Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



coisas de pessoas

por Maria Araújo, em 21.03.16

635838442583478757-1884475029_1 coffee.gif

 

Tinha planeado ir ao ginásio de manhã, seguia depois para a nova loja Ikea com intuito de perder umas horas a ver, com calma, o que gosto: as cozinhas, as salas, os quartos,  as decorações.

Cheguei ao ginásio em cima da hora para ter a senha para a aula (se não for quarenta e cinco minutos antes da aula, às nove horas já não há senhas), convicta que não ia conseguir, saio, do elevador e, "surpresa!" , vejo uma fila pequena.  Uma das senhoras com quem, por vezes, tomo café, comentou :"hoje está pouca gente porque a professora D está de férias".

Já escrevi algures num post que deixei de ir às aulas de hidroginástica (passei a ir ao sábado, com um ambiente mais agradável) durante a semana, porque o ambiente, tenho que dizer isto, é reles.

Fala-se de de tudo, corta-se na casaca das pessoas, falam alto demais, não estão com atenção à aula, enfim, não faz o meu feitio conviver com este tipo de pessoas.

Adiante. Antes da aula, dirigi-me à casa de banho, estava uma senhora em fato de banho a lavar as mãos, sai outra da casa de banho e diz a primeira: "ó mulher, estás aqui?"

"Sim. Olha já fui mijar, vamos para a hidro?"

Depois da aula, a mesma senhora com quem tomo café, comentava que num dia da semana passada o ambiente estava tão foleiro, que o professor só não deu uma chapada a um senhor porque ele tinha idade para ser seu avô.

De facto, quem frequenta estas aulas são pessoas que andarão pelo setenta anos. Não têm a noção do que é estar numa aula, ou têm, mas por que são terceira idade devem pensar que merecem respeito dos mais novos, logo, que tudo lhes é permitido.

É, sim, uma falta de respeito para quem dá a aula que por vezes tem de elevar a voz para que eles o ouçam e estejam com atenção (escrevi sobre o assunto aqui )

Se eu fosse o professor parava a aula até que se calassem e quando o silêncio fosse pesado, sem proferir uma palavra, retomaria a aula como se nada tivesse passado. Garanto que eles percebiam e surtia efeito.

Fui ao Ikea, a loja que me dá imenso prazer ver tudo, tudo, comprei uns artigos, fui à máquina de pagamento self-service, entretanto, uma funcionária ofereceu-se para me ajudar, paguei. Eram duas e meia da tarde, estava cheia de fome, fui pôr as compras no carro, regressei para almoçar no restaurante Ikea. Comi um arroz de pato, bem cozinhado viam-se bons pedaços de pato semi esfiado, nada gorduroso (já comi pior em restaurantes).

Decidi dar uma volta pelo centro comercial, com bastantes lojas, todas mais do mesmo, à exceção de duas ou três novas marcas, subi à restauração para tomar café.

Aproximo-me do caixa para pedir um café, estava à minha frente um senhor acompanhado de uma criança. Do lado de dentro do balcão, duas funcionárias conversavam.

O funcionário da caixa pediu que tirassem o café para o senhor, chega a minha vez, pago, pede outro café... Uma das funcionárias tirava o primeiro café, continuava a conversar com a outra.  Pôs a chávena no balcão, quando, com a maior arrogância, o senhor diz:

- Isto é café que se tire! Eu pedi um café curto. Em vez de estar na conversa devia olhar para o que está a fazer!"

A funcionária ficou parva a olhar, pegou na chávena, deitou o café fora, foi à máquina e tirou outro café.

64943_315153528605070_1910211479_n.jpg

 

Quando o entregou, diz ele: "um café bem tirado deve estar um dedo abaixo da superfície da chávena. Antigamente as chávenas eram grandes e o café saía mais cheio, era o tipo café americano, mas agora que as chávenas são pequenas, o café, (repetia), deve estar um dedo abaixo da chávena. Não sei se me está a entender."

A funcionária olhou para a chávena e percebendo que o café estava curto demais, perguntou-lhe se queria que enchesse um pouco mais, ao que ele respondeu: "deixe estar, se põe mais café perde o sabor". E voltou a explicar "antigamente...", bláblá.

Entretanto, saiu do balcão, a outra funcionária dá-me o meu café. Quando olho para trás, estava uma longa fila de pessoas à espera que o senhor explicasse à funcionária como se tira um café.

Eu já estava a ficar pelo cabelos com a conversa e a arrogância dele. Quando se desviou do balcão, a funcionária diz-me com a maior descontração, própria de uma pessoa que está habituada a atender todo o tipo de clientes: "uma pessoa está sempre a aprender!" E eu sorri.

