Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

cantinho da casa

cantinho da casa

"tenho de escrever o meu nome?"

Às 13h fui votar.

Na minha secção a fila era pequena, contrariamente ao que aconteceu nas última eleições. Talvez porque decidi ir mais tarde, depois do ginásio.

De repente, já estava eu dentro da sala,  surge da cabine de voto o rosto de uma senhora, nos seus 70 e muitos, que pergunta:

" Tenho de escrever o meu nome ou só devo pôr a cruz?"

Os membros da mesa não ouviram a pergunta, respondi eu imediatamente: " Só a cruz".

" Ah, está bem", respondeu.

Olhei para a fila atrás de mim. Todos sorriram.

Comentei com o meu decote: " Não quero acreditar no que ouvi!  Como é possível a senhora fazer uma pergunta destas?! Será que nunca votou? Estará esquecida de como se vota?"

Afraude-eleitoral -.jpg

 

 

 

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Maria Araújo 01.10.2017 19:32

    Ia acrescentar no meu post uma situação que achei estranha mas prefiro comentar consigo, e que se tratou de uma senhora, que conheço bem, andará pelos 66 anos, foi professora, que estava à minha frente com a mãe, na mesma secção de voto.
    A mãe foi votar primeiro, e quando chega a vez de ela entregar o cartão de cidade e eleitor, diz que não trazia consigo, que se esquecera, mas que o número de eleitor era a seguir ao da mãe.
    Os representantes da mesa, perguntam o nome da mãe, conferiram, e na linha a seguir constava o dela, pelo que deram-lhe os boletins de voto.
    Quem está na mesa conhece-a , com certeza, também, e confiou.
    Não achei correcto porque se fosse eu, com certeza que não podia votar, teria de voltar mais tarde.
    Mas fui ver as regras e afinal ela podia:

    "Documentos necessários Documentos necessários
    Se pretender exercer o seu direito de voto e não tiver consigo o Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão, pode apresentar um documento que tenha fotografia actualizada e que seja habitualmente utilizado para identificação (ex: passaporte ou carta de condução).

    Pode também identificar-se através de dois eleitores que atestem sob compromisso de honra a sua identidade ou ainda pelo reconhecimento unânime dos membros de mesa."
  • Imagem de perfil

    Andy Bloig 01.10.2017 19:36

    Isso acontece em meios pequenos. Aqui há uns anos valentes, estava de férias na aldeia de onde era o meu avô quando foram feitas eleições para a junta, devido a um problema com as que tinham feito anteriormente. A maioria das pessoas não levou nenhum cartão. Chegavam lá, davam o número (os mais velhos sabiam os números de eleitor) e era o presidente da mesa que validava o nome. Também era assim que muitos "mortos" votaram.
    Com menos de 300 eleitores nos cadernos, toda a gente se conhece.
  • Imagem de perfil

    Maria Araújo 01.10.2017 20:17

    Ahahahahah!
    Quantos mortos votaram, sim!
    Mas aqui, estamos numa grande cidade, que por acaso, na minha secção de voto, toda a vida, desde que me lembro de votar, está um vizinho meu, logo se eu me esquecesse, certamente que ele responderia por mim.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.