Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

27.07.20

esta treta de falar para um gravador

Maria Araújo

o meu carro avariou, isto é, ontem levei a minha sobrinha e filhote até Caldelas, quando chegámos ajudei a levar as compras até ao elevador.

quando entrei no carro liguei a ignição, engatei a primeira velocidade, ouvi um ruído, não angatou, tentei  a segunda velocidade,e nada.

segunda tentativa, o carro andou um pouco, e aos soluços, foi abaixo; segunda tentativa, terceira tentativa, nada! estava no meio da rua, não havia um único lugar para estacionar.

para chegar a casa teria de fazer um percurso de cerca 200m, tentei arrancar engatando a terceira velocidade e o carro começou a andar, engatei a quarta.

entretanto, tive de deixar passar um casal com um bebé, que atravessavam passadeira, depois de passarem,  tentei de novo engatar a primeira velocidade, sem sucesso, voltei à terceira, já estava no início da minha rua.

consegui estacionar o carro em frente à minha garagem, facilitaria tudo o que quer que hoje tivesse de fazer, e ainda bem que pensei nisso, porque o carro foi de reboque para a oficina.

de manhã cedo,fui de autocarro para o ginásio, quando cheguei a casa, liguei para a oficina, queria saber o que fazer, pediram-me para ligar para a companhia de seguros e pedir um reboque, não pagava nada ( nunca precisei,não me lembrava que não pagava), porque se fossem eles a pedir o reboque, eu teria de pagar 25 euros.

liguei ao meu agente de seguros que me disse para ir à carta verde procurar o número de assistência ao cliente, que a companhia resolvia o assunto em pouco tempo.

e foi aqui que a coisa me fez desatinar pois convenci-me de que iria falar com alguém ( e falei), só que o gravador, e após confirmar o número de telemóvel e a matrícula do carro, fez umas quantas perguntas que eu tinha de responder  sim ou não, que deveria dizer após ouvir um sinal, e eu respondia antes, pelo que a pergunta era repetida.

passei-me,no início, quando a voz  me pediu que dissesse a matrícula do carro, número a número,e eu referi o hífen,o que não foi aceite,então tive de esperar que a voz falasse, e eu de repetir, desta vez sem o hífen, e a coisa andou. 

e esta treta toda para chegar  à conversa com o colaborador que num minuto confirmou a matrícula do carro e a cidade,e informou que o reboque passaria daí a 45 minutos...

"quê?"  perguntei, "a oficina fecha às 12h30", comentei.

"não se preocupe, o reboque vai buscar o carro e resolve a questão do horário",respondeu.

entretanto, já passava da hora de fecho da oficina, mesmo assim liguei. atendeu-me a recepcionista. informei-a de 

 que o carro ia à hora do almoço,gostaria de saber como fazer estando fechada, imediata foi a resposta:

que dissesse ao senhor do reboque para deixar o carro estacionado em frente ao portão e a chave do carro na caixa do correio.

e esta,hein!

entretanto,chegou o reboque, e como este não podia fazer a manobra até à garagem, que fica  atrás do prédio, a marcha atrás funcionava, eis que tentei engatá-la,nada!  e o carro foi empurrado até ao reboque.

de tarde tive os sobrinhos netos (cariocas) cá em casa, fomos os três a pé,com o calor que estava, buscar o primo deles à creche.

 

 

6 comentários

Comentar post