Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

Surpresa

Maria Araújo, 17.05.09

Na visita a Paris,  no fim de semana prolongado de 1 de Maio, sendo o  grupo de 40 pessoas, tinhamos um  "chefe" que  , o homem que organizou a viagem e se empenhou para que nada falhasse, desde Novembro de 2008, avisava quando deveríamos entrar e/ou sair do metro. Os franceses riam-se e olhavam-nos da alegria e alguma algazarra que fazíamos na estação e dentro do metro. "eiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii! Entrar. Eiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii! Sair!"

No passado dia 1 de Maio, pelas 20 horas locais, na cidade de Paris, quando regressávamos ao hotel Ibis , sito em Clichy, deveríamos entrar em Porte de Clichy e sair em Place de Clichy. Áquela hora o metro vinha cheio. As portas fechavam rapidamente. Quase não dava tempo a que as pessoas saíssem e/ou entrassem.

Pois nessa estação ouvimos o dito "eiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, entrar!" De repente, quando eu,a minha sobrinha e uma colega íamos entrar para o combóio, as portas fecham-se. Agarro o braço da miúda. Alguém tentou abrir a porta. Mas nós deixámo-nos ficar.

Vêem-se todos, os do grupo, estupefactos. O "chefe" faz sinal para apanharmos o metro seguinte.

Mas o combóio seguinte não tinha esse destino.

A mesma linha tinha dois combóios com destinos diferentes.

Chovem as chamadas de telemóvel para a minha colega. Com recomendações. Esperar-nos-iam no hotel.

Nós não ficámos preocupadas. Sabíamos qual era o combóio e a estação a sair.

Esperamos cerca de 10 minutos.

Entrámos. O telemóvel voltou  a tocar. O meu também tinha tocado, mas eu não o ouvira.

"Já estamos no metro", ouvia eu a minha colega responder. "Estejam tranquilos"

A preocupação do grupo era a minha princesa, rsrsrsrsrsrsrsrs!

Quando chegámos á estação de  Place de Clichy, as portas abrem-se e eis a  nossa admiração. O grupo esperava-nos. Os mais baixos em cima de um dos bancos da estação. os mais altos á frente como se estivessem preparados para cantar.

E todos em algazarra bateram palmas e gritaram "viva!".

Fiquei emocionada. A minha pequena, que foi abraçada por uma das minhas colegas e amiga, ficou encantada. A minha companheira deste pequeno percalço  nem sabia o que dizer.

 

 

Paris 09 (22) por você.

 

 

E porque na Sexta-Feira passada fizemos um jantar em agradecimento ao "chefe" do grupo pela organização, trabalho e preocupação que teve nesta viagem, foi lembrado este simbólico acontecimento.

Não estiveram  presente as crianças e adolescentes nem alguns colegas.

Tivemos um jovem a tocar concertina, e que bem tocava, e nós dançávamos num espaço pequeno mas simpático.

Foi divertido. Tão divertido que o "chefe" estava a dançar e, de repente, tropeça e vem contra mim, de frente. Bate com o rosto no meu nariz. Que dores!

Mas passou.

Algum tempo depois, quando já estava esquecido, alguém diz-me:"tens o nariz com um risco vermelho"

Fui ver ao espelho."Um risco bem marcado vem da testa até ao nariz". 

Pois,com o impacto, os óculos dele fez das suas!
Foi uma noite divertida.

A repetir.

E a próxima será com todos.

 

 

 

 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.