Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

uma banalidade

Maria Araújo, 29.03.17

Há três meses que não cortava o cabelo.

Cabelo forte e volumoso que tenho, ficava com o semblante pesado.

O tempo húmido e de chuva da última semana fez-me adiar para hoje a ida ao cabeleireiro. E precisava de pintá-lo.

Cortei um bom pedaço. Liso que está, hoje,  espero que na próxima lavagem, com a ondulação que fiz há um ano, e porque evito o secador e a prancha, que fique assim:

Sem Título.png

 

 

 

 

as madeixas do cabelo estava coladas

Maria Araújo, 12.03.16

Cortes-Modernos-para-Senhoras-15.jpg

 

Ontem olhava o meu rosto no espelho e, de repente, farta de ver a juba crescida (o meu cabelo cresce bem, graças a Deus), tentei a minha sorte ligando para o cabeleireiro a saber se tinha uma vaga.

Tinha para o final da tarde, a essa hora estava nos malabarismos da aula de Antigravity, ficou marcado para hoje às nove horas. Roubava-me a aula de Pilates, mas como logo tenho um jantar de amigas, abdiquei da aula e fui.

Conversas banais, e a propósito da coqueluche da abertura do Ikea em Braga,  soube que o Leroy Merlin também vai abrir bevemente na zona de Lamaçães, onde se concentram o Aki, o Continente, O Media Market, O Lidl, uma panóplia de negócios e comércio bracarenses. 
O que é que faz falta cá na cidade? Nada!

Adiante. Desde que fiz a ondulação, em 2014, nunca mais quis o secador de cabelo, deixo-o secar, leve o tempo que levar, mesmo que esteja de chuva.

Quando vou cortar ou pintar, a cabeleireira gosta de passar o secador, saio de lá com o cabelo esticado.
Perguntou-me se o queria natural, respondi que sim, pegou no difusor de calor e passou no cabelo.  Óbvio que ganhou volume. Não disse nada, porque em casa daria o meu toque.

No final costuma passar um pouco de gel para cabelos ondulados, mas hoje, com a conversa dos Ikeas e Leroy Merlins, vi que usou um spray. Nem atingi.

No regresso a casa, vendo nos vidros das lojas o reflexo da minha pessoa, reparei que o penteado estava demasiado senhoril. Eu que gosto dos cabelos naturais. 

Já em casa, levo as mãos ao cabelo e, "que horror!",  as madeixas estavam coladas. Tinha usado laca e  ela sabe que destesto.

A solução é meter-me debaixo do chuveiro, lavar o cabelo, e deixá-lo secar ao natural.

É por estas pequenas coisas que eu só vou ao cabeleireiro quando já não aguento mais vê-lo sem corte.

 

Cabelos Chanel

Maria Araújo, 07.01.14

Preciso de cortar o cabelo, mas o diabo do tempo não me deixa. O meu cabelo é bastante volumoso, quando cresce fica sem forma. Se passo a prancha aguenta-se 2 dias, desde que o ar não esteja húmido.

Ontem, pintei-o cá em casa (raramente pinto no cabeleireiro). Fica mais caro e já me habituei a esta arte, caseira.

Também não é tão difícil assim, há boas tintas à venda e as nossas  "irmãs" da Terra de Vera Cruz são excelentes professoras no que se refere às artes caseiras pelo que, via internet, encontramos tudo o que precisamos para nos ajudar a fazê-lo bem feito.

Quanto ao meu corte de cabelo, anda sempre dentro do mesmo estilo: Chanel.

Gosto do cabelo comprido mas não me favorece.

Gosto da franja mas para minha idade não será  apropriada, embora  fizesse parte do meu visual ao longo da minha vida.

No ano 2013, este corte predominou nas mulheres entre os 30tas e os 40tas e parece-me que continua em 2014.

Gosto do efeito esfiado mas sendo ele volumoso, perde um  pouco a graça, pelo que, o corte a direito é o ideal.

O tempo vai melhorar a partir de 5ª feira. Marquei vez para 6ª feira.

Se as condições atmosférica permitirem, finalmente, vou fazer o que devia ter feito em dezembro, caso contrário, desmarco e aguento até que venha um dia de sol.

O que nos vale é que podemos ver a meteorologia online e tomarmos as nossas decisões de acordo com ela.

E agora, o estilo de penteado que eu uso, com e sem franja.