Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

coisas do meu dia

Maria Araújo, 11.10.16

 

Sem Título.png

 

Ontem, deixei o carro em frente à minha garagem. Ia para o ginásio, quando abro a porta, sem olhar para o chão ( não posso passar a vida de olhos no chão para ver se encontro uma carteira com dinheiro, né?), sinto algo mole na sola do meu ténis. Fiquei lixada. "Oh, merda de cão!"

Ainda limpei um pedaço na erva daninha que cresce na garagem do vizinho do 1º andar, que não a abre há mais de 7 anos.

Pensei: " Pisar merda é sinal de dinheiro. Hoje é dia do euromilhões, quem sabe me sai uns euritos?"

Ora, se for como na semana passada, 7,75€  já dá para jogar uma semana e ainda sobra ( contento-me com pouco). Agora se sair uma pipa de massa, já valeu a pena calcá-la. Mas que é uma valente merda pisar merda e ter de a limpar, é!. É que entranha-se na sola e é um caso sério tirá-la.

 

hqdefault.jpg

 

Hoje, fui levar a Sofia ao Hospital Privado para uma consulta.

Depois de 1:15h à espera ( entretanto, adormeceu a meu lado enquanto eu conversava com uma amiga minha que também esperava a vez) fpi chamada.

A minha amiga já tinha saído, deixei-me estar no mesmo sítio. Não me mexi. Lia um livro que levara. Era a única pessoa naquele corredor onde, em frente, tinha um espaço com cadeiras, o balcão da funcionária e um aparelho de TV fixo na parede.

Às tantas, uma senhora aproxima-se. Levantei os olhos porque percebi que ia sentar-se do meu lado esquerdo, com lugar para 3 pessoas. Assim fez. De repente, ainda mal sentara o rabo na cadeira,  levanta-se e vem para o meu lado direito, faz o gesto para se sentar...Não havia pedaço de cadeira para ela.

E não é que desviei-me pois estava a ver que se sentava em cima de mim?  Eu estava naquele sítio há quase 2 horas! Que raio lhe passou pela cabeça?

Estive para lhe dizer que havia muitos lugares para se sentar, porque havia eu de me desviar?

Deixei-me estar quieta e muda, continuei a ler.

O médico chamou-a.

Quando saiu, foi na direcção oposta da entrada.

Chegou ao fundo do corredor, voltou para trás. Viu a funcionária e perguntou: "onde é a saída?"

Foi-lhe indicada, e diz ela: " ai, a minha cabeça!"

Ainda bem que não disse nada. Acabara de sair do consultório de psiquiatria. 

15 comentários

Comentar post