Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

sobre a gasolina

ao preço que a gasolina está, e a continuar a subir, comentei com a minha irmã que nos dias de sol vou passar a ir para o ginásio de autocarro.

tenho um ginásio aqui perto, pensei mudar,  mas eu gosto de mais do HP: gente simpática, boas instalações, o bar para me entreter a navegar na internet enquanto tomo o café.

as paragens dos autocarros ficam a 100m  de casa.

um deles pára junto do ginásio, o outro obriga-me a subir uma rua com inclinação acentuada, mas nada que as minhas pernas não consigam.

pois então, vou comprar uma série de títulos de transporte.

não vai há muitos meses que atestava 35 euros, dava-me para quase todo o mês. usava, e uso, o carro para ir ao ginásio e levar, ou buscar, o menino ao colégio, e à natação, nos arredores a cerca de 5km 

agora, gasto o dobro a fazer as mesma coisas.

hoje,fui a pé buscar o menino.

 

 

 

 

 

o fim das restrições

pilates-em-grupo.jpg

recebi o e-mail do ginásio a informar o fim das restrições:

 
"De acordo com novas medidas anunciadas pelo Governo, a partir de hoje, já nos é possível retomar a capacidade de ocupação de todas as áreas do clube (ginásios, estúdio e piscina), respeitando sempre o distanciamento de segurança previsto nas recomendações da DGS. Este retorno à normalidade permite-nos voltar a acomodar todos os sócios com a qualidade e segurança com que sempre nos comprometemos.
Reforçamos que nas zonas de circulação do clube continua a ser obrigatório o uso de máscara, e que para a sua maior comodidade, deve continuar a efetuar a marcação, de qualquer atividade (aulas, piscina, ginásio, entre outros), na aplicação.

Este é mais um passo em frente para regressarmos à normalidade pré-pandemia, mantendo os padrões de excelência do ..."
 
Esta semana não fui às aulas, mas verifiquei, na semana passada, que o estúdio tinha mais pessoas. 
Amanhã, com certeza, voltará a ter o número limite.
Não vou gostar disto.
E continuarei a usar a máscara.
 
 
 
 

fiz uma aula de pilates com aparelhos

Fiz uma reserva para uma aula de Pilates, para ontem à tarde.

Quando cheguei, o ginásio estava praticamente vazio.

Pensei nas férias, embora nesta quinzena  sempre visse as máquinas de cárdio ocupadas.

Todos os ginásios enviaram para os seus sócios as novas regras para frequentar o espaço para as aulas de grupo e dentro do ginásio, sabendo eu que poderá haver aulas fora, para quem não tem os certificados de teste ou de vacina.

Na repepção, mostrei o meu certificado digital de vacinação completa, pelo que já ficou lá "guardado", não preciso de o mostrar sempre que vou fazer as aulas.

Ora, percebi que era a única pessoa para a aula de Pilates, disse à professora que por mim não precisava de dar a aula, embora ela tivesse dito que tenho direito à aula, que a dava.

Insisti que eu poderia fazer outra coisa qualquer ( mas estava sem sapatilhas), lembrou-se do estúdio mais pequeno onde poderíamos ir as duas.

Antes, foi pedir autorização, descemos  para o estúdio onde se vêem as novas máquinas de Pilates, que já tinham captado a minha atenção e vontade de saber como vão funcionar estas aulas.

A professora disse-me que ia fazer de mim cobaia, se eu não me importasse,aproveitava para experimentar alguns desses aparelhos.

Óbvio que fiquei contente e curiosa, disse que sim, que até gostaria de experimentar, seria um privilégio para mim servir de cobaia.

Comentei que há muito tempo que não fazíamos a aula com a bola suíça, ao que ela foi buscar duas, e trouxe também duas faixas, por onde começamos o aquecimento.

Quando passei para o Reformer ( é este o seu nome), fiz vários exercícios de pernas e braços, que adorei.

