Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

 

 


*in**disciplina
nas escolas (vista por F. Savater)*

 Especialistas reunidos em Espanha


Aumento da violência nas escolas reflecte crise de autoridade familiar

Especialistas em educação reunidos na cidade espanhola de Valência
defenderam hoje que o aumento da violência escolar deve-se, em parte, a uma
crise de autoridade familiar, pelo facto de os pais renunciarem a impor
disciplina aos filhos, remetendo essa responsabilidade para os professores.
Os participantes no encontro 'Família e Escola: um espaço de convivência',
dedicado a analisar a importância da família como agente educativo,
consideram que é necessário evitar que todo o peso da autoridade sobre os
menores recaia nas escolas.

'As crianças não encontram em casa a figura de autoridade', que é um
elemento fundamental para o seu crescimento, disse o filósofo Fernando
Savater.

'As famílias não são o que eram antes e hoje o único meio com que muitas
crianças contactam é a televisão, que está sempre em casa', sublinhou.

Para Savater, os pais continuam 'a não querer assumir qualquer autoridade',
preferindo que o pouco tempo que passam com os filhos 'seja alegre' e sem
conflitos e empurrando o papel de disciplinador quase exclusivamente para os
professores.

No entanto, e quando os professores tentam exercer esse papel disciplinador,
'são os próprios pais e mães que não exerceram essa autoridade sobre os
filhos que tentam exercê-la sobre os professores, confrontando-os', acusa..

'O abandono da sua responsabilidade retira aos pais a possibilidade de
protestar e exigir depois. Quem não começa por tentar defender a harmonia no
seu ambiente, não tem razão para depois se ir queixar', sublinha.

Há professores que são 'vítimas nas mãos dos alunos'.

Savater acusa igualmente as famílias de pensarem que 'ao pagar uma escola'
deixa de ser necessário impor responsabilidade, alertando para a situação de
muitos professores que estão 'psicologicamente esgotados' e que se
transformam 'em autênticas vítimas nas mãos dos alunos'.

A liberdade, afirma, 'exige uma componente de disciplina' que obriga a que
os docentes não estejam desamparados e sem apoio, nomeadamente das famílias
e da sociedade.

'A boa educação é cara, mas a má educação é muito mais cara', afirma,
recomendando aos pais que transmitam aos seus filhos a importância da escola
e a importância que é receber uma educação, 'uma oportunidade e um
privilégio'.

'Em algum momento das suas vidas, as crianças vão confrontar-se com a
disciplina', frisa Fernando Savater.

Em conversa com jornalistas, o filósofo explicou que é essencial perceber
que as crianças não são hoje mais violentas ou mais indisciplinadas do que
antes; o problema é que 'têm menos respeito pela autoridade dos mais
velhos'.

'Deixaram de ver os adultos como fontes de experiência e de ensinamento para
os passarem a ver como uma fonte de incómodo. Isso leva-os à rebeldia',
afirmou.

Daí que, mais do que reformas dos códigos legislativos ou das normas em
vigor, é essencial envolver toda a sociedade, admitindo Savater que 'mais
vale dar uma palmada, no momento certo' do que permitir as situações que
depois se criam.

Como alternativa à palmada, o filósofo recomenda a supressão de privilégios
e o alargamento dos deveres.

 

Gostou? Então divulgue...

 

 

 

Início

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Carapau a 26.02.2010 às 13:48

Começando pelos sapatos.
Obrigado pela dedicatória, bela ideia, diz-me os que escolhes para eu depois ficar com os outros. :-)
Quanto ao caroço do post:
Só quero que me expliquem uma coisa.
Como os pais de hoje podem incutir e exigir certas normas de conduta aos filhos, se eles, pais, foram e continuam a ser uns baldas, iguaizinhos (nalguns casos para pior) aos filhos. Sem normas, SEM CARACTER, sem nada que sirva de exemplo para seguir.
Há excepções. Há sempre. Mas só servem para confirmar a regra e para fazer ressaltar as diferenças.
Quanto aos professores,sabes disso muito melhor que eu, uns "ajudam" os alunos a serem assim, outros tentam remar contra a corrente, mas em geral são vencidos pelo cansaço.
Então não haverá solução?
Certamente que sim, mas será o tempo que vai "tratar disso".
Fico por aqui.
Prefiro falar de sapatos...
Bjo.
Sem imagem de perfil

De Rui da Bica a 25.02.2010 às 23:18

O problema é esse.
As crianças são as mesmas. São iguais.
Os pais é que são diferentes !
Os miúdos aprendem com muito mais facilidade o que vêem e ouvem em casa do que na escola ! Isso é natural !
É muito difícil ser professor/a hoje, em Portugal !
Bjs.
.

Comentar post



Árvore de Natal e da vida


foto do autor


o meu instagram


2º desafio de leitura

desafio


Desafio - Foto da Semana


10 anos



Encontros - eu fui

IMG_2230 (2).JPG MARCADOR


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D