Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

04.08.20

nunca digas nunca

Maria Araújo

quando me falavam de " O Senhor dos Anéis" ou outra série que se estendiam no tempo, eu dizia que não tinha paciência para seguir, e não tenho, confesso, a não ser as que passavam na televisão em determinados dias da semana ou ao fim de semana,  como " Downton Abbey" , " O Comissário Montalbano" e outras.

mas a pandemia veio alterar a visão que tinha destas séries que, embora me cansem porque parece que tudo é posssível e o enredo arrasta-se por muito tempo, fico cansada das trapaças constantes tudo é possível, tudo conseguem,quando se trata do mal, da vingança.

cemecei por ver  "White Lines", " As Telefonistas" , " Velvet" e Velvet Collection",  agora a ver " Vis a Vis" são  séries espanholas as que mais trama têm.

os personagens são bons, "colam" o espectador ao écran que quando este dá por si, viu três ou quatro episódios seguidos quase esquecendo que há vida para além disto. e com a agravante de as primeiras duas temporadas terem episódios longos, passando nas temporadas seguintes para um máximo de 50 minutos.

vi a série brasileira, a 1ª temporada, " Coisa Mais Linda",  com um enredo delicioso, duração dos episódios de cerca de 50 minutos, o ideal, na minha opinião. aguardo a próxima temporada.

"Vis a Vis" é uma série violenta,  interessante mas, como já referi, à medida que os episódios acontecem o espectador espera mais, e mais rápido, a acção demora a acontecer.

adormeço e os espisódios seguem-se sem que dê por nada. quando acordo, quase não lembro o que se passou no anterior,mas como as vinganças entre amigas e  rivais repetem-se, quer da personagem principal,Macarena, quer da sua rival, Zulema( personagem muito forte) , se perdi alguma,não me faz voltar atrás e ver o episódio.

com um conteúdo empolgante, há,contudo, cenas evitáveis que parece querer alimentar uma história que poderia ser contada  em duas temporadas.

e nesta temporada, agora sem a personagem principal Maca, com quem eu simpatizava, comecei a ter um carinho especial por Saray, a lésbica, impulsiva, violenta e vingativa cigana que, quando as suas rivais passam por dificuldades, mostra o seu humor, o seu lado meigo,alegre, solidário. 

e da sua resiliência, o tempo de reflexão do estado da sua vida sempre que vai para a solitária, tem esta personagem um coração bom, cheio de qualidades.

"nunca digas nunca" , que não gostas de séries longas...

e já vou na terceira temporada.

 

 

 

 

10 comentários

Comentar post