Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

E os comentários continuam

Maria Araújo, 08.04.12

Quando escrevi este post , e porque ia e vendo as notícias da tarde nos diferentes canais, estava longe de imaginar que iria ter mais de 30 comentários, alguns em forma de poema.

Fico grata a todos, li-vos, e gostaria de deixar aqui um dos poemas e este, acabado de chegar de Espanha.

 

 

"Hola, soy una española que adora Portugal, solía ir a menudo, sobre todo a Sesimbra, ahora iba más a Sao Martinho do Porto y Nazaré, ya que Sesimbra ya es como estar en España, y también precios abusivos en restaurantes y mercado,  pero viendo todo lo que está pasando con los peajes, la subida excesiva de la gasolina y la inseguridad ciudadana que está creciendo de forma alarmante, no me planteo volver a Portugal en una buena temporada. Y mira que lo siento profundamente, porque adoro Portugal y su gente. Espero que el gobierno, tome nota , ya que es una imagen tercermundista la que se ha dado del Algarve y sus peajes."

 

 

 

 

Poema

 

Herois do mal a 8 de Abril de 2012 às 10:47
Adeus A vinte e dois
digo-te adeus até depois
podes esperar por mim sentada
não passas de uma simples via
mas agora tens a mania
que já és uma auto-estrada

conhecida pela via do Infante
que o Cavaco gostava tanto
era primeiro Ministro de Portugal
para passarem jipes e Mercedes
e muito dinheiro por entre os dedos
num tempo que tudo era normal

tu que foste concebida
para seres livre toda a vida
e agora deixas-te aprisionar
e nós ficamos sem alternativa
com vinte três por cento de IVA
já não chegamos nenhum lugar

vou pela cento e vinte cinco
mesmo que não passo dos vinte
ao meu destino hei-de chegar
aqui pelo meu pobre país
tudo o que tinha a fazer já fiz
e nada eu posso alterar

deixas-me cheio de tristeza
por seres a estrada portuguesa
onde eu transitei um dia inteiro
vejo que afinal és uma vadia
e que a partir deste dia
começas a cobrar dinheiro

desde Lagos a Vila-Real
entre a Serra e o litoral
e de negro estás vestida
com curvas mal torneadas
és a pior das auto-estradas
que eu já vi na minha vida

és uma estrada do Sul
agora arranjas-te um chulo
és uma desenvergonhada
ele quer é chupar na teta
que já começa a ficar seca
de tanto ser sugada

na tua vizinha espanhola
ainda passamos lá de borla
e está mesmo pegada a ti
mas a Espanha é Espanha
não é a pouca vergonha
como esta que se passa aqui

as auto dominadas scuts
foram árvores que deram frutos
agora todos corrompidos
cada vez a viagem é mais curta
num país com alguns filhos na luta
e outros tantos mal paridos