Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

Vou escrever sobre futebol

Maria Araújo, 28.04.12

Ontem fui à bola. Recebi uma mensagem a convidarem-me, pois não se pagava.

Nem sequer fui ao jogo por não se pagar, mas pelo convite. Gosto de ir pela companhia. O Braga estava numa posição confortável, ver os jogos ao vivo dá outra perspectiva da performance dos jogadores.

Mas das vezes que fui ao estádio, vinha desiludida com a facilidade com que, na segunda parte do jogo, a equipa facilitava, perdia bolas, passes sem nexo, que os adversários aproveitavam para atacar. E foi nestes passes, neste relaxar do Sporting de Braga que percebi que, no geral, a equipa faz uma exibição bonita e com táctica na primeira parte , para depois ser um desterro autêntico, na 2ª metade do jogo.

E ontem, foi o que aconteceu. O Olhanense, uma equipa com jogo de bola parada, não atacava, fazia faltas, o Braga ia avançando e fazendo um jogo interessante, até ao primeiro golo. A partir daqui, o "relaxamento" da equipa começou a ser notado pelos adeptos que desafiavam a equipa a jogar mais e melhor.Porém, esta não correspondia e os assobios eram demais, como é obvio (perder pontos em casa, estava à vista)

Intervalo, o  Braga ganhava 1-0.

Começou a segunda parte e foi o descalabro total, o que sempre tem acontecido nos jogos que vou: bolas mal passadas, perdas de bola, jogadas de brincadeira, infantis, sem táctica, sem nada. O adversário, que já há muito que percebeu que o Braga perde força nos segundos 45', aproveitou, e bem, as brincadeiras da equipa. E assim, aconteceram os golos do Olhanense.

Atrás de mim, estavam um pai,  pessoa com boa formação, diria, um VIP cá do burgo, que eu conheço, e o filho, que não o conhecia. Percebi que  este é um bracarense ferrenho, daqueles que vai a todos os jogos... O desespero era grande. O filho fartava-se de maldizer a arbitragem, que diga-se, não foi justa.

Os f***-se, c*****o, f***o da p***@ e por aí fora, brotavam daquela. O pai, de quando em vez, também mandava umas c*****adas.

A cerca de 10 minutos do final do jogo, disse à minha companhia "eu não vou ficar para o final do jogo, isto está uma vergonha". E não fiquei.

Nos entretantos, num dos aparentes golos do Braga, que não foi considerado (penso que a bola entrou, mas também não vi as filmagens na TV, não sei, nem sequer ainda liguei a TV para confirmar), ouço um estrondo atrás de mim.
Olhámos e verificámos que o pai não estava e o filho havia dado um punho ou pontapé, não sei, na cadeira onde o pai se sentara.

O jovem estava desesperado. E praguejava dizendo que o Benfica tinha pago à arbitragem para castigar o Braga.

De repente, ele vai embora.

Digo para a minha companhia: "vamos, não quero ver mais nada".

E saímos do estádio, chateadas com a performance da nossa equipa que tinha obrigação dar tudo por tudo pelo jogo, pela liga, até a último dia, minuto, segundo.

Já estou a imaginar o SCP, que tão mal diziam dele, a passar o Braga e alcançar o 3º lugar desejado.

"Vergonha Braga. Jogaste com uma equipa "fraquinha" e mostraste que se perde um jogo com a maior  das facilidades. Foi uma desconsiderção para com os teus adeptos."

E o grande jogador do derby foi o guarda redes do Olhanense.

Quem merece elogios, eu dou.

Tentámos esquecer o jogo indo comer uma francesinha e beber um fininho a umas das tabernas de Braga.

A conversa foi agradável e regressámos a casa 1:30h quando o jogo já estava esquecido.

 

 

 

4 comentários

Comentar post