A sensação que tive era de que o carrinho me ia tirar a estabilidade e não conseguiria controlá-lo.  Tudo foi feito com calma,  cuidado e controlo, acho que fiquei fã.

A professora ia monotorizando e corrigindo as posições do corpo, perguntava-me se estava a sentir dor ou se era demasido intenso.

Mas eu estava bem e a gostar muito.

Passamos depois para o barril escada (barrel ladder).

Ela exemplificou como deveria fazer, explicou-me os benefícios deste aparelho para a coluna vertebral, sobretudo lombar, que podia sentir algum desconforto na primeira vez, mas com o hábito sentiria um grande alívio.

Custou-me um pouco estar com a cabeça para baixo, mas quando me ergui e saí do aparelho, senti um bom alívio  na lombar.

Confesso que gostei muito de ter sido a primeira sócia a experimentar estes dois aparelhos (bendita a hora que ninguém apareceu para a aula de Pilates)  porque há mais aparelhos para explorar.

E acho que vou aderir a esta nova experiência, que não  vai fazer parte do programa geral de aulas, pois serão aulas à parte para douco mais de três ou quatro pessoas.

Não sei qual vai ser o custo mensal, mas acho que vou ser uma das que não vai deixar de lado esta modalidade fantástica, que eu muito cobiço nesta página do instagram.

Que venha Setembro.

ladder-barrel-624x416.jpg

imagem daqui.

 

7d3c322091b213f3a988810b386bd632.jpg

 

imagem daqui

 

 

resolver percalços

images.jpg

 

Habituei-me a usar as máscaras FFP2, mas tenho sempre uma máscara cirúrgica na carteira.

Faço as minhas aulas com máscara (sou a excepção), tenho uma a mais na mala que levo para o ginásio.

Já aconteceu rebentar o elástico, felizmente, só aconteceu em casa, quando a colocava.

O caso é que tem acontecido com os outros, até com pessoas que não conheço de lado nenhum.Já resolvi a situação umas quantas vezes.

Estava na recepção do ginásio para dar entrada, quando percebi que um professor perguntou qualquer coisa à menina que estava ao balcão.

Ela entrou no gabinete de trabalho, saiu e disse que não tinham.

O professor dirigiu-se à porta de entrada, reparei que estava um pai com duas crianças que iam para a aula de natação.

O pai não podia entrar porque esquecera-se da máscara.

Intervim, disse à menina que  tinha uma, que a cedia ao senhor.

Ela chamou o professor, mas entretanto, dirigi-me a ele,  ofereci  ao pai das crianças.

Ficou muito grato.

Aquela máscara era para substituir, depois da aula, a que levava. Ainda comentei com a menina que se a minha rebentasse não tinha outra para usar, embora seja cuidadosa a tirar, precisamente para que o elástico não rebente.

E comentei que seria útil haver máscaras para vender aos sócios no caso de acontecerem percalços destes.

Ela concordou comigo.

 

 

outdoor: alongamentos

O título deste post está exactamente como no mapa de aulas da aplicação do ginásio que frequento.

Nos ginásios o uso do inglês é demais, há pessoas que não estudaram línguas estrangeiras e não percebem, não sabem que aula é  e, uma altura, opinei que os nomes das actividades deviam estar nas duas línguas.

Há que usar a nossa língua rica em vocábulos e para português ler.

E, hoje, regressei ao ginásio.

Fui fazer alongamentos. Mas só estava eu. E a aula aconteceu.

Ainda pensei desistir, a professora disse que se quisesse fazia musculação, para ela era indiferente, eu escolhia.

Não sou fã de musculação, manifestei o meu interesse em ficar no exterior e fazer alongamentos.

Sinto-me empenada e com falta de equilíbrio.

A aula foi muito agradável.

Aplicara o protetor na rosto.

Amanhã, volto ao ginásio, tenho de pôr no corpo, também.

O sol queima..

No final da aula, conversamos um pouco sobre este desconfinamento que levou muitas pessoas à praia e ao rio (segundo ela) e a continuar com estas saídas, e porque há quem ande na rua com a máscara na mão ou no pescoço, ambas cépticas que, pelo que percebi, somos no que ao vírus diz respeito, voltaremos ao confinamento.

