Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

802 - Portugal no mundo

Maria Araújo, 31.10.10

 

 

 

Conheci esta jovem num destaque no Sapo. Desde então, tenho visitado o seu blogue. Simples,  fresco, objectivo, sobre a sua vida na China, onde está a estudar.

Hoje escreveu sobre a participação de Portugal na Expo de Xangai, e no sucesso das nossas deliciosas natas, por terras do Oriente.

Fui espreitar o pavilhão de Portugal.

 

 

 

 

 

 

Pavilhão de Portugal

O Pavilhão materializa a ideia de ‘praça’ como um território de urbanidade, espaço de memória e palco de mudanças, transmissor da ideia de espaço público de excelência que, pelo seu carácter multifuncional e pelo modo como é apropriada, confere identidade à cidade e representa quem a ocupa. Tratando-se da cidade portuguesa, ilustra a identidade do país.

O Pavilhão de Portugal está concebido tendo em conta:
  • A sua contribuição, sobretudo através dos conteúdos expositivos, para a projecção da política nacional de sustentabilidade económica e ambiental, por via do fomento e utilização de energias renováveis;
  • A divulgação da mensagem de Portugal como um país de referência mundial no âmbito
    da produção e tecnologia de energias renováveis, eficiência energética nos edifícios públicos, estímulo à utilização de energia solar em edifícios de habitação e Programa para a Mobilidade Eléctrica, nomeadamente o carro eléctrico;
  • A divulgação de avanços na área da investigação, desenvolvimento tecnológico e realizações empresariais ao nível das energias renováveis, utilizando meios tecnologicamente avançados que favoreçam a interactividade e que possibilitem a fruição e a interacção com o público;
  • O seu papel enquanto objecto construído, capaz de ser fruído na sua plenitude por indivíduos de mobilidade reduzida;
  • A incorporação de modelos/protótipos e tecnologia nos conteúdos do Pavilhão de Portugal,
    no domínio das energias alternativas e da eficiência energética, através da celebração de protocolos e parcerias com institutos públicos e universidades.

 

E as natas:

 

2 milhões de pasteis de nata vendidos em 184 dias no Pavilhão de Portugal da Expo 2010 Shanghai

 

 

 

 

800 - United Colors

Maria Araújo, 30.10.10

Depois de um aula, puxadíssima, de hidroginástica; depois de um banho de chuva, no cemitério, senti que precisava de algo que me  animasse a alma, um miminho a mim mesma. Saí para umas compras, no sítio do costume.

Como na zona tem uma loja Benetton, entrei. Há pelo menos dois anos que não compro roupa desta marca. Fases!

Vi um casaco de malha que gostei.

Perguntei as cores que havia.

Vesti um azul e um castanho.

Comprei o azul. Quentinho!!!!!!!!!!

 

A minha segunda compra deste ano. Ando muito poupada nas compras de vestuário!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

798 - ???

Maria Araújo, 26.10.10

Este post tem o número 798. Contudo, aqui no registo do Sapo indica 800 posts publicados, logo este será o número 801.Mas vou manter a minha numeração.

Não sei o que se passa com a net, nos últimos dias.

O messenger anda doidinho. Sempre que escrevo alguma coisa, tenho de minimizar a página.

O Google chrome "obriga-me" a escrever o endereço quando entro no hotmail.

Se passo de um site e/ou página, demora um tempão a abrir.

Fico sem paciência. Tira-me do sério.E, se pretendo alguma informação, imagem, qualquer coisa para trabalhar, então é que entro em parafuso...e depois "amando" um f**@-**.

Desculpem-me os que me lêem, mas a tecnologia tem os seus dias não, e põe-me não também.

O que me vale é a minha gatinha.Uma gulosa. Só come comida de lata,da mole, que não dá trabalho a trincar.Já gastei um dinheirão em whiskas e outras marcas, mas ela não a come.

A veterinária disse-me para a habituar à comida em grão.

Bolas, a bichinha fica cara.

A semana passada foi à vacina. Dentro de um mês, volta para a segunda dose de desparatização, 5 euros,  e vacina, 30 euros.

Cada lata de comida custa ,097/0,99 , depende do local onde compro.

Hoje, precisava de alimentar o meu carro. Fui à bomba de gasolina do Continente. Aproveitei para ir ao hipermercado comprar comida para ela. Uma colega dissera-me que a comida da marca é boa e muito mais barata.

Trouxe duas latas a 0,34.
Cheguei a casa e pus um pedaço, no prato da bichana.

Pensando eu que ela não ia gostar, qual não foi o meu espanto, a gulosinha comeu-a toda.

E, quando enche aquela barriguinha de carninha, fica sossegada, na cama dela.

Hoje não houve "dança". Todos os dias é um forró. Mete-se à minha frente, calco-a, ou dou-lhe pontapés (sem o querer).
Quando abro a porta dos quartos e/ou da sala, fica louca. Corre mais que uma lebre de tão excitada que fica pelo espaço que tem. E, se vai para o meu quarto, salta para cima da cama, mete-se debaixo das almofadas exteriores, deixa apenas o focinho lindo e fofo de fora e então, perco-me com ela. Tento agarrá-la, encho-a de beijos, chamo-a de menina linda, fofa.

Um autêntico bebé. Adoro-a!

Na Sexta-feira passada, estava eu na cozinha a fazer um bolo e o jantar para a família e, cheirando a comida, a sacana trepa pelas minhas costas e põs-se no meu ombro a admirar a paisagem que via à sua frente: a banca  cheia de louça e o cheirinho a chocolate que exalava para as narinas mais apuradas.

E eu aos berros, chamava a Sofia para a tirar do meu ombro.

A gata gostou do que fez que, sempre que pode, tenta o (as)salto.

Antes de me deitar é o dito forró. Corre, brinca, trepa...Não é por acaso que as minhas pernas estão cheias de arranhões. E eu corto-lhe as unhitas, sim! Mas estas crescem!

E assim fico por hoje, com a "triste" notícia que ouvi hoje pela boca do José Rodrigues dos Santos, que o polvo Alemão morreu. Aquele famoso que adivinhou quem ganharia o mundial.

E, como comentou o jornalista, se fosse em Portugal, teria morrido dentro da panela...no arroz, que por acaso, também foi o meu almoço de ontem.

E como ando pouco inspirada, como o meu amigo carapaucarapau, as palavras são as que os dedos quiseram escrever.

 

 

 

 

Pág. 1/8