Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

50 000€

Há dias, publiquei isto, tive um favorito, ninguém deixou qualquer sinal de que leu, talvez porque seja assunto desinteressante, que para mim não é, porque quando alguém precisa de mim, o pouco que posso ajudar, ou doar, faço com coração.

Não estou a condenar ninguém, mas um  , uma , nos comentários, seriam suficientes para deixarem-me feliz.

Screenshot_2022-02-03-22-00-36-384_com.instagram.a

Screenshot_2022-02-03-22-00-49-371_com.instagram.a

Sou pessoa de ajudar quando acredito em quem pede ajuda para ajudar as pessoas com grandes dificuldades e/ou problemas familiares graves.

E  mesmo que digam que pode ser manipulação, e se eu tiver contribuido, penso: " ajudei. se foi mal aplicado, a consciência há-de doer a quem se aproveitou de nós"

Hoje de manhã, estava  numa cavaqueira com a minha irmã, ela  tinha o televisor sintonizado na Rádio Comercial, e de repente chamou-me a atenção a voz que falava num  pedido de ajuda, e que me pareceu ter a ver com este.

Mas não. Quando ouvi o nome Gustavo Carona, e o pedido que fez nas redes sociais, ao mesmo tempo que desafiavam os ouvintes a contribuirem para atingirem o valor, 50 000€,  tendo como tempo limite as 11h00, contei à minha irmã o que se passava.

Fui à página do Instagram do médico, e na bio o valor ultrapassava os 20 000€.

Às 10h30, quando lá voltei, tinha atingido o valor desejado. E as doações entravam.

Por volta das 13h00 o Gofundme   registava mais de 60 000€.

IMG_20220208_131918.jpg

Faltam as transferências bancárias, o meio que usei para doar.

A sorte de alguém está mudada,

E há a desta jovem, que já está, também, a ser mudada, graças à Carmen, a mãe.imperfeita, que tem o coração do tamanho do mundo.

IMG_20220208_133457.jpg

 

 

um Pequeno "Grande" Caso Sério

 a blogger Pequeno Caso Sério alertou no seu post, quem pode, com certerza, vai ajudar.

E eis que vou ao instagram e a primeira "notícia" que surge é da publicação de  mãe.imperfeita, e vejo isto, que trouxe para lerem aqui.

O valor já vai em mais de 47 mil euros!

Sinceramente, sou muito mais solidária com estes casos, em que acredito, do que na maioria da instituições.

Obrigada, Pequeno Caso Sério.

Obrigada, Mãe.Imperfeita.

 

Screenshot_2021-11-22-16-03-07-368_com.instagram.a

Screenshot_2021-11-22-16-03-20-941_com.instagram.a

 

 

 

uma bomba de valor sentimental

Irmão mais novo de férias, mais para norte deste norte onde vivo, foi  a uma feira de velharias em Caminha ( são boas feiras, comento sempre que tenho de lá ir num dia de Verão...mas nunca vou), estava ele feliz e orgulhoso com uma compra que fez.

As fotografias que enviou para o grupo do whatsapp dos irmãos e sobrinhos, deixaram-me surpresa.

Viu uma bomba de pé que o pôs ansioso e emocionado.

Perguntou ao vendedor quanto queria por ela.

O senhor ficou estupefacto por ver alguém interessado naquela peça. 
Disse o valor ( comentei  que se estivesse no seu lugar, dava mais algum por aquela peça de valor sentimental tão grande,respondendo-me que estava tão emocionado que nem pensou nisso).

O vendedor percebeu a emoção do meu irmão, perguntou porque a queria

Depois de a pagar, contou que a bomba será dos anos 60 e  foi fabricada numa empresa de Braga.

E perguntando o vendedor como sabia ele disso:  " foi fabricada na empresa  da minha família" ,respondeu o meu irmão.

E o senhor gaguejou e mostrou a sua satisfação saber que a peça foi ter às mãos de um familiar do fabricante.

O meu irmão quer pintar a bomba "como ela merece", disse.

Ele é um homem que faz montes de engenhocas, compra peças, desmonta e monta como ele quer e gosta, não fosse ele engenheiro.

Na minha opinião, deixava-a como está...

IMG-20210718-WA0005.jpg

IMG-20210718-WA0007.jpg

IMG-20210718-WA0004.jpg

IMG_20210718_173409.jpg

 

 

a vacinação e a família

Fui vacinada em princípio de Maio, no dia seguinte, foi o meu irmão.

Fui contemplada com a vacina Astrazeneca, o meu irmão com a Pfeizer ( já tomou a 2ªdose).

Depois, foi o irmão, com 56 anos, ansioso que estava que chegasse a sua vez,  calhou-lhe a Moderna, brevemente vem a 2ª dose.

Finalmente, a irmã mais nova, inscrevi-a eu, ficou marcada para meados deste  mês.

No mesmo dia, à hora do almoço, uma amiga ligou-lhe, disse que lera na internet que havia excessso de vacinas que devia ser usadas nesse dia.

