Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

“Li os livros de Richard Bach. O Fernão Capelo Gaivota era uma gaivota que queria voar mais alto do que as outras. Caiu, mas levantou-se e fez o seu grande voo. Eu também sonhei com um grande voo, ao estudar.

Maria Araújo, 30.11.15

... ao estudar. Também caí, mas ainda me consegui levantar"

 

palavras finais de um dos depoimentos de uma das várias estórias que contam como funcionam as Finanças deste país, no artigo "O inferno são as Finanças" do jornal Público.

Sem Título.png

 

"Hoje, tudo é automático. Não há a possibilidade de se analisar cada caso na sua especificidade. Isso já levou à falência de milhares de empresas. E tenho muitas dúvidas de que, feitas as contas, estes métodos estejam a levar a um aumento da receita."

Eduardo Paz Ferreira, fiscalista

 

"Eles não faziam ideia de como se organiza um espectáculo. Não se informaram sobre a especificidade do caso. Nem sabiam o que são royalties."

Cristina Branco, cantora

 

"Perdi a confiança em Portugal. As penhoras são automáticas, não há nada que se possa fazer ou alegar. Não há meios de defesa."

Tiago Salazar, escritor

 

"60%  dos chefes de Finanças ocupam o lugar em regime de substituição. É uma espécie de comissão de serviço, de que podem ser dispensados a qualquer momento"

 

“Cada vez que vou ao portal, a dívida aumentou. Há meses, tinha 70 processos e devia 12 mil euros.  Fiz as contas a um pagamento em prestações, mas não conseguiria, porque o prazo máximo que concedem é de 36 meses.”

 

Paulo T.

 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Maria Araújo 30.11.2015

    Claro que não escapamos, mas vale sempre a pena alertar, também.
    Calar, não!
    E eu já tive um caso que me deu que fazer e horas que perdi, com o IUC do meu pai.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.