Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

#fiqueemcasa 20

Maria Araújo, 04.04.20

Foi, hoje, um dia cheio de trabalho, sobretudo na cozinha.

Aproveitei o forno ligado ,fiz um bolo.

Aspirei. Coloquei as cortinas nos lugares.

Passei as capas das almofadas decorativas, passei as  toalhas, mas a roupa de cama e de vestir ficaram no cesto.

Depois de tomar um chá, sentei-me no sofá para ler um pouco,mas estava tão cansada  que, de comando na mão, saltava de canal em canal, não vi nada que me agradasse.

No Jornal da Noite da SIC, passou esta lindíssima música cantanda em português por um grupo holandês, que me lembrou que, algures no tempo, a ouvira ao vivo.

Na altura  fiquei emocionada, mexeu muito comigo.

Hoje, desafinada que sou, cantei-a com eles.

Matutava quando e onde a ouvira.

Sabia que a ouvira várias vezes com as mesmas pessoas.

E fez-se luz!

Seria o ano de 1995, os colegas formaram um coro,ensaiavam na Gulbenkian.

Eu não cantava, ia assistir, algumas colegas também. No final, íamos beber um copo.

O grupo era formado por homens e mulheres ( vou recordar estes anos com a minha amiga Mafalda),  o maestro era professor de música e maestro de uma banda filarmónica. Foi aí que eu ouvi.

Houve um espectáculo, não me recordo onde.

Foi com eles que aprendi a gostar da canção, que estava esquecida, relembrada, hoje, por Rogrigo Guedes de Carvalho.

 

Há mais em português cantadas pelo grupo.

 

 

 

 

Ser Poeta

Maria Araújo, 21.03.19

Ser Poeta é ser mais alto, é ser maior

Do que os homens! Morder como quem beija!

É ser mendigo e dar como quem seja

Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!

 

É ter de mil desejos o esplendor

E não saber sequer que se deseja!

É ter cá dentro um astro que flameja,

É ter garras e asas de condor!

 

É ter fome, é ter sede de Infinito!

Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...

É condensar o mundo num só grito!

 

E é amar-te, assim, perdidamente...

É seres alma e sangue e vida em mim

E dizê-lo cantando a toda gente!

para mim, só podia ser este belíssimo poema de Florbela Espanca, e na canção interpretada por Luís Represas, para comemorar este dia 21 de Março, Dia Mundial da Poesia... e da Árvore.

Dia-Mundial-da-Arvore-2019_Prancheta-2-1024x801.jp

imagem, daqui

 

 

fui colher as Maias

Maria Araújo, 30.04.18

Diz a lenda que colhendo estas flores da urze na véspera do 1º de maio e pendurando-as, à noite, na porta, muma janela ou varanda, significa que durante o ano não vai faltar o pão em casa.

As histórias são diferentes de região para região, é uma  tradição que nem sempre cumpro, mas hoje, quando fui meter gasolina, e de propósito fora da cidade, encontrei-as num terreno do lado de trás da bomba.

As minhas Maias...

1525111532275.jpg

 

Um poema de José Régio

 

Canção de Primavera

Eu, dar flor, já não dou. Mas vós, ó flores, 
Pois que Maio chegou, 
Revesti-o de clâmides de cores! 
Que eu, dar, flor, já não dou. 

Eu, cantar, já não canto. Mas vós, aves, 
Acordai desse azul, calado há tanto, 
As infinitas naves! 
Que eu, cantar, já não canto. 

Eu, Invernos e Outonos recalcados 
Regelaram meu ser neste arrepio… 
Aquece tu, ó sol, jardins e prados! 
Que eu, é de mim o frio. 

Eu, Maio, já não tenho. Mas tu, Maio, 
Vem com tua paixão, 
Prostrar a terra em cálido desmaio! 
Que eu, ter Maio, já não. 

Que eu, dar flor, já não dou; cantar, não canto; 
Ter sol, não tenho; e amar… 
Mas, se não amo, 
Como é que, Maio em flor, te chamo tanto, 
E não por mim assim te chamo?

 

 

Uma canção de Maio

 

 

aquela canção que...

Maria Araújo, 13.12.17

à primeira desperta-nos a atenção, parámos o que estamos a fazer e absorvemo-la

à segunda escutamos

à terceira já só a ouvimos mas continuamos a gostar

à quarta, à quinta e por aqui fora, todos os dias, de cinco em cinco minutos, ela fica nos ouvidos, não parámos de a trautear

deitamo-nos com ela na cabeça e às vezes acordamos com esta voz nos nossos ouvidos...

já estou farta!