Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

em tempo de COVID

Maria Araújo, 26.11.20

sair à rua de manhã para compras, é tranquilo, as lojas estão praticamente vazias, mais facilmente  podemos escolher o que queremos. Foi o que fiz hoje.

Na loja online Bordallo Pinheiro, vi umas peças que queria comprar, uma delas estava esgotada. A minha intenção não era comprar online, mas selecionar o que me interessava e procurar na loja cá da cidade.

Entrei na loja, que só permite duas pessoas, a cliente que estava a ser atendida saiu uns minutos depois de eu entrar.

Expus à funcionária que procurara na loja online mas uma das peças estava esgotada, gostaria de saber se tinha lá. Sim, tinha, e apontou para a prateleira mais alta da loja, trouxe-a para o balcão.

Seguiram-se outras peças que não as tinha lá, mas no armazém, foi buscá-las.

Era a única cliente, estava acompanhada da senhora da limpeza que comentou comigo que há peças lindíssimas e que a colecção de Natal tem um senão, que é usá-las uma vez por ano. 

Das cores das peças que trouxe do armazém, estava indecisa quais escolher, entretanto, entrou uma mulher que dirigiu-se a ela e disse " venho buscar as peças x".

A funcionária embrulhava a primeira  peça que pedi, mas porque eu ia escolher mais, disse que atendesse a mulher,uma vez que, presumi eu, estavam encomendadas e só ia buscá-las..

A funcionária foi buscar as peças x, à vista numa das prateleiras, mas a mulher começou a dizer que queria mais peças daquelas para pôr  num canto do móvel da cozinha. Tirou o telemóvel da carteira e mostrou à funcionária uma foto. Como não tinha mais peças na loja nem no armazém, eu convicta que a mulher ia pagar e sair da loja, tratou de escolher mais coisas, que a funciontária  ia buscar às prateleiras. Sinceramente, não vi o que a mulher comprou.

Era mais isto e aquilo, encomendou outras peças, passaram cerca de trinta minutos.

Já estava a ferver, fui para a porta para não me chatear

Quando pegou no cartão para pagar, a máquina não estabalecia a ligação, tentaram uma, duas, três, quatro vezes, e nada.

Entretanto, a mulher recebe uma chamada e dizia: " estou a chegar ao carro"  mas o carro estava longe da loja (comentara com a funcionária), por isso não podia levar tudo o que queria.E ela não saía  da loja, e eu à espera.

Ora, na altura do pagamento,  a funcionária disse-me que já ia atender-me, olhando-me com ar de quem não gostou do que a mulher fez.

Diriji-me perto do balcão e disse às duas: " cedi a minha vez à senhora porque disse que só vinha buscar as peças,mas afinal escolheu outras, se eu soubesse que ia fazer isso, não lhe dava a vez"

A funcionária não disse nada, a mulher ouviu, ignorou-me, não pediu desculpa. Cerca de dez minutos depois,conseguiu a ligação,  pagou e saiu sem me dizer um "obrigada, desculpe fazê-la esperar, afinal cedeu-me a vez".

Quando finalnemte a funcionária me dirigiu a palavra, falei que ela não tinha culpa, eu é que cedera a vez, mas a senhora foi incorrecta porque devia ter dito que não ia buscar somente as peças, mas escolher outras, e teria que esperar pela vez.

Uma dada altura, quando tentava pagar, disse a mulher: " prontos", isto fica pago, depois venho buscar as peças que encomendei"
Este "prontos",disse-me tudo.

Odeio gente mal agradecida.

4 comentários

Comentar post