Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

um desfile de emoções

Maria Araújo, 06.02.16

quem não fica emocionado quando recebe uma carta de um familiar, de um amigo, do namorado (a),... ou um simples postal  de alguém que conheceu num qualquer lugar do mundo?

Eu adoro receber cartas! 

E quando me dá a saudade, escrevo-as.  E surpreendo alguém, sei que sim.

Os carteiros trazem emoções, oh, se trazem!

 

12654663_1066953250014467_5450239058801499977_n.jp

 

Por estas pequenas grandes pessoas vale a pena respeitar o passado, viver o presente e acreditar no futuro!

 

 

Conta-me como foi.

Maria Araújo, 07.02.10

 

Começo este post, com o final  do episódio de hoje de Conta-me como foi.
Ver imagem em tamanho real
A família  acabou o último dia de passagem de ano de  1970 como um baralho de cartas. Margarida descobriu que o filho namorava Ilda, a mãe solteira que vive no andar de cima. E, sem ouvir nenhuma das partes, ameaçou a mulher que amava o filho, dando-lhe uma palmada no rosto, para desespero do filho que, mais  uma vez , ficou subordinado à vontade da mãe.
Com o desejo de ver o baralho da família completo, Carlitos sentado pensaria no que a avó lhe dissera ;“uma família nunca pode ser comparada a um baralho de cartas”. Com esta atitude da mãe, Vítor saiu de casa, a família separada, cada um no seu canto. Naquele de passagem de ano de 1970 a família ficou incompleta.
Ilda, sozinha ,em sua casa, chorava desesperadamente.
Enquanto isso, a canção:

Antes só

Que ter alguém sem carinho

Antes só que seguir no teu caminho

Ao pé de ti mas sozinho

Sim, meu amor, antes só

 

 

  Consegui tomar nota destes versos. Nem sequer sabia quem cantava a canção. Como sempre, pesquisei e encontrei.
Cantor:                           
 
Incrível! Por que será que agora  deitamos sentido à letra das canções e temos a noção de que o que há muitos anos achávamos “pirosas”, são-nos agora familiares?
Como sempre os actores são de um profissionalismo único.
Qual “Perfeito coração”, “Deixa-me viver”, “Morangos com Açúcar”, sei lá bem que mais , que nem vejo. Escuto, quando a televisão está sintonizado num qualquer canal, enquanto ando por aqui  no meu canto…