Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

a chegada do novo ano

Maria Araújo, 30.12.17

 e a propósito de superstições e tradições que li no blog da Mami, lembrei-me que há alguns anos li algumas das mais comuns nos países do mundo, sobretudo os da América do Sul e uma delas, a que mais gostei, e que foi motivo de riso entre nós, foi:

viagens

59c005548245e0174e4be0f2f6b663af--travel-illustrat

 

-se desejarmos um ano cheio de viagens, depois da meia-noite, pegamos numa mala vazia e damos uma volta no quarteirão. (Já me imaginaram fazê-lo, eu que nem gosto de sair de casa nesta noite?).

Outras falavam de prosperidade, felicidade e fortuna.

Quanto a fortuna,  e por que o faço há alguns anos e desde que me habituei a comprar este fruto de inverno no mercado, é a romã:

roma-beneficios-foto-88.jpg

 

- fruto vermelho, a minha cor preferida, com muitas sementes que dizem simbolizar a prosperidade, se guardarmos  na carteira 7 sementes  teremos dinheiro o ano todo ( tem dado certo, o dinheiro não é de mais, mas não falta, e tenho as deste ano, que finda já amanhã, na minha carteira).

 

as moedas também entram nestas tradições:

00249_522141_Cent_1922_80_Mil_Euro_Dez_2006_Frente

 

sair de casa à meia-noite com 12 moedas de um centavo no bolso e à medida que caminhamos, lançamos,  uma a uma, pelas costas.

 

Não sou supersticiosa, não faço tudo o que é tradição, por vezes nem me lembro de nada disto na passagem do ano.

Quero, sim, que seja sempre um ano suficientemente bom quanto  foi anterior. E este ano, apesar de não ter saído para viajar, como gostaria, foi um ano positivo.

Mais positivo seria se não tivessemos tido a calamidade dos incêndios, que afectaram todos nós.

Que 2018 seja um ano mais sereno e que todos nos preocupemos com o grande mal que assola o planeta: o aquecimento global.

 

 

"sometimes everyhing is wrong"

Maria Araújo, 16.01.17

 Adoro esta música...

E a respeito de hoje ser o dia mais triste do ano, acordei sobressaltada às 4h, não consegui adormecer.

A Kat devia sentir que eu não estava tranquila, às 6h veio ao meu quarto. A porta não fica completamente fechada. Empurrou-a e deixou-se estar "prostrada" a olhar para mim.

Com o aquecimento ligado, levantei-me várias vezes para fechar a porta, ela fugia de cada vez que me levantava.E voltava.

Não gosto de ter o telemóvel no quarto, uso-o em determinados dias para me despertar.O tempo passa depressa quando temos o telemóvel connosco, fui à internet.

Às 8:30 h levantei-me para ir ao ginásio. Fiz a aula com empenho, mas não estava a 100%.

Andava entusiasmada com a Gala, tinha combinado com algumas colegas. Fizera uma pré-inscrição, hoje cancelei a minha presença.

Os meus sobrinhos netos foram sair com a mãe, eu vim para casa, precisava de descansar.

Mas não consegui.

Liguei o pc. 

Li este artigo que veio ao encontro do excepcionalmente estado triste que me sinto.

Adoro esta música porque , " And everybody hurts sometimes".

 

 

 

o melhor para 2017

Maria Araújo, 31.12.16

Sou um pouco altruísta, é verdade, mas também penso e gosto muito de mim.

Se o ano de 2016 foi o concretizar de alguns objectivos que queria ver definitivamente cumpridos, e foram ( não devo um cêntimo dos empréstimos que tinha, ao banco),    não faço planos para 2017.

Aliás, não sou pessoa de os fazer, porque a experiência diz-me que nem sempre cumpro e/ou consigo realizá-los.

Então, vou vivendo cada dia com as decisões que tomo de véspera ou uns dias antes, ou decido hoje, por vezes, o que quero fazer hoje.

Para 2017 desejo que as pessoas que gosto muito, consigam ter força suficiente para vencer o cancro.

Um beijinho especial à CC, à Lu, à Fátima, e à Alice.

Feliz Ano para todos(as).