Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

Qua | 12.05.21

do meu dia

Maria Araújo
    Estou a fazer tratamentos de fisioterapia à cervical. Desta vez não é a terapeuta-mor que faz os tratamentos, são dois jovens estagiários que tratam de mim, vão alternado conforme os utentes que têm. Nos últimos quatro dias, ela faz o ultrasons e põe os calores, ele faz a massagem Ambos os estagiários são simpáticos. Ele não fala muito. A terapeuta-mor é muito brincalhona, está sempre bem disposta. Mas fala muito alto. E há os  utentes que conversam uns com os (...)
Qua | 03.03.21

Como é que o Bicho Mexe

Maria Araújo
Ontem, vi o "Como é que o Bicho Mexe" Aliás, tenho visto durante esta pandemia, gosto do conceito de Bruno Nogueira, mas, como já disse aqui, por vezes o calão é exagerado. Mas fazem um bom serviço público de directos, no Instagram. No antepenúltimo directo, a propósito de  Bruno Nogueira perguntar à mãe,Luísa,se precisava de compras, e depois de ter dito que não, acabou por pedir (...)
Seg | 22.06.20

estou no bar do ginásio

Maria Araújo
a conversa das companheiras do lado é sobre Pedro Lima. Um homem bonito, simpático, simples, bom pai, falava sempre dos filhos. O que teria levado a suicidar-se: emprego, vida económica confortável,  empréstimos, mais empréstimos, a pandemia, a depressão. Com todo o respeito por estas pessoas que se suicidam, e farta de ler daqui, dali, dacolá,  prefiro não julgar.  
Qui | 21.05.20

continuo por casa

Maria Araújo
saio para ir às compras,ou para ir ver o meu sobrinho neto, que vive a  poucos metros de minha casa, percebo, nestes pequenos percursos, que  muitas pessoas arranjam pretexto para sair de casa,.  pois hoje, queria ir ao mercado municipal, que ainda funciona provisoriamente perto da Câmara Municipal, estava indecisa, ainda não me sinto à vontade para enfrentar as pessoas. e não fui. depois, pensei ir ao cemitério, a pé, mas com o vai, não vai ao mercado, já não era muito (...)
Qui | 10.01.19

conversa de criança

Maria Araújo
Fico grata por ter cinco sobrinhos netos, e embora dois os veja uma vez por ano, outros dois vêm no Natal e no verõ férias, o mais novo, o bebé, tenho o prazer de estar com ele diariamente. Hoje, o F, 4 anos, um menino muito malando e meigo, no seu brasileiro bem carioca, que nos faz rir, lavava as mãos, e com a expressão sorridente e meiga que faz, diz-me: - Não sei si vou suportar ir para o Brasiu, tia L. —Porquê?— perguntei. — Porque no Brasiu faz muito calor e eu não (...)
Qui | 02.11.17

esgotam tudo

Maria Araújo
2017 foi o ano que menos vezes fui ao cinema e espectáculos. Nem sequer actualizei o cartão que me dá descontos. Vira a publicidade à peça " Os Guardas do Taj" mas não dera a devida atenção. Quando ontem Reynaldo Gianechinni foi ao Jornal da Noite da SIC, recebo uma chamada a dizer: "quero ver esta peça". Apesar da peça ficar por cá quatro dias, e porque quem vai vê-la comigo, uns não podem nuns dias, outros noutros, comprei os bilhetes para o dia 12 de Novembro, à tarde. (...)
Qua | 07.06.17

as carpideiras

Maria Araújo
Balneário do ginásio, três senhoras já prontas para sair, falavam das carpideiras. Uma delas contava  que estas mulheres iam às igrejas chorar o morto, que não conheciam. Ora numa altura, foram a um velório sem que fossem "contratadas" , chorar o homem da aldeia. A esposa, sentada a um canto, não falava, não chorava. Aproximaram-se, iniciaram a choradeira do costume: "Ai coitadinho, tão boa pessoa, ai, ai". A viúva, não dizia nada, até que uma delas perguntou-lhe porque (...)
Qui | 29.12.16

promessa cumprida

Maria Araújo
Prometera a mim mesma que iria ver a Alice, hoje. Fui comprar uma caixa de chocolates para lhe oferecer. Quando a vi, estava acompanhada da Joana, a prima grávida. A Alice sorriu quando me viu.  Reconheceu-me, mas não conseguia dizer o meu nome. Dei-lhe um abraço. Sentamo-nos no banco do jardim. Conversámos muito, mas ela não acabava as palavras. Trazia um blusão com uma gola (...)