antes de embarcarmos no autocarro que nos levaria a Lisboa

2ª foto - as três amigas de escola e de curso ( Filosofia)

3ª foto - a Lu

 

 

em setembro

atenta ao cartaz, e porque há muito desejava ver o grupo Harlem Gospel Choir  mas nunca conseguira bihetes, desta vez, foi em setembro que comprei.

Hoje é o dia.

 

Sem Título.png

 
HOMENAGEM A ADELE
 
Já é o sétimo ano consecutivo na crescente história que une o Harlem Gospel Choir de Nova Iorque a Portugal sendo que desta vez as datas que apresentarão no nosso país na época festiva do Natal se integrarão numa mais alargada digressão Ibérica, sinal do impacto crescente que uma das mais celebradas formações deste género vem conseguindo do lado de cá do Atlântico.
 
O Harlem Gospel Choir, talvez o mais famoso grupo de gospel do mundo neste momento, já trouxe a Portugal espetáculos de homenagem a gigantes da música como Michael Jackson, Stevie Wonder ou Whitney Houston, compositores de méritos mais do que reconhecidos que nas experientes vozes deste grupo se tornam também autores de hinos universais capazes de capturar o espírito de uma época muito especial. Desta vez trarão na bagagem canções de uma das mais aplaudidas vozes da actualidade, Adele, cuja música, que lidera tops em todo o mundo, inspira um sentido tributo que é também uma oportunidade de celebração do que de melhor a vida nos oferece: o amor, pois claro.
 
Consigo, o Harlem Gospel Choir trará, além das canções de Adele que todos conhecem, uma vasta experiência própria de um colectivo que já cantou ao lado de ou para gente tão importante como Nelson Mandela, o papa João Paulo II, Paul McCartney, Diana Ross, U2 ou Gorillaz, entre tantos outros, que tem quase três décadas de uma história cheia que lhes permitiu colecionar muitos sucessos que agora se traduzem num envolvente espetáculo, capaz de elevar os espíritos e de inundar de paz qualquer plateia.
 
O convite é para uma celebração muito especial e dirige-se a toda a família. A banda sonora, essa será de luxo e entregue com o inimitável estilo do Harlem Gospel Choir: Adele como nunca a ouviram antes.