Na minha opinão, o senhor até podia ter razão pelo facto de as funcionárias estarem na conversa, mas foi servido, e se o café não estava a seu gosto, o que devia ter dito era: "desculpe, este café não está bem tirado, por favor tire outro", e ficava por aqui.

Quem está atrás do balcão atura cada uma!

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dia Mundial do Meio Ambiente

por Maria Araújo, em 05.06.15

Da excelente página do FB,  Depósito de Cartuns,  a imagem deste 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente.

 

10420403_706917206103207_4966940132526540095_n.jpg

 

 

há mais...

11391571_706953502766244_4482034460645037457_n.jpg

 

11401181_706930132768581_3846970445412868354_n.jpg

 

 

 

 

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Lá se pensam, cá se fazem"

por Maria Araújo, em 06.03.15

 

lisboa.png

 O meu irmão mais novo tem uma grande paixão por bicicletas.

Há cerca de 5 anos, começou a dedicar-se a elas, como hobby.

Compra peças, substitui, desmonta, altera, pinta, adapta-as ao tempo e aos lugares.

Desafio em desafio, com amigos e/ou sozinho faz longos percursos ao fim de semana e adquiriu o hábito de utilizar este meio de transporte para se deslocar para o trabalho.

Fato vestido, capacete na cabeça, mochila nas costas, raramente serve-se do carro para trabalhar.

Sempre atento ao que se passa nas grande cidades Europeias ou de qualquer outro continente, publica no FB o que vê, e "adverte" o nosso Presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, para o cumprimento do que prometeu aquando das eleições autárquicas.

Hoje publicou um vídeo  sobre Lisboa com o título "Ideias de Origem Portugesa" e, curiosa que sou, espreitei. 

Se em Lisboa, a cidade das setes colinas e das ruas com declinação acentuada é viável construirem-se ciclovias para todos os cidadãos, então, nesta cidade, plana, cheia de sol, acolhedora e com ruas largas, facilmente se podem adaptar ciclovias(as poucas que existem estão nos arredores e/ou numa via pedonal sem trânsito) junto aos passeios de modo a que os ciclistas circulem livremente e não ocupem as vias para os automobilistas, nem os passeios destinados aos transeuntes (se bem que estes têm o hábito de ocupar as vias destinadas aos outros).

Sigamos o exemplo que muitas cidades estão a fazer pelos cidadãos, até porque no Brasil a bicicleta dá pedal, como é exemplificado aqui: melhora a saúde e a auto-estima, propicia liberdade, de custo acessível, diminui o número de veículos nas ruas, diminui conflitos de trânsito, melhora todos os índices ambientais...

 

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

60 +

por Maria Araújo, em 28.03.14

Vamos entrar na hora de verão, podemos estar mais tempo fora de casa, beber um "chopinho"/fino/imperial, na esplanada após um dia de trabalho, mas a primavera está cinzenta e fria, não nos dá esse prazer.

Amanhã  uma  " Mega Aula de Yoga em 7 cidades Portuguesas assinala Hora do Planeta 2014", não são sete, mas dez as cidades que vão celebrar esta hora do apagão, entre as 20:30h e as 21:30h.

Sendo ou não Braga a tercera cidade do país,e a mais jovem, lamento que não adira a este evento somente de uma hora e de grande impacto no mundo.

A maioria das pessoas não são sensíveis a estes pequenos gestos ou, se são, esquecem-se que eles existem.

Todos os anos, aqui em casa, adiro. Desligo tudo. Se tiver de jantar à luz das velas, janto.

Amanhã, não vai ser excepção.

 

 

"O gesto simbólico de apagar as luzes das casas, empresas e monumentos emblemáticos, tornou-se num gesto poderoso com uma adesão muito para além das expectativas em todo o mundo! "

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aquando da conferência de Quioto, urgia...

por Maria Araújo, em 26.11.12

Espero que, desta vez, seja para ontem, não para amanhã.

 

"Todos estes relatórios concordam que é preferível agir já porque será mais seguro e menos caro do que adiar", disse Figueres, em conferência de imprensa.

 

 

Ficheiro:Flag of the United Nations.svg

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

O vinil

por Maria Araújo, em 18.09.11

 

Ontem, depois de um jantar no restaurante Chinês mais antigo e conceituado de cá, com a previsão de 2 mulheres para o jantar, juntámo-nos 6, mais uma jovem de 18 anos.

Fomos as últimas a sair do restaurante, por volta das 00:45h, a jovem foi para casa e nós seguimos para o hotel da Falperra, onde teriamos mais uma festa do vinil.

Os carros na estrada eram mais que muitos. Encontrei lugar junto aos escadórios da capela de Stª Maria Madalena (onde casaram os meus irmãos mais velhos, há anos...).
Como era perigoso caminharmos pela célebre "rampa da Falperra", decidimos subir os escadórios que dão acesso à capela.Inacreditável!Nunca tinha os tinha subido.

