Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

29.09.15

que dores!

Maria Araújo

 

zápěstí-zhora-bolí.jpg

 

hoje não me apeteceu ir ao mercado municipal, fui comprar alguma fruta e legumes (acabei por trazer pouca coisa, não gostei da sua frescura) num mercadinho perto de casa.

Na esquina da rua, estava uma senhora a vender marmelos, figos, nozes e ovos. Com intenção de a ajudar e porque gostei do aspecto dos produtos, comprei marmelos e nozes. Pedi para os guardar enquanto ia fazer as compras no mercadinho.

No regresso a casa, na passadeira alcatroada e com faixas pintadas a branco, que sempre atravessei e atravesso, senti o tacão da minha sandália escorregar e, pimba! Caí e bati com o pulso direito no chão!
Duas senhoras vieram socorrer-me. Os sacos das compras caídos, levantei-me e disse: "que dores! ano passado fracturei este pulso, não é nada bom que isto aconteça". E contorcia-me de dor.

Agradeci às senhoras o apoio, os sacos das compras vieram para a mão esquerda e segui caminho com a mão direita encostada ao peito. Apesar das dores, movimentava-a bem, fiquei descansada. 

Cheguei a casa, pus gelo.

Julho passado, em casa da minha irmã, não vendo uma cadeira que estava perto da porta do quarto, a minha perna esquerda bateu num canto e o este pulso foi chocar na parede. Fiquei com um grande hematoma na perna e fortes dores no pulso. Dei um grito...mas os meus sobrinhos não deram por nada. Depois gozaram comigo, os sacanas.

Uns dias mais tarde, voltei lá e bato com a perna na cadeira. Reparei, então, que encostado a um móvel e junto à cadeira, estava o aquecedor.

Lixada, entrei no quarto do meu sobrinho, que vive no Porto, vem só de fim de semana, e procurei um lugar onde pudesse arrumar o aquecedor sem estorvar ninguém (não sei se o aquecedor continua onde o arrumei).

Hoje,  a primeira coisa que me veio à ideia quando senti as dores, foi: " Caramba, logo hoje que quero aliviar o cesto cheio de roupa para passar a ferro! Não quero voltar ao que passei há um ano e espero que não seja nada que me impeça de ir às aulas de antigravity." 

Agarrar o hammock com as mãos e os pés, é fundamental. Não caímos de certeza, e eu já me sinto muito segura no que faço.

O pulso já não me dói, está um pouco inchado, ainda não peguei no ferro, e amanhã vou às minhas aulas.