Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

cantinho da casa

cantinho da casa

Seg | 08.03.21

eliminações, renovações e fusões

a propósito desta notícia,  há dias que andava para escrever um post sobre o assunto, bancos.

Fui, na semana passada, ao meu banco e fui "corrida" para o meu balcão, que me esqueço que é onde tenho a minha conta.

O assunto que quero resolver deixa-me algumas dúvidas, pensei falar com o meu gestor de conta que mudara há pouco mais de um ano para o balcão perto de minha casa.

Cheguei lá, toquei à campainha ( desde a primeira pandemia que a porta está fechada)  espreitei pelos vidros, pareceu-me não estar ninguém. 

De repente, vi uma mulher aproximar-se, era a minha amiga C, que me fez o gesto de que não podia abrir, e disse que o balcão fechou.

Ao meu lado, estavam duas mulheres que também esperavam entrar.

Perguntei, de fora, para onde tinha ido o meu gestor, precisava de falar com ele.

Indicou-me o balcão, que há anos não entrava lá, também no centro da cidade.

Quando cheguei, fiquei boquiaberta:

-primeiro, fiquei à porta porque estavam duas pessoas que eram atendidas por um senhor do banco que indicava e/ou diriga as pessoas para o guiché de atendimento

-segundo,o banco estava cheio de clientes, já não tem as cadeiras para estes se sentarem enquanto esperam ser atendidos

-terceiro, o ruído era demais, fiquei confusa, não sabia o que fazer

-quarto, decidi esperar à porta para que alguém viesse ter comigo e me perguntasse qual o assunto a tratar

E assim foi. O tal senhor veio na minha direcção, mas fui eu que o abordei dizendo que queria falar com o meu gestor, senhor"x".

Mandou-me aguardar.

Entretanto,voltou e disse que o gestor estava ocupado, não podia atender-me, perguntou qual era o assunto a tratar.

Fomos para um guiché livre, expliquei o que me levava ao banco.

Foi ao computador,depois de lhe dar o meu NIF, esclareceu a minha dúvida, e de repente, diz-me: " a sua conta não está neste balcão. Tem de ir ao seu e tratar do assunto"

Respondi eu:"  Eu sei que a conta  não está neste balcão, mas o meu gestor de conta saiu de lá para o balcão que fechou,  é com ele que quero tratar dos assuntos".

"Ai,não, tem de ir ao seu balcão, não tem aqui a conta..."

"Pois, mas o senhor "x", quando mudou de balcão, levou os clientes consigo, por isso quero continuar com ele,não vejo porque não posso tratar aqui os meus assuntos".

Resposta imediata:"Tem de ir ao seu balcão. Agora não há gestor, vá lá e qualquer um dos colegas trata do seu assunto".

Saí do balcão lixada porque:

- o balcão onde fui atendida por este senhor, está super lotado, são divisórias seguidas, que não só me preocupou neste tempo de pandemia,como deixou de haver a privacidade de tratar assunto importantes .

Quando li o artigo no link acima, percebi que os bancos estão mais preocupados em conter despesas do que com a carteira de clientes e  o bem-estar destes, que,  no mínimo, era manter a privacidade que tínhamos.

Mas eu não vou ao meu balcão, não!

Vou enviar um e-mail ao meu gestor, exponho o que quero tratar, e depois agendo um dia e uma hora que ele possa atender-me. 

Durante anos tive vários gestores, gostei mais de uns que outros, estou há alguns anos com este, não quero mudar.

E se o banco é um só, na minha opinião, qualquer balcão está apto a receber os seus clientes.

 

 

 

 

 

8 comentários

Comentar post