Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

dia mundial da paz/ gratidão

Maria Araújo, 21.09.19

dia 21 de Setembro  

"O fim deste dia é que a pessoa faça algo pela paz. Entre outras ideias, pode colocar uma bandeira branca na sua casa, perdoar um amigo, fazer um donativo, juntar-se aos eventos realizados pelo mundo, partilhar a página oficial deste dia ou a música Imagine de John Lennon nas redes sociais ou assinar petições que circulam pela internet pela paz."

Paz, é viver a família com os valores que recebemos dos nossos avós e pais, transmiti-los aos nossos filhos, netos, sobrinhos netos...É apoiá-los(as)  nos momentos mais frágeis da vida, sobretudo quando se é mãe, e pai, e jovem.

Gratidão é cuidar das crianças, é ser feliz com elas, é dar-lhes amor e carinho, é dizer "não", é fazê-las crescer , é brincar com elas, sem pressa, sem  tempo.

 

 

 

apeteceu-me criticar

Maria Araújo, 07.01.19

Detesto homens maduros que usam o cabelo comprido.

rabo-hipster.jpg

(imagem da internet)

Na loja de fotocópias, à minha frente, estava um homem dos seus 50 anos que apresentava um cabelo muito comprido, preso com um elástico.

Coloquei-me junto ao balcão, ficamos separados por escassos centímetros, apeteceu-me observá-lo melhor, mas de uma forma discreta.

O seu perfil direito destacava um piercing que, da hélice ao lóbulo, atravessava  toda a orelha, que era "decorada" com um alargador. A têmpora estava tatuada e pendurado no lóbulo do nariz um piercing, barba de comprimento médio, completavam o visual  do seu rosto.

Mãos pequenas, unhas pequenas de roídas, todos os dedos de ambas as mãos tinham pequenas tatuagens.

Cada pessoa tem o direito de fazer o que quer do seu corpo mas não consigo entender o que leva os homens maduros a usarem o cabelo comprido que, na minha opinião, causam mau aspecto. Penso em oleosidade e caspa. 
E mesmo com um cabelo saudável e bem tratado, não gosto dos cabelos longos nos homens de meia idade.

 

Fui aos CTT enviar o livro do Desafio de Leitura, juntaram-se várias pessoas à entrada. Quando cheguei à porta puxei-a para entrar, duas mulheres chegaram a seguir e como eu sou delicada, dei-lhes a vez, segurando a porta.

Entraram, foram directas à máquina das senhas, comentei baixo mas de maneitra que ouvissem " nem obrigada dizem".

Fico fula com esta gente.

img_796x493$2016_03_17_19_24_14_280167.jpg

(imagem da net)

 

Não suporto a pouca privacidade que o Banco CTT proporciona aos seus clientes. Não há divisórias que separe  as  mesas de atendimento ao cliente, nem daqueles que vão  para o balcão do correio.

É tudo à vista e ao ouvido de quem está por ali à espera de ser atendido.

Mesmo ao lado dos CTT aqui da zona, há um pequeno espaço, que já foi um banco, para alugar, pergunto porque diabo o Banco CTT não passa para lá.