Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

coisas das "minhas" crianças

Maria Araújo, 02.01.19

Último dia do ano, os meus sobrinhos netos luso-brasileiros vieram cá para casa, precisava de fazer umas pequenas compras, foram comigo ao Continente aqui da zona.

Já na saída, no parque de estacionamento, pedi ao mais velho que desse a mão ao mais novo, e eu do outro lado dava-lhe a mão, também.

Na passadeira do recinto, os três de mãos dadas, diz o pequenote no seu brasileiro carioca puro ( o mais velho  fala português de Portugal) :

- Nós parecemos A Garota do Ipanema.

- Como assim, F, A Garota do Ipanema?!

Repete a frase ao mesmo tempo que  trauteia um pouco a música.

Acompanhei-o na canção, até que ele diz:

- Você não entendeu, tia L. Não é a canção.

- Como assim, F, não é a canção?!

- Nós parecemos os meninos do teatro A Garota do Ipanema.

O mais velho tenta explicar, e foi então que me lembrei das fotografias que recebera na altura.

Na festa do colégio que frequenta, na  dança de A Garota do Ipanema, duas meninas davam as mãos ao menino, faziam a coreografia e dançavam ao som da canção.

IMG_20190104_141745.jpg

 E foi assim, que o F nos comparou às meninas que dançavam com ele. 

Contrariamente ao irmão, que não fala brasileiro e não dança, o F é malandro, adora dançar e está sempre a falar em " bunda".

Mais à frente, e já perto de casa, o F trauteia a música de uma canção que eu só tive conhecimento desta quando eles chegarem do Brasil. 

Cantava, então, " Explosão", ao mesmo tempo que erguia as mãos e arrebitava o rabo para trás e saracoteava-o : " olha a explosão, quando ela bate com a bunda no chão".

Volta a trautear, eu e o irmão ríamos com a brincadeira, passa por nós um homem que, quando o F repete: " olha a explosão", ele acaba o verso a cantar, " ela bate com a bunda no chão". O F desata a rir, vira-se para trás, e digo eu: " olha que o senhor é brasileiro".

E ria-se. Mas não repetiu a dose, contra minha vontade pois estava a preparar o telemóvel para gravar o seu espectáculo.

Tão malandro e feliz, este meu sobrinho neto.

 

 

 

 

 

 

Braga Barroca

Maria Araújo, 23.09.17

Um sábado cheio de eventos pelas ruas da cidade, começamos pela feira de velharias, nas Arcadas:

IMG_3535.JPG

IMG_3541.JPG

IMG_3543.JPG

IMG_3545.JPG

seguimos pela rua do Souto, junto à entrada lateral da Sé o cortejo subia a rua em direcção à Praça Municipal.

«Recepção e Cerimónia da Entrada Triunfal do Arcebispo D. José de Bragança».

IMG_3552.JPG

IMG_3567.JPG

IMG_3569.JPG

IMG_3575.JPGIMG_3574.JPG

IMG_3576.JPG

IMG_3580.JPG

IMG_3581.JPG

IMG_3583.JPG

as artes e os ofícios: o Ferreiro, o Marceneiro, o Destilador, o Mercador, o Sapateiro mostram  aos visitantes o verdadeiro quotidiano Barroco. 

IMG_3586.JPG

IMG_3555.JPG

IMG_3557.JPG

IMG_3590.JPG

IMG_3593.JPG

IMG_3596.JPG

 IMG_3599.JPG

IMG_3600.JPG

IMG_3606.JPG

IMG_3612.JPG

IMG_3619.JPG

BRINCAR BARROCO

O espaço lúdico dedicado ao público infanto-juvenil com os jogos de época.

IMG_3560.JPG

IMG_3588.JPG

no caminho para casa, sem companhia, segui na direcção do Jardim de Santa Bárbara, preparava-se o evento CGD ALUMNI .

IMG_3648.JPG

IMG_3656.JPG

IMG_3651.JPG

carregado de flores está o Jardim de Santa Bárbara, neste início de outono, e especialmente belo.

IMG_3654.JPG

IMG_3659.JPG

IMG_3661.JPG

a caminho de casa, lembrei-me que havia um Sunset com «Pé de Dança» ( uma escola de danças latinas), voltei para trás e por lá fiquei mais uma hora a ver o baile na Praça da República.

IMG_3671.JPG

olha  a M a dançar!

IMG_3679.JPG

IMG_3694.JPG

 um jovem paquistanês foi convidado para entrar na dança

IMG_3699.JPG

 e não mais parou

IMG_3705.JPG

IMG_3711.JPG

IMG_3712.JPG

IMG_3715.JPG

uma dada altura o jovem paquistanês dançava com a jovem da écharpe na cabeça 

IMG_3718.JPG

e lá pelo meio encontrei a minha ex-colega, a C.

IMG_3721.JPG

IMG_3723.JPG

IMG_3732.JPG

 Sem bateria na máquina fotográfica, regressei a casa.