Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

Angelina Jolie

Maria Araújo, 24.03.15

 

 

angelina-jolie-parenting-21may14-05.jpg

 

“Nunca é fácil tomar estas decisões mas é sempre possível tomar o controlo e fazer escolhas sobre a nossa saúde. Devem procurar conselho médico, informarem-se das várias opções e decidir o que seja melhor para vocês. Conhecimento é poder”.

 

Uma jovem mulher que me surpreende pela coragem em tomar decisões delicadas, sem medo, a pensar no seu futuro e dos seus filhos.

Fiquei muito sensibilizada com as suas declarações, é um exemplo para mim e todas as mulheres que tiveram ou têm familiares com cancro.

Eu sou uma delas.

 

 

 

Dia Mundial de Luta contra o Cancro

Maria Araújo, 04.02.15

A imagem e as palavras transcritas deste blog, com muito carinho também, ali na barra lateral do meu cantinho.

diamundialdocancer_minhavidacomigo.jpg

“Todo mundo deveria falar abertamente sobre a doença. Debater sobre o câncer é desafiar ideias, atitudes e comportamentos negativos que perpetuam mitos que causam medo e estigmatizam. Falar de câncer é alertar as pessoas da necessidade de busca por detecção precoce e tratamento.”

Giane...

Maria Araújo, 27.05.13

Vi nos dois jornais, ambas com apelido Sousa, na SIC, Clara,  e em direto, na TVI, Judite, as entrevistas que fizeram a Reinaldo Gianecchini, o ator brasileiro a quem, há dois anos, foi diagnosticado um cancro linfático.

Em Portugal para lançar o seu livro " Vida, Arte e Luta", e de autoria de Guilherme Fiuza, todo o discurso, nas duas entrevistas, foi de uma serenidade, sensibilidade e coragem sem limites.

O próximo programa, a não perder, de modo algum, com o jovem talentoso, David Oliveira em " Alta Definição".

Foto da web.

 

 

 Sinopse

Gianecchini enfim se permitiu encarar o pensamento proibido: ‘Pode ser que  tenha chegado a minha hora.’ No que olhou pela primeira vez para  a cara da morte, a sua morte, bem de frente, foi tomado por uma calma profunda.  Por um momento perdeu de vista os médicos, as enfermeiras, a empresária, a mãe,  os parceiros profissionais e afetivos, a legião de fãs. Enxergou com clareza o  verdadeiro lugar de todo mortal em sua condição mais pura: a  solidão.
E se sentiu forte nesse lugar. Entendeu que fora  exatamente dali que, ainda menino, vislumbrara o seu caminho – um caminho que o  diferenciava de todos os membros de sua família, de todos os exemplos que havia  à sua volta no interior, de tudo o que ouvira na escola. Sozinho, deixara  Birigui de ônibus e ganhara o mundo.
Agora, a sós com seu medo,  Giane foi sendo tomado de certa excitação. O que seria aquilo? Se não era  masoquismo, devia ser coragem.
Estava pronto para a travessia. Qualquer  uma.