Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

Uma cantiga

das minhas preferidas, pós 25 de abril, Dia da Liberdade, e sempre actual.

 

 "A cantiga é uma arma", José Mário Brancao

 

a cantiga é uma arma
eu não sabia
tudo depende da bala
e da pontaria
tudo depende da raiva
e da alegria
a cantiga é uma arma
de pontaria

há canta por interesse
há quem cante por cantar
há quem faça profissão
de combater a cantar
e há quem cante de pantufas
para não perder o lugar

a cantiga é uma arma
eu não sabia
tudo depende da bala
e da pontaria
tudo depende da raiva
e da alegria
a cantiga é uma arma
de pontaria

O faduncho choradinho
de tabernas e salões
semeia só desalento
misticismo e ilusões
canto mole em letra dura
nunca fez revoluções

a cantiga é uma arma
(contra quem?)
Contra a burguesia
tudo depende da bala
e da pontaria
tudo depende da raiva
e da alegria
a cantiga é uma arma
de pontaria

Se tu cantas a reboque
não vale a pena cantar
se vais à frente demais
bem te podes engasgar
a cantiga só é arma
quando a luta acompanhar

a cantiga é uma arma
contra a burguesia
tudo depende da bala
e da pontaria
tudo depende da raiva
e da alegria
a cantiga é uma arma
de pontaria


Uma arma eficiente
fabricada com cuidado
deve ter um mecanismo
bem perfeito e oleado
e o canto com uma arma
deve ser bem fabricado


a cantiga é uma arma
(Contra quem camaradas?)
Contra a burguesia
tudo depende da bala
e da pontaria
tudo depende da raiva
e da alegria
a cantiga é uma arma
de pontaria

a cantiga é uma arma
contra a burguesia
tudo depende da bala
e da pontaria
tudo depende da raiva
e da alegria
a cantiga é uma arma
contra a burguesia

 

Homenagem à minha mãe...

 

Na passada Quarta-feira, tive conhecimento através da RPT que a cantora Milu tinha falecido. Tendo passado no progama "Praça da Alegria" um excerto do filme com Grande António  Silva em que Milu cantava a muito conhecida canção "Cantiga da rua", fez-me escorrer umas lágrimas, que na altura disfarcei, porque não estava em minha casa.

Há momentos, vi novamente no programa "A minha geração" a cantora Lúcia Moniz cantar esta mesma canção, e muito bem.

Não pude conter de novo as lágrimas. Minha mãe cantava-a vezes sem fim.
Em homenagem à minha mãe, deixo aqui uma fota da cantora e o vídeo da canção, que sempre gostei.

A canção de rua não é de toda a gente e não é de ninguém.

A canção é de todos os que gostam de recordar os que a deram vida e os que nos deram vida