Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

"De molho"

Maria Araújo, 16.10.12

Como diz o ditado «avinha-te, abifa-te, abafa-te », fiquei em casa a curar-me. Amanhã, com certeza,  estarei melhor para trabalhar.

Perante as notícias, sempre iguais, do ministro do dinheiro (quase não existe no nosso bolso), entrei no Sapo e vi em destaque este blogue.

 

O orçamento de estado foi divulgado, e os crimes estão aqui:

 

- "um crime contra a economia";

- "um crime contra as contas públicas";

- "um crime contra a classe média, que será esmifrada até ao último cêntimo";

- "um crime contra a honra do Estado";

- "um crime contra a autoridade do Estado";

- "Este orçamento é um crime".

 

 

 

 

 

 

 

 

Livro de reclamações

Maria Araújo, 15.10.12

Dos CTT foi o que pedi hoje, depois de enviar uma carta.

A senhora, que conheço, perguntou-me o que queria reclamar.

Explique,i e responde ela: "Junto aos apartados, tem lá um prateleira com envelopes RSF. Escreva a sua reclamação,  meta-a na caixa, lá fora.

Peguei no único envelope que lá tinha. Dentro deste tem o impresso de sugestão/reclamação/pedido.

Então o  que quero eu reclamar?

O modo como o(s) carteiro(s) coloca(m) as cartas na caixa do correio.

Já há muito tempo que tinha intenção, mas nunca o fiz, de deixar um aviso na minha caixa de correio a pedir que não dobrem os envelopes nem os deixem à vista presos pela entrada de correio.

As revistas e/ou promoções da Staples, que costumo receber, veem em envelopes grandes e nem sempre entram, pelo que aceito que os dobrem e os deixem à vista. Cartas, não!

Irrita-me chegar do trabalho e vê-las dobradas a meio, presas pela entrada da caixa. Nem eu imagino qual o conteúdo do envelope, não é correto que o fçam.

Na 6ª feira passada, quando cheguei a casa (as caixas de correio do prédio ficam dentro da porta principal), os meus olhos dirigiram-se para a caixa. Vi um envelope vermelho e pequeno, dobrado.

Achei estranho: "envelope pequeno e vermelho?" murmurei.

Abri a caixa para verificar se continha mais algum correio, peguei na carta e observo a letra.

Conhecida.

Entrei em casa, abri o envelope e vejo a foto do meu sobrinho neto, o António Pedro, ainda com 3 semanas de vida (agora com quase 3 meses).

Mas fiquei irritadíssima. A foto vinha rasgada  e uma dobra ainda que ligeira, mostra este modo incorreto de colocar(em) o correio nas caixas.

Foi preciso acontecer uma vez para eu tomar a decisão de reclamar o que há muito devia ter feito.