Deslocou-se ao Fórum,  foi atendida de imediato, levou a vacina da Janssen,  de uma só toma.

Entretanto, está a chegar a vez dos sobrinhos de 40.

E eu?!

Fui a primeira a tomar, sou a última na 2ª dose, em finais de Julho.

 

 

 

Dia Internacional da Família

Hoje, é o Dia Internacional da Família, que eu muito prezo ter, e unida.

Infelizmente, há muitas famílias que perderam  os seus entes queridos, pelos mais diversos motivos, que todos conhecemos.

Mas não se justificam as mortes por homícidios, ataques terroristas e, infelizmente, pelo ódio entre irmãos.

Quando pensamos no conceito de família, pensamos nas crianças.  Este conceito evoluiu, a família já não é apenas o pai, a mãe, os filhos. 

É, também, o animal de estimação, são as pessoas do mesmo género, são os tios, são os avós,  são as pessoas que cuidam.

O conceito de família já não é entendida apenas pelos laços de sangue. É entendida por pessoas unidas por laços afetivos.

Encontrei esta imagem no Instagram, e trouxe-a comigo.

Esta é uma Família que apoia quem anda na rua e precisa de cuidados,de alimentos, de afectos.

 

IMG_20210515_130138.jpg

 

 

 

 

recordações

Uma sexta-feira que começou cedo, a manhã com um bonito sol.

À noite, desligo o wifi do telemóvel. E quando o liguei, tinha umas quantas mensagens no whatsapp, do grupo da família, que me fizeram chorar

Quantas pequenas estórias contadas pelos irmãos, agora pais, e da infância e adolescência, pelos sobrinhos, que eu desconhecia, algumas, outras  não me lembrava...até porque eu era jovem e vivia, com muita paixão, outras coisas.

Foram muitas surpresas que me deixaram feliz.

A tarde acabou com o céu carregado de nuvens cinzentas a condizer com a melancolia que sinto.

Gosto muito da minha família.

Tenho pensado muito no sorriso feliz da mulher que foi, e está presente nos nossos corações, Maria João Abreu.

Um bom fim de semana.

 

 

mais um!

No ano passado, andei por aqui  .

IMG_5685.JPG

Em Fevereiro, em Itália, o coronavírus dava sinal à Europa que vinha para nos atazanar o corpo e a alma.

E não imaginava que, um ano depois, e mais velha, estaria confinada.

Felizmente, apesar do que estamos a passar, estou grata pela saúde que tenho, e da família, que está bem.

E está um dia de sol lindo!

IMG_20210222_092211.jpg

Feliz Aniversário, Maria Araújo.

 

 

 

É Natal

62206-family-christmas-socks-1200.1200w.tn.jpg

(imagem que trouxe da internet)

Comida, doces, presentes, canções de natal para fazer o ambiente da casa sereno e acolhedor, neste ano de pandemia, que seria de toda a família junta, cada uma ficou em casa,  elementos de quatro,  seis e/ou nove ( com as crianças), contactos online, foi diferente, mas alegre.

Interessante foi que, pelo menos em duas casas, contrariamente aos anos anteriores, que se espera pela meia-noite para entregar os presentes e abri-los com efusões de alegria, na casa da minha irmã, onde passo este  Natal, por volta das onze horas, a sobrinha, 22 anos, pedia-nos para abrir os presentes, não estava com paciência para esperar pela hora.

A mãe não queria, até que eu disse que sim, que também concordava que os abrisse.

Lá na casa da praia, a família, com três crianças,dorme a mais nova, cedo. Às dez e trinta decidiram que iriam abrir os presentes, a criança precisava de dormir.

Recebidos e abertos os nossos, passamos para o sofá para vermos um filme da Disney.

Escolhe, não escolhe, decidiu-se pela Frozen.

Entretanto, alguma conversa pelo meio, quando reparei nas horas, decidi vir para casa, era  uma hora.

Antes de me deitar, enviei mensagens a agradecer os presentes que recebi.

Hoje, um dia  de sol, e bonito, ao almoço éramos quatro, vamos ser  cinco ao jantar.

Se me perguntarem se estou a gostar deste atípico Natal, respondo que sim.

Há 11 anos que a família se juntava aqui em minha casa, era a "confusão" das crianças e das conversas dos aultos,os risos, a música, os jogos, passou, este ano para o sossego.  Sem incomodar, excepcionalmente, os vizinhos, sem grande trabalho, tudo foi sereno e em paz, e, pela primeira vez, em trinta anos, em casa da minha irmã mais nova.

Se a pandemia afastou fisicamente as famílias grandes, veio, na minha opinião, aproximar os núcleos familiares que sempre o viveram em grande grupo, ora com a família de um cônjuge, ora do outro.

Um ano que vai ficar presente nas nossas memórias, com a esperança de que em 2021 possamos estar todos juntos.

Feliz Natal.