Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cantinho da casa

cantinho da casa

Sab | 10.01.09

SkyNews

Andava eu de comando na mão a passear pelos canais de televisão, quando deparo com  o breaking news da  SkyNews a mostrar um vídeo do príncipe Harry numa "cena" de treino, no Chipre.

Segundo a notícia este menino irreverente, mal educado, atrevido teria chamado "paki" a um soldado, e "raghead" a um outro com quem estava no momento.

Estes dois vocábulos são considerados ofensivos e racistas.

A primeira refere-se a todos os Sul Asiáticos, Indianos, Afegãos.

A segunda refere-se ao turbante que os Árabes usam para cobrir a cabeça e tem o mesmo sentido que chamar a um Iraquiano "paki" e "taliban".

A notícia está a ser transmitida há mais de 30 minutos neste canal.
Vim ao site da SkyNews e encontrei a notícia.

Mas pelo que ainda escuto no canal de televisão,  os jornalistas dizem que ele já pediu desculpa e que ao usar estas palavras fê-lo sem malícia.

Dizem que ele é muito jovem que ele é boa pessoa, já foi visto em acções humanitárias, logo ele não teria feito com intuito de ofender os soldados.

E todos sabemos que este jovem tem feito das suas!

Sublinho as frases aqui trancritas em Inglês.

 

 

 "video showing him using racist insults was obtained by The News Of The World.

 

Sky News: First For Breaking News

 

The newspaper reports that the tape was made by the third in line to the throne during his Army training.

It says the prince is heard calling one Asian trainee "our little Paki friend".

The newspaper reported that the videotape was shot by the prince as he was about to embark on training as a combat helicopter pilot in an airport for their flight to Cyprus.

Panning around the floor, over his bored or sleeping colleagues, he says: "This is luxury. And here is our first example of possibly how to admin yourself (meaning take care of yourself and your kit) in the terminal awaiting the RAF.

It sweeps over his colleagues, with Harry commenting "Now that is bad admin, bad admin" before it tracks over an Asian cadet yards away.

"Anybody else around here?" he asks. "Ah, our little Paki friend."

In a separate incident, the 24-year-old is heard calling another officer cadet who is jokingly wearing a veil on his head a "f***ing raghead".

Referring to the use of the word "Paki", a statement from Clarence House said: "Prince Harry fully understands how offensive this term can be - and is extremely sorry for any offence his words might cause.

"However, on this occasion three years ago, Prince Harry used the term without any malice and as a nickname about a highly popular member of his platoon.

"There is no question that Prince Harry was in any way seeking to insult his friend."

It added that he was using the term "raghead" to mean "Taliban" or "Iraqi insurgent".

Inayat Bungawala, of the Muslim Council of Great Britain, told Sky News that the remarks were "very, very disappointing".

"Many Muslims will be very disappointed that someone like that has used this kind of language and he really neeeds to come out with a clear statement distancing himself from this," he said

  

 

 

 

Sex | 09.01.09

Neve no Minho

Hoje saí de casa por volta das 8.00h para as minhas aulas de Sexta-Feira, o dia maior da semana. Entro á 8.30 h e saio ás 16.40h.

O céu estava de um cinzento escuro, que há já muito tempo não via. A temperatura não me pareceu tão baixa quanto ontem.

Mas a cerca de 4 quilómetros da escola, a estrada estava coberta de branco. Mais parecia geada que neve.

De repente, começa a cair uns flocos pequenos de neve.

Antes de as aulas começarem, ainda fui tomar um pingo bem quente, ao café que fica em frente á escola.

Como não tinha aula ás 8h30, isto é, tinha sala de estudo, não precisava de me apressar (sou pontual na minha chegada á escola e á sala de aula).

Os flocos de neve continuavam a cair, mais grossos, mas dissipavassam-se no piso húmido.

Por volta das 10h00 no intervalo maior que temos, fui tomar o meu café da manhã fora da escola (o bar e a cantina estão em obras).

Regresso para a aula das 10h10. Os miúdos pareciam pássaros a chilrear de tanto brincar de excitação pela neve , que começara a cair com mais intensidade. 

Foi um problema fazer com que os alunos entrassem na sala. Muitos nunca tinham visto a neve. Nem os casacos tinham vestidos. Queriam sentir a neve cair-lhes no corpo e no rosto, já vermelhos de excitação e do frio.

