Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

36 anos de 25 de Abril

Maria Araújo, 25.04.10

36 anos, muito aconteceu, pouco mudou no que ao poder diz respeito.

Lembro-me que  nesse dia fui para a escola, logo de manhã, aqui bem perto da minha casa, onde vivo actualmente.

Falava-se da queda do governo.

Mandaram-nos para casa.

Rádio a toda a hora, TV também. Ninguém queria acreditar.

Minha mãe estava ansiosa  e com medo que as armas disparassem, por cá.

Meu irmão encontrava-se na Guiné, em combate.

Foi um alívio para ela. Vivia em constante ansiedade.

De cada vez que eu ia à caixa do correio, que fica na entrada da porta do prédio, se eu demorasse um pouco mais subir, pensava que havia alguma má notícia. Se houvesse, seria por telegrama, era entregue em mão.

Naquele tempo,escreviam-se aerogramas a via mais simples de os filhos da guerra escreverem à família.

Uma folha de papel fino, amarelo, que era dobrado em três. Escrevia-se o remetente e o destinatário e lá chegava o bendito aerograma. 

Gostaria de os ter de recordação, mas não os encontrei. Deduzo que minha mãe teria rasgado quando meu irmão regressou a Portugal.

Hoje comemora-se mais um ano do dia dos cravos.

Tenho grande admiração por todos os homens que foram combatentes de guerra.

Os amigos do meu irmão, amigos meus também, combateram em Angola e Moçambique. Um amigo e funcionário na empresa do meu pai, combateu em Timor. Todos foram separados. Estão por cá, alguns já são avós. Meu irmão, não. Está "lá noutras vidas" , com minha mãe, minha irmã e meu pai.

 

 

 

                          

 

(imagem da internet)

 

Borboletas

Maria Araújo, 22.04.10

 

Recebi estas maravilhosas fotos por e-mail.

O texto é este:

 
Originária da América Central, a borboleta transparente encontra-se numa área que
vai desde o México ao Panamá.

É bastante vulgar nestas paragens, embora seja difícil vê-la, devido às suas asas
transparentes, que actuam como um mecanismo natural de camuflagem.


Esta borboleta de asas transparentes é rara e muito bonita.

A sua presença, indica aos ecologistas da floresta húmida que estão na presença de um
habitat de alta qualidade, e o seu desaparecimento, avisa-os de que houve uma mudança
ambiental.

 

 

 

 

 

 

Lindas! 

A preposição II

Maria Araújo, 21.04.10

Na escola aprendemos a cantar as preposições.

Quando li este excerto, fiquei a pensar que as palavras em questão não tinham a ver com a preposição, mas com a conjunção. Antes de chegar a elas, pensei nas conjunções subordinadas concessivas,  "se bem que, embora, qualquer que seja, contudo..."

Não me lembrei de mais nenhuma.

Procurando na gramática, temos:

ainda que, mesmo que, mesmo se, posto que, (se) bem que, nem que, por mais que, por menos que, embora...

 

Como tenho a Sofia a dormir aqui, com a cabeça deitada nas minhas pernas, amanhã escreverei o que o professor explicou a Nathalie e a resposta desta.