Ontem, planeara ir à praia, mas quando me apercebi que a proibição de sair do concelho só entrava em vigor às 23:59h, mais uma vez, não arrisquei.

Com o que se vê na rua, prefiro pagar pelo que disse ou digo, espero enganar-me, mas que tudo corra bem e sigamos com a nossa vida.

Entretanto, já marquei pedicure.

O meu regresso...

 

IMG_20210406_113710.jpg

 

 

 

e agora, estou com sono

mais uma noite agitada.

não tinha de levar o sobrinho neto ao colégio, deitei-me por volta da 01:00h.

e adormeci quase de imediato. 

de repente, acordei! olhei o relógio da mesa de cabeceira: 04:00h.

levantei-me,fui à casa de banho.

deitei-me. sono, nada!

depois de muitas voltas na cama, levanttei-me, eram 06:00h, fui buscar um discos desmaquilhantes embebi-os em água de rooas para relaxar os olhos ( faço isto muitas vezes).

amanhecia, mais uma vez olhei o relógio, eram 08:00h.

adormeci.

acordei com os gritos das crianças na escola. convicta que teria dormido pelos menos uma hora, olhei o relógio, dormira apenas trinta minutos.

o corpo e as pernas estavam doridos,  pensei numa massagem completa que iria ajudar-me a relaxar.

levantei-me.

saí por volta das 11:00h para ir ao hipermercado fazer umas compras e passar no ginásio para saber como eram as aulas de grupo no exterior.

no ano passado, tinha comprado umas calças branca,na Zara, um dia que as pus a lavar na máquina, quando tirei a roupa elas estavam com um tom avermelhado. indignada porque não costumo misturar roupas, quando tirei tudo o que estava na máquina, vi umas calças bordeaux, da Massimo Dutti, que, sempre que as lavo, é à mão para não tingir a roupa. e foi quando me lembrei que as pusera na máquina para lavar com roupa preta,  mas como naquele dia não tinha nada para lavar, nunca mais me lembrei delas meti alguma roupa para lavar inclusive as calças brancas, que ficaram péssimas para vestir.

ora,um dia destes, mais quente que está o tempo, fui procurá-las para as vestir e não as encontrei.

e então lembrei-me do que acontecera.

no hipermercado, comprei umas calças brancas MO, que estão impecáveis, nem preciso de fazer a bainha.

não queria, para já, entrar em lojas, já tenho calças novas

passei no ginásio, que saudades! fui muito bem recebida.

todas as aulas têm de ser marcadas online ( isto eu sabia), mas o número é mais restrito. se tudo correr bem e conseguir reservar lugar, quarta-feira regresso para uma aula no exterior.

para utilizar as máquinas, também preciso reservar, mas pode ser na hora, já que de manhã há  mais disponibilidade. 

as esplanadas abriram, vou tomar café à Brasileira.

uma boa segunda-feira para vós

 

 

do regresso

1615984333913.jpg

( como ele sobe e desce no escorrega)

 

Segunda-feira abriram os colégios, as creches e as escolas do 1º ciclo. O frenesim nas ruas é  muito, as crianças do 2º ciclo aproveitam, também, para sair de casa.

Ontem, num mini-parque da igreja desta freguesia, andavam elas a brincar com os mais novos, apoderaram-se do escorrega, da ponte, era uma algazarra que nos impediu de deixar o nosso pequenote de brincar no escorrega.

Jogou a bola com a mãe, naquele pequeno espaço relvado, que tem ao lado das diversões.

Quando todos se afastaram, estava na hora de regressarem a casa, o meu sobrinho neto subia e descia o escorrega. Depois, jogámos à bola com uma menina brasileira, muito educada e delicada, que passava a bola para os pés dele, como quem diz: "a bola é tua,não posso abusar". Fomos os últimos a sair daquele espaço.