O início da aula, foi um problema também. Até que deixei-os sair da sala por 5 minutos.

Que gritaria!Que loucura!  Apanhavam a neve e atiravam-na uns aos outros.

Bem me apetecia tirar umas foto com o meu telemóvel.

Consegui que eles voltassem á sala de aula, com a promessa de os deixar sair mais cedo 15 minutos para se divertirem a fazerem bonecos de neve.

Consegui passar um CD.  Consegui que alguns alunos lessem um texto. Nada mais.

De repente,  alguém bate á porta da sala e diz " Professora o Conselho Executivo pede que todos os alunos saiam da escola. Têm os autocarros á porta para os levarem a casa. De tarde não há aulas".

Algazarra total.

Quando deixei a sala de aula, de telemóvel na mão, apaguei as fotos que tinha do meu querido mar, e da praia , de que tanto gosto, e dedo em posição, click, tirei umas quantas fotos aos recreios, carregados de neve.

Quando me aproximava do edifício principal da escola, onde em frente tem um jardim fresco e primaveril muito apetitoso , delirei com a paisagem! Parecia um autêntico postal de Natal. Os miúdos e adolescentes brincavam alegremente. O colorido estava fantástico.

Tirei mais algumas fotos.

Os professores deixavam a escola.

O trajecto escola/casa  que em dias normais faço em 15 a 20 minutos, a conduzir com calma, fi-lo em 1.10h.

Os bombeiros cobriam com sal algumas das zonas mais perigosas. Isso condicionava o fluxo de trânsito a Braga, mas sem percalços.

Tudo correu bem.

As aulas da tarde ficam para a próxima semana.

Vou tentar postar as fotos, se conseguir enviá-las do telemóvel para o computador. Nunca o fiz, vou experimentar hoje.

Bem-vinda a neve que fez a criançada feliz, e os adultos saíram da rotina e puderam também usufruir de um fenómeno que há muitos anos não acontecia no distrito de Braga, embora tenhamos a Serra do Gerês por perto.

 

Qua | 07.01.09

Da Si

Li o post que  a Si publicou hoje  sobre um jovemque se desfazia em solidariedade, numa sala de espera de consultório.

O início do texto pareceu-me uma história como muitas que por aqui se contam, algumas delas fico na dúvida se serão reais ou não, mas isso fica para o leitor. Ao que parece, esta é real.

A Si queria da cena que observou, um  tema para contar uma história, e escreveu um bonito e sensível texto.

Leiam-no.

Fico feliz, também,  quando vejo jovens educados e solidários  fazerem o bemsem olharem a quem,   e  que não se incomodam com os comentários que possam fazer deles (caso do senhor idoso que duvidou da sexualidade deste jovem).

  

Mutirão e Promifé em Sampaio por Sibapa

 

Dom | 04.01.09

Queridos mudei o blog!

Há algum tempo que estava decidida a mudar o meu blog.

Gostaria de saber usar uma personalização mais avançada, mas não sei como fazer.

Dentro dos vários templates que o Sapo dispõe, gostei deste, por ser jovem e ter cores agradáveis.

Estou também decidida a construir um blog para utilizar com os meus alunos.

Lamento que nem todos não possam ter acesso á net.

Trabalho a 15 km de Braga, numa zona predominamente rural,onde a maoiria das famílias não têm computador, ou se têm, não têm acesso á internet.

Mas o desafio vai ser grande, tenho a certeza.

Quem sabe não será o arranque para um maior aproveitamento/conhecimento dos alunos?

A maioria sabe trabalhar com o computador, mas sente dificuldade em pesquisar e utilizar este meio.

Lamento também que, na minha escola, raramente os alunos possam ter acesso aos computadores. E os que estão disponíveis, são quase obsoletos.

Mas com um pouquito de esforço e boa vontade, acho que vou conquistar os miúdos a fazer com que eles visitem o espaço que tenciono construir para eles.

Se tiver sucesso, farei aqui um post sobre o assunto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dom | 04.01.09

Eça de Queiroz

Ao responder ao desafio da Si, e depois de postar  o conteúdo da 5ª linha da página 161, de " A catástrofe" em Contos, de Eça de Queiroz,  fui ler o conto na íntegra. Algumas das passagens fizeram-me reflectir sobre o que se passou na época e o que se passa actualmente aqui em Portugal.

