Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

Ter | 30.03.21

folar de Páscoa

Maria Araújo
  acho que vou fazer, pela primeira vez, o folar de Páscoa. vi várias receitas, uns levam mais ingredientes que outros, quero uma receita simples. encontrei várias, e no youtube vi a da Clara de Sousa, a jornalista que gosta muito de cozinhar. podem ver o seu blog e a receita, aqui.    
Ter | 21.01.20

há anos que não o cozinhava

Maria Araújo
a minha mãe costumava fazer ensopado de costeletas de borrego à Alentejana. Quando ela facleceu,  fiz os possíveis ( aprendi com ela ) por fazer os pratos que ela muito bem cozinhava. À medida que os irmãos saíam de casa, fui deixando, também, de fazer os pratos mais elaborados, até porque trabalhava fora da cidade, almoçava fora de casa ( na altura ainda não havia a moda da marmita), tornei-me mais prática na cozinha, excepto quando os sobrinhos , que andavam na escola perto (...)
Qua | 09.01.19

os restos do Natal

Maria Araújo
De regresso à rotina do ginásio, cheguei tarde a casa, tinha descongelado bacalhau cozido que sobrou do Natal,  lembrei-me de fazer o que não faço há anos: pataniscas de bacalhau. O arroz, poderia ser de feijão ou  grelos ( que cozo em casa e congelo) mas optei de tomate, que congelo quando estão muito maduros. Só de pensar nas pataniscas, que em tempos nem apreciava, de todo, a fome apertava, era hora de cozinhar . Como congelo cebola picada, tenho salsa no frigorífico, os (...)
Qui | 04.02.16

encontrei este casal

Maria Araújo
simpático e divertido no FB, Sapo. Cliquei, vi e, adorei! Uma boas dicas para aqueles dias que não sei o que cozinhar, pergunto à Sofia o que quer almoçar e ela responde-me: "qualquer coisa" ( a juventude não alinha com  peixe, opto pela carne), e cozinho para várias refeições. E a  coolunista já faz parte dos meus favoritos.    
Ter | 10.11.15

o Ratatouille

Maria Araújo
A Sofia, a minha sobrinha e (a)filha(da), tem 17 anos, anda cá por casa desde bebé. Ia buscá-la ao infantário, ficava por aqui até à hora de a mãe vir buscá-la. Depois veio escola e até ao 6º ano ia buscá-la ao almoço e/ou ao fim da tarde. A partir do 7º ano não precisava nem queria que a fosse buscar. Almoçava comigo, voltava à escola se tivesse aulas de tarde, ou ia para casa. Agora no 12º ano, almoça comigo três vezes por semana. Raramente cozinha, mas vai ajudando a (...)