E lá fomos nós, 3 mulheres, as outras tinham ido levar a jovem a casa, encontrar-se-iam mais tarde, connosco, lá na festa.

Subir os escadórios, à 1h da noite, meter por uns caminhos, bem tratados, diga-se, no meio das árvores, foi de rir. E chegámos ao hotel.

A festa foi no espaço junto à piscina e, no momento, acontecia mais um espe(c)táculo de fogo, semelhante ao que aconteceu há 1 anos atrás, na festa Audi (gostei mais deste pelo local e estar bem perto do esp(c)táculo).

Mas o ambiente estava muito alegre e bonito.

Não vi muitas das pessoas que habitualmente frequentam estas festas, mas vi gente bonita e, confesso, homens muito interessante e charmosos, ui! Talvez o fa(c)to de ser num hotel fizesse com que a sele(c)ção fosse maior. O que sei é que me sentia bem naquele ambiente.

O senão da festa, foi o frio. Uma pista junto ao hotel, outra junto à piscina, que se encontrava "decorada" de belas máquinas, carros e motos...E que motos!

Onde me encontrava, com mais calor humano para não ser invadida pela brisa fresca da noite, um belo grupo de mulheres e homens permanecia junto às escadas que davam acesso à piscina que, segundo uma das minhas amigas (que conhece todo mundo) me disse, seriam motards. Estava junto a nós o simpático Z, que eu não via há anos, um dos motards ( estava constantemente a ser rodeado pelas mulheres.Ai, as mulheres...!)

A música podia estar mais anos 80, mas esta passava na pista junto à piscina onde eu fui uns minutos antes de regressar a casa.Aí, encontrei pessoas conhecidas.

Decidi vir para casa juntamente com a G, cuja filha completa hoje 10 anos. A  X, irmã da G, decidiu ficar. 

As ligações de telemóvel eram impossíveis de se fazer e a X acabou por enviar uma mensagem a dizer que ia com o amigo M.

Cá fora, disse à G que seria melhor irmos pela estrada, uma vez que já passava das 4h e havia mais pessoas a regressarem aos carros.

Mas desistimos. Fomos pelo mesmo caminho. Subimos à capela, bastante iluminada, e depois descemos os escadórios, no sentido oposto à luz da capela. Via-se mal, mas descemos. Em baixo via-se uma parte da cidade, cheia de luz. Uma vista muito bonita. E a G comentou: "linda a cidade à noite, não está?"

Levei a G , que vive em Vila do Conde, a casa da irmã e regressei " all alone" à minha rua. Nem estacionei o carro na garagem. Deixei-o cá fora, à porta de casa.

Mais uma festa passou. Das que fui, esta não foi das melhores, mas foi a que melhor ambiente teve.

Lá para Novembro há mais (mas não significa que vá, só se me apetecer).

Gosto do aconchego deste cantinho, da minha casa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quem diria????

por Maria Araújo, em 20.02.10

Governo Regional confirma pelo menos 31 mortos na Madeira devido ao mau tempo (SIC)

 

E assim, de repente, a madeira foi fustigada pelo temporal.

Penso que o AMBIENTE está a dar um sinal de alerta ao Homem.

É preciso esta desgraça para o homem acordar????

 

 

A todas as famílias que ficaram sem os seus entes, os seus bens e aos Madeirenses devemos dar o nosso apoio.

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

O pulmão da Terra

por Maria Araújo, em 05.04.09

Do blog hummmm...I see.

 

 

 

Para completar esta imagem copiada no blog em destaque, li ontem na revista Visão, Sociedade,  título, AMEAÇAS, e a propósito de uma conferência sobre desafios do jornalismo de Ambiente que se realizou na passada 5ª e 6ª feira, na Fundação Calouste Gulbenkian, o seguinte:

 

"Todos os anos a floresta amazónica perde uma área quase tão grande como o Alentejo";

 

"O nível médio do mar poderá subir até 80 centímetros, durante este século";

 

"Nas próximas três décadas, o planeta poderá perder até 20% de todas as suas espécies de animais e plantas".

 

Envio uma foto que acabei de tirar com a minha máquina fotográfica, sobre o artigo mencionado.

 

 

visão por você.

 

 

ALERTA, ALERTA, ALERTA!

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ecologia em humm...I see.

por Maria Araújo, em 02.04.09

Mai um tema que eu defendo e faço questão de divulgar.
Do blog hummm...I see

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)


foto do autor



o meu instagram


1º desafio de leitura - 2015 2º desafio de leitura - 2017 3º desafio de leitura - 2019

desafio


10 anos




Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


Encontros - eu fui

IMG_2230 (2).JPG MARCADOR