Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Casa

Cantinho da Casa

Os olhos...

Maria Araújo, 09.02.10

Hoje tive a minha consulta de rotina no oftalmologista.

Sete meses após a intervenção era necessário que o médico verificasse se as lentes estavam bem centradas, se não tinha qualquer anomalia que me afectasse a visão.

Como saí cedo de casa, ainda tive tempo de tomar um cafézinho à beira-mar.  O sol convidava a uns minutos de relaxe.
Numa esplanada mesmo em frente ao mar, deixei-me "levar" pelo rebentar das altas ondas, que se estendiam,  de mansinho, junto às rochas. Mais ao longe, à minha esquerda, elas rebentavam com força e invadiam a praia, mais pequena com estas marés vivas do Inverno.

As gaivotas, calmas, sonolentas, pareciam desfrutar também do sol, que já lhes fazia falta.

Uma senhora passeava tranquila, junto às rochas. Apetecia-me tirar as botas e sentir a areia húmida nos pés.  No paradão, agasalhados, estavam dois homens e uma mulher que conversavam animadamente. Pescadores...

No horizonte, onde acaba o mar, algumas nuvens esbranquiçadas,  lisas e serenas completavam este cenário de Inverno apetecível, ali, naquela esplanada em frente ao mar.

(Quando fazemos o relaxe depois da aula de bodybalance e a professora diz: "imaginem-se numa praia deserta e paradisíaca ou numa montanha calma, em qualquer lugar onde gostariam de estar, e deixem-se envolver por ela...".

E hoje, não sendo um lugar paradisíaco, senti-me bem, serena, relaxada, calma, sozinha...como gosto de estar.)

Mas como tinha hora marcada, deixei aquele lugar tranquilo e fui para a clínica. O médico não costuma ser pontual nas suas consultas, mas mesmo assim, cheguei na minha hora.

A assistente chamou-me para fazer o habitual  exame de rotina. Perguntei se ele tinha chegado, ao que me respondeu: "sim, já chegou. E na hora. Até eu fiquei admirada".

Regressei à sala de espera. Tinha levado uma revista. Voltei à leitura.

De repente, o médico chama-me.  Vê os meus olhos delineados , e diz: "Que bem! Esse lápis em baixo nos olhos fica-lhe muito bem". Agradeci.

Consulta rápida. Está tudo bem com a minha vista. As lentes estão muito bem centradas e, "Elas ficarão para sempre. Luz, muita luz, quando ler e trabalhar" ,advertiu-me.

 Próxima consulta: Julho. Depois só irei uma vez por ano.

Yes! Bom investimento que fiz!

 

 

 

 

 Regressei a Braga ainda a tempo de levar a minha princesa Sofia, ao futebol. Mas ela não queria. Tinnha um trabalho para fazer para Área de Projecto. Não sabia da pen. Chorava.

Respondi que de certeza que apareceria.  Quase sempre tenho de lhe dar um raspanete porque ela desespera-se. Eu arranjo sempre uma solução, que ela reclama porque não é possível.

De repente, passo no café perto de casa e vejo o irmão. Headphones, pc... Concentrado.

Estacionei em segunda fila, coisa rara, e entrei no café.

Perguntei-lhe se tinha a pen da irmã. Sim, tinha-a guardado no bolso das jeans. "saca" dela. Saí , aproximei-me do carro e, do lado de fora, mostrei-a à princesa. Ela ficou estupefacta.

Depois de estacionar o carro e fechar a garagem,  abraçou-me e disse: "És muito positiva. Dás sempre coragem".

Abraçei-a também.

Já não é a primeira , nem a segunda, nem a terceira  vez que estas coisas acontecem com ela. Mais vão acontecer e cá estarei eu para as resolver.

 

 

 

 

9 comentários

Comentar post