Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

Rossini, doodles e Google.

Maria Araújo, 29.02.12

Hoje o Google, como sempre, faz uma homengem a uma figura muito importante da ópera:  Rossini.

Com pouco tempo para escrever,cliquei na palavra doodle e descobri como se formou esta palavra.

Nunca pensei que tivesse origem, principalmente, nas escolas ...

 

"Doodles são desenhos ou esboços, feitos quando uma pessoa pretende distrair-se,
ou ocupar algum tempo livre.

Normalmente, encontram-se em cadernos  escolares e são de autoria de alunos pouco interessados na aula. Podem ser caricaturas de professores, de alunos, de famosos ou até personagens de banda desenhada. Podem ser formas geométricas ou animações."

 

A imagem de hoje tem como personagens os SAPINHOS... em «Barbeiro de Sevilha». DEMAIS!

 

 

 

 

 

A noite

Maria Araújo, 27.02.12

que não acompanhei.

Não houve grandes surpresas, pelo que se esperava já.  

Quanto aos vestidos, aqui ficam os meus gostos da passerelle  vermelha dos Oscares 2012.

 

 

 

Branco, a cor das noivas. E este está delicioso, com a capa a dar-lhe um toque de elegância fantástico.

 

 

 Estou um pouco cansada deste estilo de vestidos, sem um dos ombros, mas este está elegante.

 

 

 Como era der prever, e não sendo o dourado a cor eleita, gosto deste modelo, conforme tinha dado sugestões neste blogue

 

 

 

A cor verde teria de fazer parte deste desfile de estrelas. Elejo este pela simplicidade e o toque do blazer .

 

 

 O vermelho, a minha cor preferida, o decote subido, ombros que sobressaem, é um dos modelos que combina com os meus gosto e corpo.

 

 

Com um vestido preto, ninguém se compromete. Gostei deste da Angelina Jolie.

Adoro os vestidos com uma abertura bem ousada, que mostre as pernas.

 

Imagens retiradas daqui.

No parque

Maria Araújo, 26.02.12

Hoje fui ao parque da ponte, já acabada a sua última fase de reconstrução. Algumas colegas tinham-me falado que estava bastante apetecível para dar umas voltas. A cerca de 10 minutos de casa, pois tenho a feliz sorte de viver no centro de tudo, e numa rua sossegada, lá fui espreitar o espaço que fica no final da avenida da Liberdade e a caminho do Parque de Exposições.

Tinha feito uma visita ao interior do parque que, diga-se, ficou muito apetecível para nos dias quentes de verão passar alguns finais de tarde agradáveis.

Umas fotos à capela de São João, árvores circundantes, ao coreto, quando me apercebo de umas estátuas que circundam um cruzeiro (e não me recordo nunca de as ter visto por ali)aproximei-me do espaço e "click" a primeira estátua, click" o cruzeiro, "click" a segunda, aproximo-me um pouco mais, piso a relva e "click", a terceira estátua.

De repente, ouço uma voz forte, masculina. Olho em frente, e vejo dois homens que me olhavam. E a voz forte veio do mais alto, que me chamou à atenção que eu ter pisado a relva. Percebi qualquer coisa de "vereador", mas não dei conversa. Pedi desculpa, e disse que apenas pretendia tirar uma foto e não era intenção minha andar em cima da relva.

E continuou a reclamar mas só percebi: " respeite o espaço".

Mais uma vez pedi desculpa e segui na direção da entrada do antigo parque. Fotos aqui.

No regresso vejo novamente os dois homens. Aproximei-se deles e voltei a repetir o meus pedido de desculpa.

E chamei à atenção de, junto ao cruzeiro/estátuas se encontrarem viaturas estacionadas quando deveriam estar junto ao passeio. E segundo ele, esta situação já foi falado na Câmara de Braga (Senhor presidente da Câmara veja a foto abaixo e faça o favor de colocar sinalização que proíba o estacionamento de viaturas junto ao cruzeiro).

 

 

E daqui partiu-se para uma conversa sobre ambiente, jovens,  destruição, respeito.

O senhor era o vigilante daquele parque, mas não estava de serviço.
Foi contando umas histórias interessantes sobre os comportamentos das pessoas (dizendo alguns nomes, que por acaso não sei quem são).

O outro estava calado. Ouvia e ria-se.

E daqui foi um salto para ouvir uma pequena parte da história da vida do vigilante.

E que história!

O vocabulário era o do típico português (fez-me lembrar o "há pessoas que dizem supcelente", que raramente ouço devido à hora, de Nilton no «Café da Manhã", da RFM,  http://rfm.sapo.pt/details.aspx?did=3359).

No caso deste homem, fixei uma, "EDNE", que queria dizer ADN. Mas havia mais...

Saímos do parque e subimos a avenida. O outro homem despediu-se e este acompanhou-me, atravessando a rua. Parei junto ao mercadinho onde compro as frutas e os legumes e ao despedir-se , diz-me:"tive muito prazer em a conhecer e de falar com a senhora. Quando for ao parque da rodovia e quiser conversar um pouco, estou por lá" (note-se que o senhor manteve sempre uma conversa séria).

E seguiu o seu caminho.

 

 

 Ah! Presumo que as estátuas têm a ver com mártires, conforme está escrito na pedra do cruzeiro.

 

 

 

 As fotos de hoje.

 

A cor cinza do Sapo

Maria Araújo, 26.02.12

Hoje o SAPO mudou a cor. Habituada que estou ao verde , cheio de vida e cor, foi uma surpresa ver as cores cinza e preto.Pensei: Será que tem a ver com a cerimónia dos Óscares?

Gostaria de ver este evento, mas levanto-me cedo para trabalhar. O descanso é mais importante.

E, mesmo que visse, tenho a certeza que seria no máximo 20 minutos...

Ontem, bem acordada para ver a nova série da SIC «Downton Abbey»  ,fiquei pelos primeiros minutos. Adormeci.

Quando acordei, passava um filme que nada tinha a ver com a série.

E hoje, como era de esperar, acordei cedo.

Desta forma, não há Óscares que me despertem.

Amanhã virei cá espreitar quem ganhou, e selecionarei os vestidos que mais vou gostar de ver por cá.

Que vençam os bons.

 

 

 

 

Pág. 1/9