Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

Os morangos

Maria Araújo, 14.07.11

Combinei com a amiga M, e colega de trabalho, irmos à escola.

 Embora ainda não esteja de férias e tenha reunião na próxima semana, tinha uns documentos para entregar e aproveitar, também, para" arrumar" o meu cacifo, cheio de livros que recebi das editoras e que eu deixara lá para o grupo escolher o livro adoptar para os próximos anos.

A minha amiga tem uma casa lá na vila, onde passa parte das férias de Verão.

 Lá no alto de uma colina, vê-se toda a vila rodeada de montanhas, ao longe. O castelo, do lado esquerdo e  a paisagem é relaxante e bela. Ficava bem um rio, que existe, mas longe dali.

Um grande jardim circunda a casa, com uma relva muito bem tratada, onde, num canto uma ameixoeira, carregada de fruto,enche o olhar de quem lá vai.

Juntos aos muros que circundam a casa, ramadas de limoeiros,  laranjeiras, pereiras, estas ainda verdes mas grandes, e quivis já em fruto, deliciam as bocas gulosas, como a minha.

Nas traseiras da casa, viam-se mais laranjeiras e, junto ao carreiro de cimento que dá para um tanque, vi uma capa preta  cortada aqui e ali em círculos, de onde saem as folhas verdes e os frutos vermelhinhos dos morangueiros. Junto a estes, tem CDs usados,  que a minha amiga me explicou servir para "espantar os pássaros".

Nem queria acreditar.

E, a um canto, um grande tanque deixava que a água fresca, vinda de algures, convidasse a um banho, naqueles dias de calor, não fosse algum lodo que se vê no fundo.

Do outro lado, mais um pequeno espaço com relvado e, junto à entrada principal, as igranjas completam a beleza daquele cantinho.

O que nos levou até lá?

Regar o extenso jardim.

Antes, colhemos os morangos, lavámo-los na água fresca que saía do cano.

Uns maiores, outros mais pequenos e, quando como o primeiro, fiquei deliciada. E como adoro frutos vermelhos! Como eu gosto da cor vermelha! E nunca, mas nunca comera morangos tão doces e deliciosos.

E comi-os todos. Ficaram alguns ainda verdes que serão apreciados por um colega nosso que irá regar o jardim quando  a M for de férias.

Depois, passámos uma hora e meia a regar, apenas, duas parcelas do relvado.

A M pediu-me que cortasse laranjas, limões e ameixas. Estas já apodreciam na árvore.

Enchi um saco, lavei algumas e "oh, que deliciosas!"

O sol queimava.  Eram 14:30h e ainda regávamos. A tarefa de regar o jardim, que  deveria ser feita de manhã cedo ou com o pôr-do sol, mas a M aproveita todos os intervalos do almoço, em tempo de aulas, para o fazer mas, no fim-de-semana, não vai estar por lá.

De repente, com o calor que sentia, tirei os sapatos e metia-os debaixo da água que saía da mangueira.

Comentei: "É tão bom ter uma casa com este espaço cheio de verdura , frutos e água fresca".

E retrocou: "É bom, mas dá muito trabalho tratar dos frutos e do jardim. Eu e minha mãe passámos muito tempo aqui a cuidar disto tjudo, mas também é agradável comermos aquilo que plantámos".

Em Agosto, como é habitual, vai para lá passar as férias, depois de quinze dias no Algarve. E eu visitá-la-ei,com certeza.

Um lugar calmo, aprazível, para andar à vontade, e onde se ouve um ou outro carro que passa na pequena estrada que dá acesso às outras vivendas, os pássaros e a água que cai no tanque.

Regressámos a Braga por volta das 15horas, sem almoçar. Bastaram os morangos e as ameixas que comi.

Temos boa terra, temos sol, temos chuva, temos muitos meios de nos alimentarmos com o que é "Produzido em Portugal". Sem quimicos, sem estufas, sem produção em série, sem importações.

Tive pena de não ter levado a máquina fotográfica. Teria umas belas fotos para colocar aqui.

Fica para a próxima.

Adorei este bocado do dia.

Obrigado M.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2 comentários

Comentar post