Agora que as crianças voltaram à rotina dos colégios e escolas, eu tenho mais tempo para mim, voltei ao ginásio via APP,  que muita falta me fazia... É que, entretanto, engordei...finalmente!

Mas tenho saudades das aulas presenciais, do bocadinho da manhã para tomar o café no bar do ginásio e deixar-me ficar ali a ler os blogues no telemóvel. 

Será que os ginásios vão abrir?

 

 

do confinamento

quando tivemos de confinar, em Março do ano passado ( depressa passa o tempo) , não me apeteceu fazer da minha casa o ginásio,estive um mês para me decidir que, depois de tomar o pequeno almoço, era o momento de vestir  as leggins, o top, pegar no "colchão" e na toalha, procurar vídeos no computador, ou telemóvel, e "vamos lá, Maria, mexer o corpinho".

Esta pandemia está a custar a entranhar, embora estivesse à vista de que iria acontecer após o Natal, estou sem vontade de mexer o corpo. Em contra partida, tenho lido mais.

Nestes  dias de confinamento,  saí ontem para ir à padaria, ao mini mercado e à peixaria (abasteci a arca frigorífica de peixe),  preciso de ir ao talho, mas não há pressa, sexta-feira irei, tenho que comer para muitos dias.

Mas tenho dormido menos, fico com o corpo dorido de dar voltas na cama, acordo de repente,  ainda é noite, penso na merda do coronavírus, faço promessas a mim mesma " começo hoje a minha ginástica", sento-me em frente ao computador a ler o que quero, a saltar o que não me agrada, evito a televisão, estou decidida a não ver notícias, procuro ler na internet.

À noite, tenho acompanhado os encontro no Instagram do Bruno Nogueira  " Como É que o Bicho Mexe", tem sido muito interessante ouvir os intervenientes, ontem com a intervenção deste médico, que eu admiro.

A minha gata acordou-me de madrugada, mia, não me deixaou em paz,  levantei-me seis vezes para ver o que tinha ou queria,  não consegui sossegá-la.

Por volta das nove horas, consegui dormir meia hora. Quando me levantei, começaram os mios, dei-lhe comida húmida, sossegou um pouco.

Acho que com o barulho da chuva fica perturbada.

A meio da manhã, entrou no meu quarto, meteu-se debaixo do edredão, deixei-a ficar.

Decidi participar no desafio da cor, da blogger Fátima,  tinha feito um texto,ontem, pensando que o tinha guardado, à noite,depois do jantar, fui procurá-lo na pasta que abri para este fim, e não apareceu. Acho cliquei em não guardar, agora tenho de fazer outro e não estou nada inspirada.

Também não sei o que se passa, se é o meu pc, se é do Sapo, não consigo gravar em rascunho o que escrevo.

À cautela, guardo no word.

atchooo!

18296961_AMRGv.jpeg

no meu dia-a-dia,tenho  o cuidado de trazer na mala os imprescindíveis lenços de papel.

maioria das vezes, quem está comigo nunca tem, vai daí que tenho-os sempre à mão para desenrascar o pessoal.

costumo levar o pacote dos lenços para o estúdio do ginásio, sou sensível ao ar condicionado, seja onde for,  sobretudo ao frio, e então nos supermercados, junto às arcas, arrepio-me, pego no que preciso e saio daquela zona o mais rápido possível.

o ginásio abriu após a pandemia, somos obrigadas a  entrar no edifício  e  nos estúdio com a máscara, dispensada durante a aula.

ora, quando estamos deitadas no tapete a fazer um exercício e o seguinte é de pé, é certo queme vem um espirro. pego no lenço,ponho-o junto ao nariz, evito que ele saia. 

mas o que me faz confusão, é que sempre  e exactamente no final  da aula,quando estamos a relaxar, pego no lenço com rapidez e levo-o ao nariz porque, inevitavelmente,  tem de sair..

eu fico sem jeito por  que penso no que nunca antes da pandemia não me passava pela cabeça: o que pensarão as outras pessoas?