Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

12.04.16

na pergunta do dia

Maria Araújo

 

Sem Título.png

 do Sapo falta a seguinte resposta:

 

" - Sim, e informei o banco."

Foi o que aconteceu há  cerca de 20 anos. Um conta com uns trocos que recebera de uma muito pequena herança, não a movimentava.

Quando recebi o extrato, reparei que tinha um depósito de 15 000 euros, 3 000 contos, na moeda antiga  ( que jeito me dava para comprar o apartamento, naquela altura já estava prestes a pedir o empréstimo).Tremi, fiquei sem reação. Mostrei à família.

Preocupada, falei com uma amiga advogada que me disse  que  o banco devia informar-me quem era o depositante.

Lembro-me muito bem que nessa noite não dormi nada e,  no dia seguinte,  fui ao banco saber quem foi o meu benfeitor.

Contando que iria ser recebida com cortesia, não, fui tratada com desdém e arrogância como se fosse eu que tivesse feito uma burla, me arrependesse do acto e fosse devolver o dinheiro.

A quem contava a história comentava:  "por que não me deste o dinheiro? eu sabia o que fazer dele", ou "ó rapariga, ficavas quieta, esperavas um mês, o dinheiro ficaria esquecido e seria teu."

E eu respondia " o dinheiro não me pertence, ficava com a consciência pesada, quero dormir tranquila".

Houve engano, retiraram o dinheiro da conta, nunca me deram uma satisfação.

Entretanto, cancelei a conta, mudei de banco.

Passaram 20 anos, nunca mais aconteceu nada semelhante, esqueci o assunto.

O que nunca esqueci, foi o comportamento da funcionária. 

Eu era uma jovem inexperiente. Se fosse hoje, teria resposta.

 

41 comentários

Comentar post

Pág. 1/2