Sublinho as semelhanças escritas com a actualidade.

 

"Mas de que vale agora pensar no que se podia ter feito!.. O nosso grande mal foi o abatimento, a inércia em que tinham caído as almas! Houve ainda algum tempo em que se atribuiu todo o mal ao Governo! Acusação grotesca que ninguém hoje ousaria repetir.
Os Governos! Podiam ter criado, é certo, mais artilharia, mais ambulâncias; mas o que eles não podiam criar era uma alma enérgica ao País! Tínhamos caído numa indiferença, num cepticismo imbecil, num desdém de toda a ideia, numa repugnância de todo o esforço, numa anulação de toda a vontade... Estávamos caquécticos! O Governo, a Constituição, a própria Carta tão escarnecida, dera-nos tudo o que nos podia dar: uma liberdade ampla. Era ao abrigo dessa liberdade que a Pátria, a massa dos portugueses tinha o dever de tornar o seu País próspero, vivo, forte, digno da independência. O Governo! O País esperava dele aquilo que devia tirar de si mesmo, pedindo ao Governo que fizesse tudo o que lhe competia a ele mesmo fazer!... Queria que o Governo lhe arroteasse as terras, que o Governo criasse a sua indústria, que o Governo escrevesse os seus livros, que o Governo alimentasse os seus filhos, que o Governo erguesse os seus edifícios, que o Governo lhe desse a ideia do seu Deus!
Sempre o Governo! O Governo devia ser o agricultor, o industrial, o comerciante, o filósofo, o sacerdote, o pintor, o arquitecto – tudo! Quando um país abdica assim nas mãos dum governo toda a sua iniciativa, e cruza os braços esperando que a civilização lhe cai feita das secretarias, como a luz lhe vem do Sol, esse país está mal: as almas perdem o vigor, os braços perdem o hábito do trabalho, a consciência perde a regra, o cérebro perde a acção. E como o governo lá está para fazer tudo – o país estira-se ao sol e acomoda-se para dormir. Mas, quando acorda – é como nós acordámos com uma sentinela estrangeira à porta do Arsenal."

 

 

 

Sex | 02.01.09

Desafios da Si

Andava eu a visitar os blogs, como faço todos os dias, quando cheguei ao da Si e deparo com o desafio muito interessante e que decidi seguir, que passo a enumerar.


 

1- Agarrar o livro mais próximo
2- Abrir na página 161
3- Procurar a quinta frase completa
4- Colocar a frase no blog
5- Não escolher a melhor frase, nem o melhor livro! Utilizar somente o livro mais próximo
6- Passar para 5 cinco blogs
 

Ás escuras, neste cantinhodacasa,  fui a uma das prateleiras do escritório e peguei no primeiro livro que a minha mão sentiu.

 

Contos -  "A catástrofe" - Ed. Círculo de Leitores - Obras completas de Eça de Queiroz-página 161 - 5ª frase completa.

 

De repente, do lado da Rua do Carmo, veio um rumor; era como que uma melopeia ritmada, que se sentia, que vinha no ar, que se aproximava; luzes de archotes, destacando-se no cuidado das casas, apareceram à esquina do Rossio, e um grupo desembocou, marchando vivamente, ao compasso de um hino patriótico, cujo ritmo o impelia, num passo largo:

 

guerra, guerra, guerra á terra santa,

Pela santa independência...

 

 

Lendo o conto e localizando-o no tempo, fui á wikipédia e descobri, o que há anos já não lembrava,  que este excerto se refere ao  Congresso de Berlim , "momento desta conferência Portugal,  apresentou um projecto, o famoso Mapa Cor-de-rosa, que consistia em ligar a Angola e Moçambique para haver uma comunicação entre as duas colônias, facilitando o comércio e o transporte de mercadorias. Sucedeu que, apesar de todos concordarem com o projecto, a Inglaterra,  à margem do Tratado de Windsor, surpreendeu com a negação face ao projecto e fez um ultimato, conhecido como Ultimato britânico de 1890, ameaçando guerra se Portugal não acabasse com o projecto. Portugal, com medo de uma crise, não criou guerra com Inglaterra e todo o projecto foi-se abaixo.

 

 

 

  

E agora faço o que sugeriu a Si. Em vez de escolher blogs a propor este desafio, quem ler este post e desejar seguir as instruções e postar o que leu, óptimo. Sairá um belo trabalho.