Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

11.08.11

Kat

Maria Araújo

A minha gata nasceu há um ano. Adoptei-a com um mês de vida

 Brincalhona, saltava para as minhas costas, trepava-as como se fosse o tronco de uma árvore.

Ás vezes, assustava-me.

Sempre que ponho a roupa a secar, ela dá o salto e passeia pelo parapeito da janela.

Felizmente nunca caiu.

Em pequena, se me via deitada no sofá, saltava para as minhas pernas, acomodava-se e adormecia.

Agora, vê os meus pés descalços e ,na brincadeira, morde e arranha os meus dedos. Já não se senta a meu lado.

Se adormeço, deixa-se estar quieta e /ou senta-se no puf em frente ao sofá, e fica na preguiça.

E se adormeço profundamente, acordo, de repente, com a respiração  dela junto ao meu rosto.

É muito independente.  Já não se põe a meu lado. Se pego nela, não me permite que lhe faça meiguices nas costas. Só junto à boca...para me morder.

Gosta do espaço dela, de marcar terreno e, se prepara uma investida quando brinco com ela, o olhar de vingança é fatal. Nestes momentos, chamo-a de ratuxa, gata e cãozinho.

É que ela faz de tudo. Rói papeis, morde-me e arranha-me...Mas sabe respeitar quando eu lhe digo não.

Adora os tapetes que tenho no closet. Mete-se debaixo deles, enrosca-se, descansa...

Entende que me levanto mais tarde, não mia para lhe abrir a porta.

Está calor, adora a noite na varanda. Sozinha.

Vou de férias e ainda não sei o que fazer.

Receio o comportamento dela.

A Kat está grande e bonita.